Operação Vichy: os 7’s sub-18 femininos e o sonho do pódio

Francisco IsaacAbril 24, 20187min0

Operação Vichy: os 7’s sub-18 femininos e o sonho do pódio

Francisco IsaacAbril 24, 20187min0
Os 7's de Portugal vão entrar na disputa por um lugar nos próximos Jogos Olímpicos da Juventude. Fica a conhecer os comos, quandos e porquês neste artigo!

De partida para a França está a selecção feminina de 7’s do escalão sub-18, mais concretamente com viagem apontada para Vichy! A selecção Nacional tem o Campeonato da Europa Championship debaixo de olho e com uma fornada de jogadoras cada vez mais apaixonadas pelo rugby, será uma excelente oportunidade para percebermos o nível que Portugal está neste momento.

Mas para o leitor que desconhece esta realidade, podem existir uma variedade de perguntas, no qual o Fair Play tentará responder com clareza e certeza. Façamos nós algumas!

Quando se realiza este Campeonato da Europa de sub-18 de 7’s? Entre os dias 28 e 29 de Abril, em Vichy num espaço totalmente preparado para a recepção dos jogos!

Que selecções competem? Este ano só formações europeias, uma vez que em 2017 Canadá e Estados Unidos da América foram convidados a participar (Portugal ganhou aos EUA por 7-0 e perdeu por 50 de diferença frente aos canadianos). A Inglaterra e País de Gales foram os finalistas da edição anterior, mas este ano surgem como equipa Grã-Bretanha, o que vai aumentar a competitividade.

A juntar a Portugal e o Reino Unido, temos Irlanda, Geórgia, Alemanha, Andorra, Bélgica, Ucrânia, Holanda, Letónia, Rússia, Polónia, Espanha, Suécia, França e Itália. Isto significa que vão estar todas as principais selecções do Continente Europeu, conferindo uma dimensão formidável ao Campeonato da Europa.

Como correu à equipa em 2017? Portugal terminou nos 4 primeiros, tendo-se apurado para a Cup após vitórias na fase-de-grupos frente à Espanha (7-5), Holanda (7-5) e EUA (7-0). No dia das finais, a selecção portuguesa somou duas derrotas frente ao País de Gales (28-05) e França (28-00), selecções com outra tradição na modalidade e variante.

Quem são os nossos adversários em 2018? O grupo de Portugal inclui a Bélgica (estreante), Polónia e Espanha. Três jogos por equipa na fase-de-grupos e depois mais dois a eliminar. A dificuldade é acrescida devido à presença da Espanha, uma selecção que está em franco desenvolvimento nos sub-18 femininos, uma vez que são das selecções que marcam presença nos World Rugby Women’s Sevens Series como equipa residente.

A equipa do Reino Unido, Irlanda e França são outros adversários de respeito, com boas equipas, normalmente não só rápidas mas bastante “agressivas” no contacto.

A que horas jogamos? Portugal-Polónia às 09h44, Portugal-Bélgica 13h24 e Portugal-Espanha 16h42.

Esta competição apura as equipas para algum evento? Sim, para os Jogos Olímpicos da Juventude. Com a estreia do rugby nos Jogos Olímpicos em 2016, a modalidade também foi “abraçada” nestes JO da Juventude. Infelizmente, o número de participantes é algo reduzido, com 12 equipas, 6 para os masculinos e 6 para os femininos. No Campeonato da Europa de sub-18 só um poderá apurar-se para essa competição e o favoritismo está nas “mãos” do Reino Unido e França.

Para o bem da modalidade, seria interessante termos uma competição Olímpica com mais participantes, já que os 7’s são uma variante muito rápida, dinâmica e divertida, não tendo grandes paragens ou momentos “parados”. 14 minutos de jogo, 7 em cada parte, com 7 contra 7, é uma variante perfeita para fazer boa publicidade para a modalidade.

Há forma de ver os jogos? Para o público que não pode acompanhar este elenco dos sub-18, poderá assistir a toda à competição graças a um streaming disponibilizado pela organização. A partir do dia 28 de Abril poderão ver a competição no site da Rugby Europe, seleccionando o jogo que desejam ver. Cliquem neste link e acedam à grelha de jogos: Rugby Europe sub-18.

Quem é a equipa técnica? Liderada por João Catulo, seleccionador-nacional de sub-18 desde 2014 (entrou nas selecções femininas em 2009 com Rui Carvoeira), é auxiliado ainda por João Barros (Belas RC) que assume o papel de treinador-adjunto e director de equipa. A somar a estes dois ainda estará José Carlos Rodrigues enquanto fisioterapeuta.

Quem é que vai jogar por Portugal? Em comparação com o elenco que jogou o mesmo torneio em 2017, só três transitaram dessa formação, sendo dessa forma as “líderes” da companhia: Ana Ferreira (MRC Bairrada), Marta Antunes (RC Tondela) e Bruna Andreso (ER Lifeshaker). De resto, muitas estreantes como podem ver pela imagem, algo que prova que o rugby português de 7’s feminino está bem a nível dos sub-18.

Na convocatória destaque para o facto para uma miscelânea de clubes que cederam os seus atletas, com MRC Bairrada, RC Tondela, Belas RC, CR São Miguel, Sporting CP, ER Lifeshaker, ER Galiza, Agrária Rugby, CAB (França) ou RU Aveiro.

O Fair Play vai seguir com atenção a participação das internacionais portuguesas que disputam a sua primeira grande prova internacional! Em Vichy, o escalão de sub-18 vai demonstrar os skills necessários para se divertirem e “irritarem” as suas adversárias!

João Pedro Catulo, seleccionador de sub-18, respondeu a algumas questões do Fair Play:

Este elenco que vai participar no CEuropa de 7’s sub-18 é uma equipa capaz, com boas ideias e com skills interessantes? Onde teremos que ser consistentes?

JPC.  Esta nossa seleção Sub 18 feminina, tem muito potencial, no entanto tem pouca experiência de jogo, principalmente ao nível internacional. Apenas restaram 3 jogadoras da equipa do ano passado, enquanto a Espanha, por exemplo, terá 5 atletas que já tiveram essa experiência no europeu anterior.

Temos atletas com potencial para fazer a diferença dentro de campo, fisicamente e tecnicamente, mas acima de tudo a equipa vale pelo grupo. Neste Europeu Sub 18 podemos esperar uma equipa unida que irá batalhar muito para alcançar os seus objectivos.

Esta época tivemos pouco tempo de preparação, poucos estágios e ao contrário de épocas anteriores não tivemos uma digressão, um torneio de preparação, que é algo que faz sempre muita diferença. O nosso objectivo este ano é reduzir os erros, temos trabalhado com esse intuito.

O que é que podemos esperar dos nossos adversários? O desafio com a Espanha será o mais complicado da fase-de-grupos?

JPC. Ao nível senior feminino nós conheçemos muito bem a qualidade, o modelo de jogo, as jogadoras decisivas da maioria das seleções europeias e até mesmo mundiais, no entanto no escalão Sub 18 as equipas são sempre muito imprevisíveis. De uma época para outro mudam radicalmente. Desde 2014, no 1 europeu na Suécia que temos observado que são muito poucas as seleções que conseguem manter uma boa consistência todos os anos. Tirando as principais potências, Inglaterra, França e pouco mais, de um ano para o outro as equipas sobem ou descem muitos lugares. 

A Espanha é sempre uma forte candidata a qualquer competição de rugby feminino. Recordo que nos últimos anos teve sempre nos primeiros lugares e o ano passado era uma forte candidata também, no entanto o torneio não lhes correu bem, no primeiro jogo perderam logo connosco, mas este ano esperamos uma selecção bem mais forte. Todos os nossos jogos serão muito difíceis.

Polónia e Bélgica estão a apostar muito nos últimos anos no Rugby Feminino, principalmente na variante de Sevens e a Espanha é uma forte candidata a vencer o grupo. As nossas seleções femininas têm sempre uma alma muito forte, um excelente espírito de sacrifício e esse poderá ser mais uma vez um fator decisivo para um bom desempenho.

Foto: FPR

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter