O “sidestep” do CN1: “Bulldogs” consolidam a liderança

Francisco IsaacFevereiro 18, 20206min0

O “sidestep” do CN1: “Bulldogs” consolidam a liderança

Francisco IsaacFevereiro 18, 20206min0
O CR São Miguel conquistou a liderança depois de derrotar o Caldas RC num dos "clássicos" do Campeonato Nacional 1. A análise à 13ª jornada e aos seus protagonistas no Fair Play

Depois de algumas semanas de paragem, o Campeonato Nacional 1 regressou em força com a realização de um dos “clássicos” desta divisão, o CR São Miguel-Caldas RC, que terminou com vitória dos “bulldogs” que estão no topo da classificação a sete e a nove pontos do CR Évora e dos “pelicanos”, respectivamente!

A 13ª jornada analisada ao pormenores!

“CAVALEIROS” CONQUISTAM GUIMARÃES

2020 tem sido de recuperação e remontada para o Rugby Clube de Santarém com nova vitória conquistada, agora no campo do Guimarães RUFC, um dos rivais directos dos “cavaleiros” na luta pelo 4º lugar do Campeonato Nacional 1. A equipa escalabitana impôs um ritmo de jogo mais veloz no jogo contínuo durante os períodos críticos de jogo, onde a experiência e lucidez de Matheus Daniel (voltou a jogar como formação e não desiludiu) garantiu outra paz na construção de fases e na execução de uma estratégia embelezada pelos apontamentos técnicos de Martim Faro, o abertura sub-18 que vai sendo imprescindível neste conjunto do RC Santarém.

Com Rafael Morales no papel de chutador, os escalabitanos impuseram pontos ao pé na 2ª parte que infligiu o dano suficiente para evitar uma remontada da equipa da casa, que ainda assim aproximou-se do placard por virtude dos ensaios construídos pelas suas linhas atrasadas em que Samuel Lemos foi um dos principais protagonistas.

O Santarém foi mais agressivo no domínio territorial e procurou montar um jogo compacto, inteligente e de construção de fases bem calculadas e sem entrar num caos táctico perigoso. Já do lado dos “bravos” faltou mais paciência na linha-de-defesa com várias faltas descortinadas por fora-de-jogo ou disputa ilegal do ruck e breakdown, proporcionando uma constante plataforma de jogo para os seus adversários. Com esta derrota, a equipa de Guimarães fica mais longe do acesso ao playoff de apuramento de campeão, quando já faltam poucas jornadas por se disputar na fase regular do CN1, sendo que o RC Santarém tem boas possibilidades para chegar a um objectivo que parecia inatingível no final de 2019.

CLÁSSICO ENTRE SÃO MIGUEL E CALDAS ACABA COM LIDERANÇA ISOLADA

Duro, físico e emotivo, são os três adjectivos que se podem aplicar a este já “clássico” do Campeonato Nacional 1 entre o CR São Miguel e Caldas RC, com os 5 pontos a serem conquistados pelos “bulldogs” de Nuno Damasceno e Paulo Silva. Com André Lemos, Robert Delai e Thomas Goyochea (o pilar argentino tem sido um dos melhores jogadores deste CN1 na temporada actual) a puxarem dos “galões” no elevar da intensidade de jogo da formação lisboeta, o São Miguel teve algumas dificuldades para estabilizar a sua estratégia, permitindo ao Caldas RC ter mais tempo e espaço para aguentar a maior intensidade e velocidade dos seus adversários, com destaque para a prestação defensiva de Rui Santos, Ricardo Marques, Filipe Gil e Oscar D’Amato.

Contudo, com o tempo os “pelicanos” foram quebrando e a capacidade/disponibilidade física dos “bulldogs” – e o maior engenho a nível técnico – acabou por fazer a diferença, somando três ensaios sem contestação na 2ª parte, com as linhas atrasadas a espalharem um domínio ofensivo quase total, onde Devan Brough foi essencial para esta transformações nos segundos 40 minutos. Os “miguelistas” confirmam ainda mais o estatuto de líderes, com já alguma distância cavada para o 2º lugar, ocupada agora pelo CR Évora em virtude dos 5 pontos somados em casa do RC Elvas, enquanto que a equipa do Caldas passou para o último lugar do pódio, mas com ainda boas possibilidades de chegar ao segundo posto.

RUGBY TOTAL ENTRE “GLADIADORES” E BAIRRADA

80 pontos somados entre Braga Rugby e o Moita Rugby Clube da Bairrada, com a equipa de Anadia a garantir uma vitória por 45-25 no campo dos “gladiadores”, colando-se aos Jaguares no 4º lugar da classificação. Foi um encontro emotivo e com excelentes momentos de rugby, onde ambos os médios-de-abertura pegaram na batuta de fazer a diferença e a aplicar um bom espectáculo no Campo da Caseta, sendo que o abertura da equipa dos “bairradinos”, Gonçalo Costa, cruzou a linha de ensaio por duas ocasiões para além de uma série de jogadas de grande tom que mexeram por completo com o ritmo no encontro.

Contudo, e depois de vários jogos sem mostrar as suas melhores cores, o Braga Rugby conseguiu provar que tem qualidade para incomodar e criar um certo nervosismo aos seus adversários, seja pela formação-ordenada bem trabalhada ou pelas movimentações energéticas que conferem outra confiança a uma equipa jovem mas com vontade de evoluir. Destaque para o hattrick do ponta bracarense Francisco Carvalho, e para a exibição de Luís Dias, o centro do MRC Bairrada, que se assumiu como um aríete em alta velocidade para a formação treinada por Luís Supico.

ÉVORA COM BORGES E MURTEIRA EM SINTONIA E JAGUARES CONSOLIDAM 4º LUGAR

O CR Évora visitou o campo do seu “vizinho” do RC Elvas e conseguiu uma vitória bonificada, com Francisco Borges a somar 18 pontos dos 43-03 finais. Manuel Murteira e António Fonseca deram voz ao plano de jogo de Miguel Avó e acabaram por fazer ceder a defesa elvense, que ainda assim mostrou uma atitude expedita e agressiva, impedindo que o resultado atingisse outra dimensão, sendo um projecto de futuro para o rugby português.

Já nos Jaguares-RV Moita houve duas partes diferentes: a primeira com o RV Moita a conseguir sair com a vantagem para o intervalo, graças a uma defesa pressionante e que forçou erros constantes dos Jags de Pedro Vital. Já na segunda parte houve festim de ensaios por parte da equipa da linha, em que Guilherme Sampaio voltou a ser uma constante referência tendo somado 20 pontos (dois ensaios, duas conversões e duas penalidades) para além do electrizante ponta Felisbelo Vieira, que ajudou com um toque de meta para o 30-15 final.

O “LINEBREAKER” DA SEMANA

Thomas Goyochea (CR São Miguel), Guilherme Sampaio (Jaguares) e Luís Dias (MRC Bairrada). O pilar dos “bulldogs” foi um autêntico predador na defesa, desenhando excelentes placagens que forçaram um recuo constante aos seus “alvos” do Caldas RC, para além de ter carregado a bola com uma total certeza e confiança; o abertura dos Jaguares acelerou o jogo e voltou a fazer uso da sua panóplia de pormenores técnicos de grande nível; já o centro do Bairrada foi essencial para a vitória do MRC Bairrada no campo do Braga Rugby, revelando-se como um dos pêndulos dos “bairradinos”.

TRY FINISHERS E POINT SCORERS


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter