O “sidestep” do CN1: Caldas ganha com Lamboglia e D’Amato em grande

Francisco IsaacOutubro 16, 20197min0

O “sidestep” do CN1: Caldas ganha com Lamboglia e D’Amato em grande

Francisco IsaacOutubro 16, 20197min0
A formação do Braga conquistou uma 1ª vitória no CN1 e o Caldas RC marcou 40 pontos na visita a Guimarães com Tomás Lamboglia a guiar bem os "pelicanos". A análise no Fair Play

O Campeonato Nacional 1 arrancou com ensaios, bons jogos e afirmações de força, com a equipa do Caldas RC a garantir 5 pontos no campo do Guimarães RUFC depois de uma 1ª parte interessante. E como foram os restantes jogos? A análise à 1ª jornada no Fair Play com um olhar mais profundo para três jogos e mais curto nos outros dois!

PELICANOS À ESPREITA GARANTEM BOA VITÓRIA NO ARRANQUE

O Campeonato começou como acabou, com o Caldas a sair vitorioso da Pista Gémeos Castro em Guimarães, lembrando que os “pelicanos” tinham já somado uma vitória neste recinto no último jogo da temporada passada e entram assim no campeonato da melhor forma. Os comandados de Patricio Lamboglia sentiram algumas dificuldades iniciais perante um Guimarães RUFC bem estruturado, notando-se uma segurança na luta no breakdown e na reposição das cortinas defensivas, tendo conseguido estancar algum do rasgo da formação das Caldas-da-Rainha.

Mesmo assim, e com algumas dificuldades nos primeiros 20 minutos, a equipa caldense carregou no “pedal” nos momentos certos e foi sendo incisiva na linha-de-vantagem, criando espaço suficiente para criar as roturas defensivas necessárias para chegaram ao ensaio por 3 ocasiões.

Ainda houve tentativa de resposta da parte da equipa de Jeremias Soares, mas a segunda-parte foi praticamente marcada pelo domínio dos “pelicanos” seja pelo recorte e comando táctico de Tomás Lamboglia ou pelo poder de choque e explosão de Oscar D’Amato, sendo que o centro argentino foi autor de dois ensaios no espaço de 7 minutos. O resultado de 40-19 é merecido e demonstra a qualidade técnica e táctica deste Caldas RC.

Tomás Lamboglia, médio-de-abertura e um dos líderes de equipa do Caldas RC, respondeu a duas perguntas após a vitória em Guimarães.

O Caldas volta ao campeonato como acabou o ano passado… A ganhar! Sentiste que estiveram sempre bem? Onde é que achas que podiam ter estado melhor?

Estivemos muito bem na defesa, coesos e muito agressivos na placagem. Não estivemos tão bem na efectividade na primeira parte, estivemos algum tempo nos 22 do Guimarães e não concretizámos tantos pontos quanto queríamos

A atitude foi a certa? Estão focados em que objectivos para este início de época?

a atitude foi muito boa, tivemos estreias de alguns jogadores muito novos e que se saíram mesmo muito bem. Objetivo só temos dois, que é ganhar sempre o próximo jogo. E ser campeões nacionais.

AVANÇADOS QUE MOEM E TRABALHAM É A LEI EM BRAGA

O Braga não podia pedir melhor estreia no Campeonato Nacional 1 do que uma conquista incontestável por 38-19 na recepção do RC Elvas, garantindo também o ponto de bónus ofensivo, atingindo assim a parte de cima da tabela logo na 1ª jornada. Os avançados dos gladiadores foram totalitários nas fases estáticas e nas saídas rápidas após os rucks, apresentando uma fisicalidade de alto impacto que apanhou o emblema alentejano completamente de surpresa, nunca conseguindo recuperar dos 17 pontos sofridos dos 40 minutos iniciais.

A 3ª linha do Braga foi o ponto de importância do jogo, mostrando-se ágil e propenso a fazer um tipo de combinações contínuas e sempre bem suportadas por um sistema de jogo simples e eficiente.

Maxence Peysson, atleta de 19 anos nascido em França e agora estudante em Portugal, foi das unidades que melhor se apresentou no XV treinador por Pedro Aguilar Monteiro, denotando uma panóplia de qualidades que vai marcar este Campeonato Nacional 1. Por sua vez, o Elvas tentou procurar uma estratégia ofensiva mais leve, baseado na velocidade de João Coelho e João Peralta (marcador de um dos três ensaios dos elvenses), mas faltou mais experiência e capacidade de aguentar a avalanche dos avançados do Braga Rugby.

O treinador e Presidente do Braga Rugby foi o nosso entrevistado pós-jogo e demonstrou-se satisfeito não só com o resultado mas também com a prestação dos gladiadores!

Pedro, estreia em grande do Braga no Campeonato Nacional 1 com uma boa vitória na recepção ao Elvas. Melhor a exibição do que o resultado ou estão satisfeitos com os dois aspectos?

O resultado foi muito bom, ainda para mais tendo conseguido ponto de bónus. A exibição não foi má, muito antes pelo contrário, mas há algumas situações a corrigir.

Quais são as preocupações neste momento do Braga neste início de época? Onde é que acham que podem estar melhor?

Neste momento, o mais importante é manter o grupo animado e motivado para um campeonato longo, onde há períodos longos de jogos consecutivos, sem folga para recuperar jogadores, com viagens muito longas, com impacto forte na vida social dos atletas o que é uma novidade para nos. Penso que o melhor da nossa equipa é precisamente o grupo em si, que é muito unido não podendo destacar este ou aquele ponto ou este ou aquele jogador.

SANTARÉM BONIFICADO, SÃO MIGUEL IMPRIME DOMÍNIO EM MONSANTO E ÉVORA JOGA NA REVIRAVOLTA

Os cavaleiros de Luís Monteiro Costa foram até ao Campo do Gaio em busca dos 5 pontos e conquistaram-nos, apesar de uma primeira parte de sufoco onde houve uma boa réplica inicial por parte da equipa da casa. Contudo, com Rafael Morales a executar aquele jogo elegante da criação de jogo, a formação do Santarém desbloqueou o caminho para o ensaio e chegou ao tal ponto de bónus ofensivo.

Já no campo nº2 do Grupo Desportivo de Direito, os Jaguares não conseguiram ter a estreia que desejavam neste Campeonato Nacional 1 e acabaram por ser derrotados por um São Miguel que se apresentou de forma dominante, mas que pecou na concretização. Os eleitos de Pedro Vital (que foi corrigindo bem o posicionamento dos seus comandados) tentaram suster o maior ímpeto físico e técnico dos bulldogs, sem que no final dos 80 minutos tenham conseguido mostrar as suas melhores tonalidades no que toca ao rasgo e irreverência ofensiva. O São Miguel de Nuno Damasceno e Paulo Silva garantiu o ponto de bónus, numa tarde em que Sabata Mokhachane estreou-se com dois ensaios, dando forma ao bom trabalho da avançada capitaneada por Felipe Lemos.

Já em Évora, Miguel Avó demonstrou o porquê de ser um dos treinadores mais experientes no Campeonato Nacional 1, ao conseguir dar as vitaminas certas aos seus atletas para virarem uma desvantagem de 00-14 para 31-14, com nota muito positiva para o trabalho do experiente José Leal da Costa. O pilar foi a voz de comando necessária para impor calma e foco nos seus colegas de equipa, ajudando assim a lograr uma reviravolta sensacional frente a um Bairrada duro, competente na placagem e interessante no manuseamento de bola… faltou um pouco mais de sorte e paciência aos homens de Luís Supico para terem garantido um resultado surpreendente mas que não seria inesperado perante a qualidade que apresentam.

Segue-se a 2ª jornada com um clássico do Alentejo entre Évora e Elvas e um “quente” (no bom sentido) Caldas-Jaguares!

O “LINE BREAKER” DA SEMANA

Sabata Mokhachane e Oscar D’Amato… os jogadores do CR São Miguel e Caldas RC deram show nas vitórias das suas equipas, com dois ensaios cada e uma série de pormenores que ajudaram a desbloquear a defesa contrária. O sul-africano começa bem no seu 1º ano no CN1, enquanto que o argentino continua a colher pontos e pontos, depois da temporada passada ter sido dos melhores marcadores do campeonato.

2ª JORNADA – CALENDÁRIO


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter