NZ Metro, Samurais ou Navigators na corrida ao título do Algarve 7’s?

Francisco IsaacMaio 29, 201813min0

NZ Metro, Samurais ou Navigators na corrida ao título do Algarve 7’s?

Francisco IsaacMaio 29, 201813min0
Toda a antevisão a uma das maiores provas de rugby ibérico vai decorrer no Algarve com a presença especial dos Navigators, New Zealand Metro e muito mais! Lê tudo e enjoy the sun!

A trama está montada, os candidatos escolhidos, os participantes prontos (alguns já a caminho do Algarve) e o evento vai ter a presença de 32 equipas séniores (estamos a incluir os séniores mais experientes, ou como são conhecidos, os Vet’s) masculinas e femininas no Complexo Desportivo de Vila Real de Santo António.

Falamos claro do Algarve 7’s, um dos maiores eventos de 7’s da Europa, ombreando com o DHL Oktoberfest 7’s, Premiership Rugby 7s (esta prova não está aberta a equipas convidadas) e os Roma 7’s. Os dias 2 e 3 de Junho serão portanto um festim de jogadas espectaculares, de magia a partir dos offloads, ensaios inesquecíveis e muito mais.

SEVEN REASONS TO COME AND ENJOY THE SUN!

Para aguçar o interesse, há ainda mais alguns factores decisivos para termos bancadas cheias em Vila Real de Santo António. Quais? Vamos enumerar rapidamente algumas e depois dispensar o tempo em duas!

1- New Zealand Metro: se gostam de rugby kiwi esta equipa recheada de jogadores neozelandeses será a indicada para vocês. Ainda não se sabe ao certo quem são os jogadores, mas são atletas que estão acostumados a jogar a variante. DJ Forbes era/é um dos nomes falados, mas ainda há muito para desvendar;

2- Samurai 7’s: Pedro Leal vai voltar a liderar estes globetrotters dos 7’s mundiais, com jogadores da PROD2, Green King Championship, Premiership Rugby, Liga espanhola, entre outros. É uma equipa internacional e que tem os argumentos necessários para conquistar o público;

3- Navigators: os Barbarians Portugueses dos 7’s vão estrear-se no Algarve e vai ser uma espécie de passado encontra-se com o presente. Atletas que não têm sido chamados à selecção nacional da variante, mas que têm toda a qualidade para representar as cores nacionais;

4- SL Benfica: as femininas do rugby português vão estar no Algarve com o intuito de ganhar a competição. São actualmente vice-campeãs da variante (perderam frente ao Sporting CP pela diferença de pontos, equipa que não vai participar na competição) e têm algumas das melhores atletas nacionais nas suas fileiras;

5- Russia 7’s: participante nas três últimas edições dos World 7’s Series (foi relegada agora em 2018), é um dos elencos mais fortes da competição. O físico agressivo, a forma como trabalham no contacto e a agilidade desmedida marcam esta equipa;

6- Sevens Marathon: dois dias intensos só dedicados à variante, num Complexo Desportivo que vai imitar o que de bom se faz lá fora. Não serão só jogos, mas também a festa em si, com concertos e outro tipo de actividades que transformam um simples torneio, num super evento;

7- A captação de novos sponsors para o rugby português que até agora não estavam “metidos” na bolsa de patrocinadores do rugby Nacional. A GLS, Samurai, a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, entre outros, são os apoios deste ano da Sports Ventures e dos Algarve 7’s.

Estes pontos são mais que suficientes para irem até ao Algarve e fazer parte deste evento. Contudo, vamos aprofundar dois pormenores que merecem ser mencionados: Navigators e Sponsors.

Foto: Sports Ventures

OS NOVOS DESCOBRIMENTOS SOBRE A BATUTA DOS NAVIGATORS

No artigo anterior já tínhamos explicado a essência dos Navigators, das ideias da sua criação e do futuro desta equipa no contexto internacional. Desta vez, vamos falar de quem vai jogar, liderar e, porque não, levantar um dos troféus do Algarve 7’s? Os atletas que vão participar pela equipa portuguesa são:

1- Diogo Miranda (CF “Os Belenenses”) 2- David Mateus (Rugby Vila da Moita) 3- Luís Sousa (GD Direito) 4- João Tavares (AAC) 5- Vasco Poppe (CF “Os Belenenses”) 6- Tomas Noronha (CDUL) 7- Caetano Castelo Branco (Nottingham Academy) 8- Duarte Marques (CDUP) 9- Vasco Baptista (CDUP).

Apesar de ainda faltarem confirmar outros três nomes da convocatória final, já há material suficiente para percebermos quem são os navegadores portugueses no Algarve. Diogo Miranda, David Mateus, Tomás Noronha, Francisco “Kiko” Magalhães e Luís “Banana” Sousa passaram pelo Circuito internacional de 7’s nos últimos 10 anos. As principais “caras” são Diogo Miranda e David Mateus, com o abertura do CF “Os Belenenses” a estar num excelente momento de forma.

Noronha foi responsável por alguns dos melhores ensaios dos 7’s nos últimos anos e será um atleta a tomar em conta para a competição. Afonso Rodrigues é, para já, a grande surpresa da convocatória. O defesa/abertura do CDUP foi um dos melhores jogadores do CN1, dando outra expressão ao ataque dos portuenses.

Resta esperar pelas três incógnitas finais, que não devem passar por Gonçalo Foro e Duarte Moreira, dois atletas que foram cogitados para participar no Algarve 7’s pelos Navigators, mas ambos os atletas mereceram convocatória para a Selecção Nacional de 7’s, regressando às ordens do seleccionador nacional, António Aguilar, isto e apesar de terem sido excluídos nos últimos anos.

A equipa liderada por Mateus&Miranda vai estar inserida num dos grupos mais complicados da competição, ao lado de New Zealand Metro, Hong Kong e Catalunha. Veremos o que este elenco de Basbas portugueses conseguirão fazer na competição!

SENHORES E SENHORAS, OS GRUPOS ESTÃO LANÇADOS!

Em relação aos restantes grupos, que podem visualizar em baixo, há as seguintes notas: no Grupo B os Samurai partem como favoritos ao lado da Rússia, com a Alemanha e a Universidade de Edimburgo a “correr por fora”. Contudo, o jogo grande será mesmo entre a equipa de marca de equipamento desportivo (liderada pelo “nosso” Pedro Leal) e os czares.

No grupo C, António Aguilar terá que medir forças contra os Worcester Warriors (já habituados a este tipo de competição), Susies e a Universidade de Durham. É um dos grupos mais equilibrados, mas que Portugal tem a “obrigação” de sair em direcção à Cup.

As nossas apostas para os primeiros classificados de cada grupo são: New Zealand Metro, Samurai e Worcester Warriors. Navigators, Portugal e Rússia são os favoritos ao 2º lugar… todavia, nos 7’s rapidamente um favorito cai desse “cadeirão”.

E como estão os grupos em relação ao Men e Women Open? Também podem consultar os quadros competitivos na imagem disponibilizada pela organização, mas há que reter algumas ideias: dos clubes da CN1/2 foram poucos aqueles que se mostraram interessados em participar na competição, algo que se pode explicar pela falta de atletas para a variante (a selecção de XV está em trabalhos, com a de 7’s a participar no evento) e pela falta de organização.

Todavia, GD Direito, AIS Agronomia, CR São Miguel, Vila da Moita, SL Benfica serão os representantes nacionais no torneio.

A Universidade de Edimburgo também participa com uma equipa para além da sua equipa de nível College. Na divisão feminina, o SL Benfica vai lutar contra Hong Kong, a Universidade de Dundee e a Selecção da Catalunha. Uma passagem à fase seguinte pode valer uma série de encontros bem interessantes para as águias, uma vez que no Grupo B está a selecção Nacional e o GDS Cascais, para além da Universidade de Durham e Strathclyde.

E assim está lançado o torneio… sábado até às 16h00 com os jogos dos Veteranos (AEIS Agronomia, GD Direito, CR Évora e Algarve), Men e Women a decorrerem até a essa hora. Às 14h30 inicia-se o torneio de Elite que é o prato principal destes Algarve 7’s. Mas como é que é possível este evento todo ganhar forma? Bem, aí entra o 2º ponto a aprofundar: sponsors.

Foto: Sports Ventures

O OFFLOAD DE CONFIANÇA DOS SPONSORS DO ALGARVE 7’S

Uma palavra que tem marcado o rugby português desde 2007, os patrocinadores são sem dúvida alguma uma forma de bombear “sangue” para a modalidade. Os últimos anos tem-se assistido a um decréscimo profundo de apoios à Federação Portuguesa de Rugby, que tem se cingido a tentar recuperar a selecção nacional de XV e 7’s, depois das quedas acentuadas em 2015 e 2016.

A falta de apoios criaram problemas graves no financiamento dos vários projectos e “pastas” da modalidade, o que explica uma estagnação de alguns pontos do rugby português. Contudo, a Sports Ventures demonstrou que quando as condições são propícias (eventos bem trabalhados, marketing bem explorado, imagem nova e dinâmica são alguns desses elementos) é “fácil” ou mais exequível encontrar novos apoios para a realização destes torneios.

A CM de Vila Real de Santo António, GLS, Samurai são alguns destes novos envolvidos junto da modalidade em Portugal. Fomos tentar perceber o que alguns dos sponsors pensam do evento e o porquê da aposta.

Maria Cipriano Cabrita, Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, disponibilizou-se a responder a duas questões:

A aposta do município no turismo e eventos desportivos como veículo dinamizador da economia local.

MCC. É certo que o turismo é um pilar fundamental na economia do município. Contudo, os efeitos da sazonalidade eram por de mais sentidos, dado que a oferta turística se baseava tão-somente no binómio tradicional “sol e praia”. A diversificação tem vindo a acontecer com os grandes investimentos que o município foi paulatinamente fazendo nas vertentes do desporto e da saúde.

Constata-se que têm sido investimentos felizes. Hoje, o Complexo Desportivo de Vila Real de Santo António integra a rede nacional de Centros de Alto Rendimento Desportivo e é notória a sua projeção a nível nacional e internacional como uma instituição de excelência e de referência. Os eventos desportivos e os estágios, entre nós, de atletas de alta competição são uma constante. E, claro, a economia local agradece, como se reflete nos níveis de ocupação hoteleira que vamos tendo durante todo o ano.

Porquê a aposta no rugby e neste torneio internacional Algarve 7s?

MCC. Se falássemos apenas numa perspetiva de dinamização económica, poderíamos dizer que é claramente uma oportunidade para dar a conhecer ainda mais a variedade da oferta turística do concelho. Mas as coisas vão muito para além disso. Acreditamos que o Rugby, aqui na modalidade de Rugby Sevens, é um espetáculo desportivo emocionante, com uma elevada popularidade, e os seus adeptos hão de saber apreciar este torneio com o enquadramento natural que lhes oferecemos.

Por outro lado, o Complexo Desportivo de Vila Real de Santo António demonstra a sua extraordinária flexibilidade para o acolhimento de um variadíssimo leque de modalidades desportivas, contribuindo assim, e ainda mais, para a sua projeção nacional e internacional. Acreditamos, pois, que o município de Vila Real de Santo António tem claras capacidades para, em breve, se tornar na ‘capital do rugby algarvio’ e constituir uma referência ao nível da modalidade.

Do ponto vista empresarial, Victor Gonzalezdivision manager da GLS explicou bastante bem o porquê da ligação da empresa com a modalidade:

Porque é que a GLS decidiu apoiar o Algarve 7’s? O que vêem de tão interessante neste evento a se realizar em Vila Real de Sto. António?

A Sports Ventures mostra paixão no que faz e isso motivou-nos no sentido de apostarmos no mercado português. O Algarve 7’s é o evento ideal para definir a nossa filosofia empresarial em Portugal, já que a modalidade dá uma boa projecção tanto em Portugal, como na Península Ibérica e na Europa.

Gosta de rugby ou é um adepto recente? O que espera dos Algarve 7’s?

Cheguei ao rugby devido ao meu filho mais novo ter começado a jogar no CRC, na altura em que vivíamos em Espanha. Converti-me rapidamente num apaixonado pela modalidade e em Portugal consegui continuar a sustentá-la. O que esperamos deste evento? Associar os nossos valores da GLS Portugal aos do rugby e colaborar no crescimento e difusão deste espectacular desporto!

O evento ainda não aconteceu, mas a GLS é para ficar como sponsor para o próximo ano? E o que acha do trabalho da Sports Ventures?

No desporto há aquele ditado que diz “vamos de jogo em jogo”, mas não tenho dúvidas que a nossa relação com o torneio vai durar mais que um ano! A ligação com a Sports Ventures e com o José Diogo Trigo de Moraes (e o seu embaixador, Pedro Leal) é bastante boa e entendemos-nos bem. Vamos encontrar as fórmulas e sinergias certas para continuar a trabalhar juntas. A paixão que eles nutrem pela modalidade é exactamente igual aqui na GLS, uma vez que trabalhamos todos os dias para ser a referência de transportes e logística em Portugal!

Fica concluída esta antevisão com os grupos, horários, local e o que fazer durante estes dois dias de rugby, num fim-de-semana em que vai decorrer em Lisboa o jogo das Lendas dos Springboks versus uma selecção de veteranos de Portugal. Deixamos por últimos alguns nomes para seguirem durante o Algarve 7’s e, porque não, pedir uns autógrafos?

Samurai 7’s – Pedro Leal
Navigators – Diogo Miranda
Selecção Nacional Portugal – Duarte Moreira/Gonçalo Foro
SL Benfica – Sofia Nobre/Catarina Antunes
NZ Metro – Todd Clever

A Presidente de CM de Vila Real de Santo António, Drª Maria Cipriano Cabrita Foto: Sports Ventures

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter