2022 só com Frederico Morais na World Surf league

Palex FerreiraDezembro 8, 20212min0

2022 só com Frederico Morais na World Surf league

Palex FerreiraDezembro 8, 20212min0
Portugal sonhava com mais atletas na maior liga de surf mundial, mas só Vasco Ribeiro se vai manter por lá como explica Palex Ferreira

As esperanças lusas eram elevadas na derradeira etapa na praia de Haleiwa no Havaí, já que Portugal tinha quatro atletas que ainda podiam se qualificar para o World Tour da World Surf league (WSL) 2022, o que reunia expectativas para algo de especial para acontecer.

Na parte masculina tínhamos o campeão europeu, Vasco Ribeiro que está a surfar a um grande nível e até com resultados internacionais de grande qualidade, mostrando-se seguro, poderoso, que consegue mostrar o seu melhor nas ondas pesadas, um detalhe pelo qual é reconhecido este surfista da Praia da Poça. Infelizmente foi eliminado na ronda 32 e com isso perdia a esperança de se qualificar para o WSL 2022 e fazer companhia ao seu amigo Frederico Morais, esperando-se que volte a tentar o acesso ao quadro principal da modalidade na próxima temporada, sabendo desde logo que o caminho será árduo, mas não impossível de lograr algo de grandioso.

Nas mulheres eram três as esperanças para o acesso à WSL 2022: Carolina Mendes; e as atletas olímpicas Teresa Bonvalot e Yolanda Hopkins (lembrar que conseguiu o Diploma Olímpico nos Jogos de Tóquio 2021), com este trio a ter a qualidade suficiente para atingir o sonho. Contudo, e como Vasco Ribeiro, nenhuma das participantes femininas nacionais conseguiu atingir a fase decisiva de qualificação, com só Yolanda Hopkins a atingir os quartos-de-final – terminou em 13º lugar – desta nova competição de Challenger, pondo assim um ponto final, para já, nos sonhos de termos mais surfistas portugueses a competir na WSL.

Era um sonho de todos os que competem ao mais alto nível conseguirem entrar no chamado DreamTour do surf mundial, onde se encontram os melhores surfistas do mundo. Mas talento todos têm e acreditamos que alguns vão chegar a esse circuito mais tarde ou mais cedo, lembrando que qualquer um dos nomes citados já atingiu resultados de alto nível nas ondas internacionais.

John John Florence foi o grande vencedor da etapa havaiana com uma demonstração do seu talento, somando uma nota máxima de 10 e um backup na casa dos sete pontos, sagrando-se assim campeão desta etapa, que tinha sido ganha na sua última edição pelo Frederico Morais (2020).

Em 2022 o DreamTour volta a Portugal em março e certamente com altas ondas em Supertubos (Peniche), que só contará com a presença do Frederico Morais que certamente contará com o apoio nacional na praia. Assim em termos de balanço no surf, Portugal tem grandes atletas que poderão entrar nos principais circuitos mundiais, surf, bodyboard, longboard. Com apoios financeiros conseguirão disputar estes eventos contra muitos dos melhores atletas das modalidades.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter