Premiership 20/21 9ª e 10ª Jor: Quins e Saints atacam os lugares de playoff

Helena AmorimFevereiro 23, 20214min0

Premiership 20/21 9ª e 10ª Jor: Quins e Saints atacam os lugares de playoff

Helena AmorimFevereiro 23, 20214min0
Há mudanças na luta pelos quatro primeiros lugares da Premiership e os Harlequins e Saints estão lançados em alcançar o Playoff. A 9ª e 10ª jornada analisados por Helena Amorim

Duas jornadas da Premiership com Quins e Saints a confirmarem a sua boa fase e Wasps e Sale a derrapar um pouco. Exeter mantem segundo lugar atrás dos Bears. Realizaram-se nestes últimos dois fins de semana, duas jornadas da Premiership, com dois jogos (um em cada jornada) a serem cancelados devido ao vírus: Saints e Falcons não jogaram a nona jornada e Worcester e Falcons não jogaram a décima.

Na jornada 9, Gloucester perdeu frente ao Bristol por 17-18, nos últimos minutos de jogo com uma penalidade convertida por Ioan Lloyd. Santiago Carreras teve uma noite com bons números na sua posição a ponta direito. Pelos Bears, Piers O’Conor, o segundo centro, foi o destaque.

Sale foi derrotado pelo Bath por 22-27. Foi um encontro dividido: a primeira parte para o Bath e a segunda para o Sale. Os ensaios do Bath foram todos na primeira parte por intermédio de Glanville (defesa), Dunn (talonador) e Bayliss (asa). Os Sharks acordaram na segunda parte e ainda conseguiram fazer um ponto de bónus defensivo.

Exeter venceu o London Irish por 26-3. Os Exilados vinham fazendo uma caminhada interessante mas neste jogo foram praticamente figura de corpo presente. Sam Simmonds, o “8” mais descurado pela Selecção desde sempre e para sempre, fez dois ensaios e conseguiu o seu décimo ensaio na época! Dave Ewers e Cuthbert trataram do resto.

Worcester perdeu com Wasps por 13-17 com James Gaskell e Tom Willis a marcarem na primeira parte para os Wasps e Nick David a reduzir para os da casa, com um ensaio na segunda parte.

No grande jogo da jornada, pelos sete ensaios marcados, pela fluência de jogo, pela agressividade positiva, pelas placagens assertivas e pelo flair que alguns jogadores souberam emprestar ao momento, os rejuvenescidos Quins venceram os Tigers por 37-24. São duas equipas que têm conseguido encontrar-se um pouco mais, depois de uma temporada passada onde ficaram muito aquém das expectativas.
Os Harlequins conseguiram três ensaios na sequência de plataformas estáticas (dois alinhamentos e uma formação ordenada), com Mike Brown aos 9 minutos de jogo, Marcus Smith aos 30 e Andre Esyterhuizen aos 40+1. Lewis Kynagh fez também um ensaio.

Os Tigers começaram melhor com um ensaio aos 4 minutos fruto de várias fases desenvolvidas e toque de meta a ser realizado por Kyle Brink, o asa. O formação Jack van Poortvliet teve um momento super inspirado que deu origem ao seu ensaio aos 32 minutos e George Martin ainda equilibrou com um ensaio aos 46 minutos.

Na jornada 10, Bath conseguiu uma vitória esforçada frente ao Gloucester por 16-14 com uma penalidade. Os Northampton Saints visitaram o campeão em título tendo conseguido arrancar a ferros uma preciosa vitória que os colocou no top 4. Piers Francis foi o homem do Jogo pelos Saints com o resultado final a ser 12-13.

Quins e Sale encontraram-se num embate muito interessante, com o resultado final a ser: 24-12. Dombrandt continua a fazer boas exibições e o primeiro ensaio dos Quins foi um momento inspirado de Dombrandt que quebrou a linha defensiva e passou a Brown que acelerando deu na ponta a Joe Marchant para finalizar; aliás Marchant bisou no jogo, tudo no espaço de três minutos. Os Quins estavam bem fluidos e um dummy perfeito de Marcus Smith, permitiu-lhe ganhar vantagem sobre o adversário e dar a Dombrandt a marcar. Sale reagiu qualquer coisa mas teve muita fraca finalização. Bela arbitragem de Ian Tempest.

Tigers receberam e bateram os Wasps em 27-8, aprofundando a fase de instabilidade dos wasps e reforçando a inspiração dos Tigers nas recentes jornadas.

London Irish e Bristol Bears protagonizaram aquele momento raro em rugby: um empate a 34 pontos. Os Bears têm uma vantagem de três pontos sobre o segundo classificado mas foram surpreendidos pelos Irish e a sua determinação. Bristol chegou a ter na sua mão um bonito resultado de 31-6, o que diz muito sobre o que os Exilados tiveram de conquistar, com ensaios de Theo Brophy-Clews, Nick Phipps e Tom Parton.

Os reforços do banco “verde” foram catalisadores importantes na reviravolta do resultado como Phipps, Sean O’Brien e Agustin Creevy. Ratu Naulago fez um bis e Piers O’Conor e Chris Vui arrancaram o ponto de bónus ofensivo para os Bears ainda na primeira parte mas ficou curto face a uma grande resposta dos surpreendentes London Irish.

A vitória dos Harlequins na recepção aos Sale Sharks


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter