O “sidestep” do CN1: Évora dita a lei dos avançados e mantém o 1º lugar!

Francisco IsaacNovembro 11, 20197min0

O “sidestep” do CN1: Évora dita a lei dos avançados e mantém o 1º lugar!

Francisco IsaacNovembro 11, 20197min0
Guimarães fez uma exibição personalizada em casa mas não foi suficiente para vergar o CR Évora que mantém o 1º lugar no Campeonato Nacional 1! A análise à 5ª jornada no Fair Play

De uma primeira parte que parecia gloriosa para o Guimarães RUFC para uma cambalhota na segunda metade do encontro em que o CR Évora exerceu o seu domínio no pack de avançados e conquistou 5 pontos. Este foi um dos destaques da 5ª jornada do CN1, com destaque ainda para a grande vitória dos Jaguares na recepção ao RC Santarém!

GUIMARÃES TENTOU A SORTE MAS O PACK DO ÉVORA IMPEROU!

Mais uma daquelas reviravoltas que mostra a capacidade mental das equipas do Campeonato Nacional 1, com a formação eborense a recuperar de um 24-07 na primeira-parte para fechar com uma vitória de 36-27 nos segundos 40 minutos. Como? Poderíamos dizer que foram erros defensivos e faltas da equipa da casa, mas foi essencialmente pela demonstração de categoria física e capacidade mental dos comandados de Miguel Avó que houve esta cambalhota no marcador, com o destaque a ir para a voz e trabalho exemplar de José Leal da Costa.

O internacional português não deixou os seus colegas baixarem os braços e motivou-os a continuarem a acreditar no processo, carregando uma e outra vez nas formações estáticas e espontâneas, o que acabou por quebrar a formação vimaranense (sentiu falta de Samuel Lemos como unidade de ataque de acção rápida).

Mesmo com Bruno Silva a fazer 22 pontos (dois ensaios de intercepção, três conversões e dois pontapés de penalidade) e André Gomes a bater-se bem no eixo dos centros, o Guimarães RUFC teve dificuldades em aguentar o virtuosismo técnico de Francisco Borges, que foi abrindo boas linhas de ataque ou a ganhar metros ao pé.

Um jogo para ver e rever, com uma curta entrevista com José Leal da Costa,

Mais uma vitória do Évora nesta temporada… É o arranque de épocas que projectavas? Onde estão os pontos fortes?

Este ano a equipa mudou um pouco com a saída de alguns jogadores experientes e a integração de outros mais novos. Temos entrado para os jogos sempre com o objetivo de ganhar e tem corrido bem essa parte. Outro objectivo é integrar os jogadores novos e também temos conseguido. Este ano mudamos o sistema de jogo e no início acabámos por nos encostar mais ao trabalho do pack avançado que tinha mais continuidade do ano passado. Mas a pouco e pouco as coisas estão a começar a sair e na segunda parte ontem em Guimarães fizemos um excelente jogo em equipa, depois de na 1a parte termos montado bem mas feito demasiados erros, incluindo “oferecer” duas intercepções que nos deixou sobre pressão no marcador.

O Évora já atingiu a sua melhor forma? E a competitividade do CN1, qual é a tua opinião sobre esta temporada?

Como disse na 1a resposta, este ano implementámos um novo modelo de jogo que demora sempre algum tempo a automatizar para os jogadores. Desse aspeto acho que temos melhorado de jogo para jogo e acredito que vamos ainda melhorar mais. Também com os jogadores mais novos a ganhar confiança e a evoluir, acredito que temos espaço para crescer!

A SEGUNDA DO BRAGA CHEGOU COM BRILHANTISMO DE FONTES

Numa tarde de frio, mas sem chuva, o Braga Rugby recebeu o Rugby Vila da Moita e foi buscar a vitória depois de ter estado a perder por dezassete pontos a três… valeu o espírito fantasista de Tomás Fontes, que rubricou uma excelente exibição com 12 pontos marcados, ajudando os “gladiadores” a dar a volta ao encontro. Foi um encontro decidido no confronto entre avançados, assistindo-se a domínios das duas equipas em diferentes períodos do jogo, com os moitenses a mostrar uma predominância durante os primeiros 20 minutos para depois o Braga montar boas operações de ataque “pesado” nos 40 metros adversários.

A vitória não ficaria mal a nenhum dos lados, mas o maior querer do Braga Rugby garantiu-lhes uma 2ª vitória no Campeonato Nacional 1 fugindo assim da última parte da tabela.

Tomás, depois de umas semanas menos boas finalmente uma vitória! Qual foi o vosso foco neste jogo? E como deram a volta num encontro que começou até mal?

O nosso foco para todos os jogos é sempre a vitória. Neste jogo sabíamos que à partida íamos ter alguma vantagem na formação ordenada e nos centros. Acho que foi esse o segredo desta vitória, tivemos a calma para usar os nossos pontos fortes e ganhar metros no campo.

Sentes a tua equipa a crescer? O que esperas no futuro próximo?

Sim noto um crescimento da equipa. Jogar todos os fins de semana tem contribuído bastante para isso, uma equipa jovem como a que temos precisa de tempo em campo e este ano tem sido bastante positivo nesse aspeto. O objetivo para o futuro próximo é só continuar a crescer como temos feito e assegurar mais vitórias.

CALDAS RECUPEROU O VOO E MANTÉM O 3º LUGAR

Sem Tomás Jacinto, Tomás Lamboglia e Jonathan Nolan, o Caldas Rugby Clube entrou em campo nas Caldas-da-Rainha e conquistou os 5 pontos com relativa facilidade, derivado de um jogo de qualidade no ataque onde Alexandre Vieira, Diogo Vasconcelos e Oscar D’Amato destacaram-se durante todo o encontro, a começar pelo primeiro que se apresentou como abertura neste encontro da 5ª jornada do Campeonato Nacional 1. No par de centros D’Amato rubricou uma exibição de alta qualidade, mostrando-se voraz no aproveitamento do espaço concedido pela linha-defensiva contrária, onde o seu poder de aceleração e explosão fizeram constantes danos ao RC Elvas.

Outro dos pormenores de relevo no encontro vai para a capacidade de passe no contacto dos “pelicanos”, disparando bons offloads para um apoio sempre disponível e próximo, algo que facilitou o acesso à área de validação contrária. O Elvas só mostrou outra mentalidade na segunda-parte, mas já não foi a tempo de fazer pontos ou de esboçar um resultado diferente. O 36-00 justificou-se perante o domínio total da equipa da casa durante o encontro!

SÃO MIGUEL RECUPERA DE DESLIZE INICIAL E JAGUARES FRENÉTICOS FAZEM NOVA SURPRESA

Os “bulldogs” mantiveram o 2º lugar do CN1, estando a apenas 1 do CR Évora, apesar de terem começado o jogo a perder fruto de uma intercepção de Gonçalo Costa. Porém, a formação lisboeta recuperou deste erro inicial e foi atrás do resultado, conquistando uma vitória por 32-11 no final do encontro, com Alexandre Garrett, Sabata Mokhachane (5º ensaio no CN1), Tomás Cardoso, André Lemos e Rui Freitas a serem os autores dos 5 ensaios da equipa comandada por Nuno Damasceno e Paulo Silva.

Em Monsanto, no último encontro da 5ª jornada, houve super-surpresa com os Jaguares de Pedro Vital a derrotar o RC Santarém por contundentes 38-05… inesperado, improvável mas ao alcance de uma equipa que gosta de desafiar tudo e todos. Os Jaguares foram mais eficientes e frios no controlo da oval e foram construindo um resultado largo desde cedo, perante uns “cavaleiros” debilitados fisicamente por algumas lesões que aconteceram durante o encontro.

O “LINEBREAKER” DA SEMANA

Gonçalo Sampaio (Jaguares), Tomás Fontes (Braga Rugby) e José Leal da Costa (CR Évora). O utility-back foi autor de 23 pontos durante a vitória-surpresa ante o Santarém, mostrando bons pormenores durante o encontro. Já Tomás Fontes foi um autêntico problema para o RV Moita, já que se mostrou várias vezes ilegível nos sidesteps e outros detalhes técnicos. E, por fim, José Leal da Costa que se mostrou um comandante autoritário e difícil de parar no contacto curto, impondo-se fisicamente em diferentes períodos de jogo.

5ª JORNADA – CALENDÁRIO

A divulgar

LISTA DOS MELHORES MARCADORES


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter