O regresso de Sorana Cirstea

André Dias PereiraDezembro 13, 20201min0

O regresso de Sorana Cirstea

André Dias PereiraDezembro 13, 20201min0

Ela chegou a andar pelo top-25, a jogar quartos de finais de Major e finais de WTA 1000. Sorana Cirstea venceu no Dubai o seu primeiro título ao fim de 4 anos de. Aconteceu no ITF do Dubai.

Aos 30 anos de idade, a romena atravessa um dos seus mais felizes momentos da carreira. Atualmente, na posição 86 do ranking WTA, Cirstea levou a melhor em um torneio que contou com 14 tenistas do top-100.

Na final, a romena levou a melhor sobre Katerina Siniakova (4-6, 6-3 e 6-3), número 64 do circuito, impondo a sua maior agressividade e, sobretudo, jogo de fundo de court.

Com este triunfo, Soriana vai subir 15 posições no ranking. Com uma carreira recheada de lesões, que condicionaram a sua evolução e estabilidade, a romena aposta, aos 30 anos, em continuar a evoluir e, talvez ganhar mais títulos.

Cirstea já teve a oportunidade de jogar todos os Grand Slam. O seu maior feito aconteceu em 2009, em Roland Garros, chegando aos quartos de final. Dos 448 jogos já disputados, venceu 340. A sua maior classificação até ao momento foi o 21 lugar.

Natutal de Bucareste, iniciou o seu percurso em 2004, chegando a estar no top-10 junior. Por essa altura, teve algumas aparições em finais, ganhando um torneio na Alemanha. Ela se tornou então profissional e em 2008 conquistou o seu primeiro título no torneio de Tashkent. Os seus problemas com a forma físicas começaram em 2010, mas aos poucos foi subindo no ranking até atingir o 21 lugar em 2013. Em 2014 enfrentou mais lesões que a atiraram para fora do top-100. De então para cá tem vindo a tentar recuperar-se, mas de forma irregular. A avaliar pelo que aconteceu no Dubai, 2021, pelo menos, promete.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter