Os 3 Super Players da 5ª Jornada do Super Rugby 2020

Francisco IsaacMarço 2, 20204min0

Os 3 Super Players da 5ª Jornada do Super Rugby 2020

Francisco IsaacMarço 2, 20204min0
E quem foram os destaques desta 5ª jornada do Super Rugby? Escolhemos três homens das linhas atrasadas com Vince Aso a merecer grande destaque na vitória dos Hurricanes ante oS Sunwolves!

Foi um fim-de-semana de jogos recheados de avalanches de ensaios e resultados surpreendentes, com os Rebels a saírem da Nova Zelândia com uma (improvável) vitória, os Wartahs a porem um travão à sua crise de resultados e os Blues a registarem uma das suas melhores exibições de sempre, com Otere Black e Stephen Perofeta a serem fundamentais nesse encontro.

Escolhemos os 3 jogadores que captaram a nossa atenção desta 5ª jornada do Super Rugby

OTERE BLACK (BLUES)

Não fez nenhuma quebra-de-linha, não marcou qualquer ensaio, não assistiu ninguém para um toque de meta, mas não significa isto que não foi responsável por uma excelente exibição na visita dos Blues ao Estádio de Newlands, recinto de jogo que não ganhavam desde o ano de 2009. O abertura de 24 anos registou a sua primeira exibição convincente pela franquia neozelandesa sediada em Auckland, onde o seu jogo ao pé foi essencial para esta vitória memorável da equipa treinada por Leon McDonald, não esquecendo o recital que deu em termos de dar velocidade e continuidade à estratégia de jogo dos Blues.

Otere Black encaixou 7 pontapés em 7 aos postes, apresentando 100% de eficácia neste “departamento” o que rendeu cerca de 18 pontos dos 33 totais dos Blues. No que concerne ao jogo jogado, o nº10 foi dando as ordens certas, conseguindo “alimentar” o seu par de centros ou garantir uma velocidade de bola suficientemente boa para que Perofeta aparecesse lançado nos espaços “construídos” dentro da linha-defensiva dos Stormers, semeando o pânico e o início das jogadas mais perigosas do encontro.

Black mostrou que não está nos Blues para cumprir calendário e, mesmo com a chegada de Beauden Barrett, não parece estar preocupado em lutar pelo seu lugar apresentando bons argumentos para se aguentar nos escolhidos de Leon McDonald até ao fim da temporada.

Uma boa jogada de Otere Black que depois acaba em penalidade convertida pelo próprio (minuto 3:52)

VINCE ASO (HURRICANES)

Vamos aos números primeiro? Então foram 120 metros com a bola em seu poder (zero erros de handling), 6 quebras-de-linha (resultaram em 4 ensaios), 7 defesas batidos, 2 offloads (ambos deram ensaio aos ‘canes), 1 ensaio e 4 assistências merecendo obviamente o prémio de MVP desta vitória fácil dos Hurricanes ante os Sunwolves.

O centro foi em 2016 fundamental para a conquista do título e em 2017 registou uma temporada sensacional com 14 ensaios em 15 jogos, para depois adormecer em 2018 (9 jogos e 4 ensaios) e 2019 (4 jogos) em virtude das lesões que sofreu na altura. Agora em 2020 parece estar de regresso o melhor Vince Aso e neste seu segundo jogo a titular pela franquia de Wellington realizou uma das exibições de melhor qualidade, combinando com Laumape de forma perfeita, o que permite aos adeptos sonharem com algo de especial para esta época.

Vale a pena ver e rever os vários apontamentos de Aso durante o encontro, seja aquele pontapé final que resultou no seu ensaio (um erro de palmatória do jogador dos Sunwolves, mas mesmo assim o pontapé do centro conquistou uns 80 metros), o timing certo até realizar o passe para as mãos de Chase Tiatia (é uma perfeita demonstração de o que fazer em jogo contínuo) ou os sucessivos e belos offloads que realizou, despertando brechas na débil defesa da equipa japonesa.

O ensaio de Aso (minuto 5:29)

ANDREW KELLAWAY (REBELS)

Cuidado senhores e senhoras na hora de passar a bola, porque Andrew Kellaway está sempre nas “sombras” à espera do melhor momento para interceptar a bola! O ponta dos Rebels fez dois dos quatro ensaios da sua equipa em casa dos Highlanders, ambos de intercepção a passes mal esboçados por parte dos jogadores neozelandeses que o velocíssimo australiano transformou em pontos para a sua equipa.

Foi um dos reforços dos Melbourne Rebels para esta temporada e rapidamente conquistou o seu lugar no XV de David Wessels com 5 ensaios em 5 jogos, sendo para já uma das referências do rugby australiano do Super Rugby 2020. O poder de aceleração e capacidade de análise de jogo veloz permitem-lhe estar sempre pronto para aproveitar os erros da equipa adversária ou sair disparado numa boa jogada da sua equipa, conseguindo realizar 150 metros de conquista, 3 quebras-de-linha e 5 defesas batidos numa exibição ainda de qualidade na recepção dos pontapés, mantendo uma concentração de excelência durante todo o encontro.

Móvel, intenso, dinâmico e possuidor de uma série de skills de fina qualidade, o ponta de 24 anos (foi sub-20 da Austrália entre 2014 e 2015) parece querer não só se afirmar no contexto dos Melbourne Rebels, mas também do rugby australiano de forma a ser chamado para os Wallabies já neste ano de 2020. É uma “arma” à ponta letal e Dave Rennie sabe bem quem poderão ser os novos Wallabies que ajudem a construir uma selecção mais compacta e ameaçadora para o presente e futuro.

A intercepção de Kellaway (minuto 3:51)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter