Rugby Youth Player: Lachlan Swinton, o novo “monstro” da Austrália

Francisco IsaacDezembro 4, 20194min0

Rugby Youth Player: Lachlan Swinton, o novo “monstro” da Austrália

Francisco IsaacDezembro 4, 20194min0
Com 1 metro e 94 centímetros de altura, Lachlan Swinton está a conquistar adeptos não só nos Waratahs mas também no rugby australiano. Quem é e o que pode fazer este 2ª/3ª linha no Mundo do Rugby?

Nova rubrica do Fair Play que tem como objectivo apresentar e analisar novas estrelas jovens do rugby mundial, sempre entre os 17 e 23 anos de idade. Como 4ª entrada desta rubrica apresentamos um monstruoso avançado, de grandes proporções que se estreou pelos NSW Waratahs em 2019 e que tem os olhos postos em surpreender o rugby australiano: Lachlan Swinton. Descobre mais sobre esta “pérola” australiana!

DO NADA SURGIU UMA MONTANHA EM NOVA GALES DO SUL: LACHLAN SWINTON!

1 metro e 93 centímetros e 112 kilos, Lachlan Swinton promete ter uma palavra a dizer no rugby australiano até porque no seu ano de estreia pela franquia dos NSW Waratahs mostrou bons apontamentos como:

Físico impressionante, não se ficando só por uma demonstração de força bruta no contacto mas também por uma mobilidade ágil e gritante impondo um ritmo alucinante durante grande parte do tempo de jogo;

– Perspicaz e trabalhador nas fases estáticas, surgindo bem quer a levantar ou saltar no alinhamento, para além de conseguir ser uma boa unidade quer a 2ª linha ou 3ª na formação ordenada (não é o jogador mais veloz na saída de bola);

Placador de franca boa qualidade, conseguindo assumir uma posição de domínio aplicando uma força e técnica total que já deixou alguns adversários pelo chão;

– Bons índices técnicos em certos parâmetros do jogo, seja na entrega do breakdown, no lançamento de jogo através de offload ou na mudança de velocidade;

Internacional sub-20 pela Austrália (em amigáveis, não chegou a ser convocado para Campeonatos do Mundo ou torneios internacionais), Swinton foi crescendo nos New South Wales CountryEagles, desenvolvendo-se como atleta e, especialmente, pessoa, pois tinha um lado mais tempestivo que resultou em algumas expulsões em jogos do escalão júnior. Em 2017 chegou aos Eagles pelos quais assinou um contrato de dois anos, trabalhando afincadamente até ao ponto que foi seleccionado para prestar provas nos NSW Waratahs, uma das principais franquias australianas no Super Rugby.

Daryl Gibson necessitava de mais opções para a 2ª e 3ª linha, um vez que em ano de Mundial iria perder consecutivamente jogadores como Ned Hanigan, Rob Simmons, Michael Wells, Michael Hooper, Jack Dempsey ou Jed Holloway, todos atletas dos Wallabies. Lachlan Swinton deu excelentes provas durante a pré-época, assumindo-se como um placador agressivo e letal, um jogador com uma apetência para dominar no seu trabalho nas fases estáticas e um portador de bola que dificilmente não ganhava a linha de vantagem, conquistando assim lugar para a temporada 2019.

O multifacetado avançado alinhou em 13 encontros, completando quase 500 minutos na temporada, que não parecendo muito foi o suficiente para perceber se tinha qualidade ou não para se manter na franquia… vejamos alguns dados estatísticos: 254 metros com a bola em seu poder (Michael Hooper completou mais de 624 mas jogou mais de 1141 minutos), 6 defesas batidos, 4 turnovers, 76 placagens, 1 quebra-de-linha e 5 offloads.

Em 445 minutos trouxe impacto, potência, volatilidade e uma presença física que no geral foi dominadora, abrindo boas perspectivas para 2020. Mas Swinton tem francamente qualidade ou não para chegar a um patamar superior? Vai depender da evolução e superação perante a concorrência de Michael Hooper, Jack Dempsey, Jed Holloway na 3ª linha e de Rob Simmons, Tom Staniforth e Ryan McCauley na 2ª, sendo que Rob Penney já deu um voto de confiança em Swinton ao dar a luz verde para renovação do jovem de 22 anos pelos Waratahs (contrato de três anos).

A pujança física, o semblante duro e fechado e capacidade de surpreender tecnicamente apesar do tamanho que ostenta, são marcas de um jogador ambicioso e com os olhos postos em atingir o ponto mais alto no rugby australiano… chegar aos Wallabies. Durante a National Rugby Championship (campeonato provincial da Austrália), Lachlan Swinton recolheu constantes elogios por parte dos comentadores e treinadores adversários, vincando o papel de enforcer (o jogador que se impõe fisicamente de uma forma constante, colocando os adversários na “retranca”) e líder, equiparando com Rob Simmons ou Jed Holloway, o que deixa algumas pistas para perceber qual o nível que pode atingir.

Veremos até que ponto Swinton vai ser uma das novas armas de arremesso dos ‘tahs, que bem precisam de ter soluções para avançada que não seja Michael Hooper, Jed Holloway ou Michael Wells, atletas que são “forçados” a assumir constantemente a equipa, levando-os a um desgaste total.

A verdade é que Drew Mitchell já deixou escapar alguns elogios a Swinton, afirmando que vê no jovem atleta dos Waratahs um elemento de alta qualidade para o futuro dos Wallabies!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter