Vstars: na vanguarda do ténis de amanhã

André Dias PereiraMaio 25, 20183min0

Vstars: na vanguarda do ténis de amanhã

André Dias PereiraMaio 25, 20183min0
Dirigido a atletas federados sub-10 e sub-11 o Vanguard Challanger é uma competição inovadora e única em Portugal e na Europa. Arrancou no passado final de semana e prossegue, no Porto, a 9 e 10 de Junho.

Pode um grupo imobiliário e o ténis andar de braço dado? A Vanguard Properties, um dos maiores promotores nacionais de projetos residenciais, acredita que sim. E o Vanguard Stars (Vstars) está aí para o provar. Trata-se de um conjunto de iniciativas com o objetivo de apoiar o desporto, especialmente as camadas jovens, através da organização de eventos nacionais e internacionais.

Numa primeira fase, a Vstars apoia o ténis com a organização do Vanguard Challenger. Trata-se de um tour destinado a tenistas federados sub-10 e sub-11. É composto por três torneios, o primeiro dos quais decorreu no passado fim de semana, durante o Challenger Lisboa Belém. Os outros torneios jogam-se no Porto, Algarve e novamente em Lisboa.

A iniciativa é única e inovadora em Portugal e na Europa. E num momento em que João Sousa é a maior referência do ténis português, este é pode ser mais um passo no desenvolvimento de uma modalidade com clara hipótese de expansão em Portugal.

Na primeira etapa, o evento contou com mais de uma centena e meia de inscrições, enchendo os campos do CIF com crianças que já demonstram um certo jeito curioso para a raquete e bola amarela. Entre participantes, familiares, curiosos e outros, o primeiro Vanguard Challenger teve mais de 500 pessoas envolvidas, numa festa competitiva para estes entusiastas da modalidade.

O impacto real vai muito para além da inovação, já que pode mexer com o desporto nacional (ou, pelo menos, com o ténis) de uma forma sem igual, se for bem trabalhado, apoiado e catapultado pelas restantes entidades desportivas e sociais. Garantir a possibilidade de que jovens tenham acesso a condições mínimas para se ligar fielmente a uma modalidade é o caminho que a Vanguard Stars quer tomar já a curto-prazo, apresentando-se como outro nível no apoio a jovens iniciantes.

Mas foi bom o espectáculo realizado no CIF? As várias dezenas de encontros entre jovens tenistas deu para perceber que existe mais cultura desportiva do que as pessoas podem pensar. Entre os que mais gostam de jogar no fundo do court, aos que se lançam à rede, até aos que sabem já fazer um slice bem trabalhado, foi visível que não só houve muito diversão, mas também um espírito competitivo recheado de vontade e, claro, fair play!

O sábado foi só reservado para jogos, com os vários sub-10 e sub-11 a disputar não só os qualifying como as finais, garantindo desde logo o título e prémio de campeões, que foram só entregues no Domingo antes da final do Lisboa Belém Open (ganho por Tommy Robredo).

Tour segue para o Porto

A Vanguard Properties é também patrocinadora para o setor do Imobiliário do Estoril Open e do Challanger Lisboa Belém. Foi, aliás, ali que decorreu a primeira jornada do tour. Salvador Monteiro e Patrícia Gui lideram nos sub-10 e João Dinis Silva e Ana Luísa Freitas estão na frente em sub-11.

A competição tem prémios no valor de 4112 euros em material Wilson.

Para Tatyana Bezukladnikova, diretora-geral da Vanguard Stars, refere que,

“o Vanguard Challenger 2018 irá contribuir para o desenvolvimento do desporto entre as camadas mais jovens”. Também José Cardoso Botelho frisa que “os valores mais importantes do desporto estão em linha” com a da empresa.

O tour segue agora para o Clube de Ténis do Porto, a 9 e 10 de Junho, com as inscrições ainda abertas para potenciais interessados em aparecer, jogar e se divertirem/competirem nesta nova onda desportiva lançada pela Vanguard Stars! Aparece, joga, assiste e participa!

Foto: Vanguard Stars

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter