CN1 19/20: os jogos/jogadores decisivos para a recta final da fase regular

Francisco IsaacMarço 4, 20209min0

CN1 19/20: os jogos/jogadores decisivos para a recta final da fase regular

Francisco IsaacMarço 4, 20209min0
Estamos a aproximar-nos do fim do Campeonato Nacional 1 e nos 4 encontros que faltam jogar, destacamos aqueles que podem ser decisivos a par dos jogadores-nucleares!

Estamos à beira do final da segunda volta do Campeonato Nacional 1 2019/2020, com o destino da maioria dos participantes ainda por decidir e isto significa que ainda teremos emoção, espectáculo e potenciais surpresas até ao final de Abril!

Propomos quatro jogos a seguir com atenção e quatro jogadores que têm tudo para serem protagonistas nestes restantes 320 minutos que ainda faltam por jogar!

OS JOGOS QUE PODEM DITAR TUDO

CR SÃO MIGUEL VS CR ÉVORA… A LUTA PELA LIDERANÇA

É o grande embate desta ponta final do campeonato e, se nenhum dos dois perder pontos até lá, será um jogo decisivo para apurar quem vai ser o 1º classificado da fase regular. Os “bulldogs” ainda têm de receber o RV Moita e visitar o sempre difícil campo do RC Santarém, enquanto que os eborenses recebem o Braga Rugby e visitam Lisboa para defrontar os Jaguares… ou seja, há pelo menos 4 pontos em perigo para ambos os lados. Contudo, caso cheguem ao encontro de líderes marcado para Abril, as duas equipas vão ter que mostrar o seu melhor rugby e estratégia a meras semanas das meias-finais e não há dúvidas que passar em 1º ou 2º pode ser uma experiência bem diferente neste CN1.

Se os lisboetas apresentam um plantel bem apetrechado com várias e diversas soluções em todas as posições, os eborenses também não só não ficam atrás como estão ao mesmo nível seja pelo retorno de Manuel Murteira ou por terem em António Fonseca um “motor” intenso sempre a atacar a partir das fases-estáticas. É um confronto especial e que poderá conceder um boost extra para a fase final da temporada.

A melhor vitória do MRC Bairrada até aqui?

RC SANTARÉM VS MRC BAIRRADA… O VENCEDOR SEGUE PARA AS ELIMINATÓRIAS?

Dois clubes que já estiveram algo longe do 4º lugar, mas que entretanto recuperaram o fôlego e força suficiente para mudar a sua “realidade” estando agora na luta para marcarem presença na fase-final do CN1…. quem é que vai lá chegar? O encontro agendado para Abril entre “cavaleiros” e “bairradinos” vai ser praticamente decisivo para os dois e ainda por mais, já que fecha a fase regular de ambos os emblemas, sendo claramente um jogo de vida ou morte.

É óbvio que as próximas três jornadas podem ajudar a esclarecer melhor quem chega lá, não esquecendo claro os Jaguares que terão uma palavra a dizer, e o calendário não beneficia nenhum dos contenders: visitas a Braga e Caldas-da-Rainha e recepção ao CR São Miguel para os escalabitanos; viagem até aos recintos do Caldas RC e RC Elvas e recepção ao RV Moita. Hipoteticamente, e olhando para o nível entre adversários, é possível que o emblema de Anadia chegue à Escola Prática de Cavalaria nº4 com já o apuramento assegurado desde que some vitórias frente ao Elvas e Moita e que o Santarém perca por duas ocasiões sem obter ponto de bónus defensivo. Mas é tudo incerto e especulativo e tanto o MRC Bairrada ou RC Santarém estão num belo crescendo de forma que pode significar uma luta a dois até ao último suspiro.

CALDAS RC VS RC SANTARÉM… O DÉRBI DO OESTE MAIS IMPORTANTE DOS ÚLTIMOS ANOS?

Já falámos da importância para o Santarém obter bons resultados até ao fim e a visita ao campo dos seus rivais do Caldas RC pode ser significativamente fundamental para chegarem a uma fase final que lhes foge há vários anos, mas será possível derrubar o elenco ritmado e elétrico de Patricio Lamboglia?

O último Dérbi do Oeste deste Campeonato Nacional 1 vai ser jogado em Abril e deverá ser um show emotivo seja pela velocidade de movimentos de Diogo Vasconcelos, Alexandre Vieira, Salvador Cambournac ou pela inteligência táctica de Rafael Morales, Francisco Silva, Martim Faro ou Manuel Dentinho, sem esquecer duas avançadas diferentes e que terão de saber contornar as suas dificuldades para não serem vítimas de bullying durante o jogo. Uma vitória dos “cavaleiros” será encarado como uma grande dose de confiança para chegarem às meias-finais, sendo que a vitória do Caldas RC poderá significar uma aproximação ao 2º e, porque não, ao 1º lugar da tabela classificativa.

O jogo da primeira volta entre “pelicanos” e “cavaleiros”

RC ELVAS VS RV MOITA… A MANUTENÇÃO ASSEGURADA POR QUEM?

O Braga Rugby terá até ao fim do campeonato quatro oportunidades para fugir ao último lugar, porém e perante os adversários que terá de enfrentar até ao fim a manutenção é quase impossível, e isto significa que RC Elvas e RV Moita têm a franca chance de se manterem no Campeonato Nacional 1. Na última jornada ambos os emblemas vão se encontrar no Estádio Municipal de Elvas e caso cheguem com os pontos que apresentam neste momento, uma vitória pode significar a fuga a um jogo de playoff com o vice-campeão do CN2. Mas poderá o RV Moita ou RC Elvas carimbar a manutenção e 8º lugar ainda antes do tempo?

Os moitenses vão ter de jogar contra três jogos fora de casa, frente ao CR São Miguel, MRC Bairrada e RC Elvas, recebendo em casa o Caldas RC. Já o emblema alentejano vai ter de ir até ao Minho para enfrentar o Guimarães RUFC, para além de uma visita a Lisboa onde terá os Jaguares à sua espera, recebendo em casa frente ao MRC Bairrada e, finalmente, RV Moita. Ou seja, o RV Moita tem um calendário mais difícil devido a ter que sair de casa constantemente, mas perante a sua subida de forma surpresas poderão surgir no horizonte. De qualquer forma, RC Elvas e RV Moita têm um encontro marcado com o destino… quem vai poder ir de férias logo no final de Abril?

Conseguirá o Elvas chegar ao 8º lugar?

OS PLAYERS QUE PODEM MUDAR UM CAMPEONATO

MANUEL MURTEIRA (CR ÉVORA)

Foi o único reforço de Inverno dos eborenses de Miguel Avó e vai fazer a diferença em jogos mais equilibrados, especialmente pelas suas qualidades técnico-fisicas (um sprinter de elevada qualidade e detentor de um jogo ao pé carregado de ameaça) e experiência profunda de jogo acumulada tanto pelas suas passagem em Agronomia. Na temporada passada foi uma das referências do CR Évora, com vários ensaios e pontapés concretizados pondo toda a máquina das linhas atrasadas a funcionar, tendo se notado nestes primeiros jogos um efeito interessante na “agressividade” defensiva ou no assumir do jogo. É um jogador fadado para liderar no jogo contínuo e é será uma das chaves-mestras do emblema alentejano para garantir um bom momentum antes da fase-final..

Ensaio de Manuel Murteira (1:47)

SALVADOR CAMBOURNAC (CALDAS RC)

O formação tem sido uma referência dos “pelicanos” e apesar de não aparecer tão em jogo como Tomás Lamboglia, Oscar D’Amato, Filipe Gil ou Diogo Vasconcelos, é talvez a peça mais importante do xadrez de Patricio Lamboglia. Inteligente e possuidor de uma visão de jogo de grande nível, Cambournac já carregou às costas o Caldas RC em diversas ocasiões, com um espírito resiliente e de nunca desistir, onde a qualidade de passe mete a equipa do Oeste a uma velocidade superior e de elevada letalidade, sendo estes pormenores mais que suficientes para perceber o impacto e importância do formação em toda a estratégia dos “pelicanos”. Um excelente nº9 pode fazer uma grande diferença nos momentos mais decisivos da temporada e o formação não fugirá a esse papel quando for chamado a intervir.

O pormenor genial de Cambournac (1:16)

MANUEL DENTINHO (RC SANTARÉM)

Demorou a aparecer em forma (e mesmo assim ainda está algo longe do seu melhor), mas Manuel Dentinho parece finalmente estar com a cabeça posta em fazer a diferença pelo RC Santarém nesta época e será interessante perceber até que ponto pode ter uma contribuição decisiva para os jogos que restam. É um dos “cavaleiros” com melhor incidência em termos de ensaios/assistências e regista para já 4/5 de cada, afirmando-se sempre com qualidade nas linhas atrasadas onde a velocidade, capacidade de engenho e versatilidade dão capacidade de explosão e decisão ao elenco escalabitano.

Um ensaio que começa com um bom arranque de Manuel Dentinho (1:33)

ALEXANDRE ALMEIDA GARRETT (CR SÃO MIGUEL)

Chegou ao CR São Miguel em Setembro de 2019 e de lá para cá tem conquistado o seu lugar na formação treinada por Nuno Damasceno e Paulo Silva, repondo os níveis de confiança que anteriormente lhe deram algum destaque na Tapada da Ajuda, sendo dos atletas do CN1 que melhor jogo ao pé apresenta em jogo corrido, para além da sua visão de jogo (apesar de arriscar em demasia em certos momentos). Agressivo na placagem e um placador que oferece confiança, o abertura está a começar a mostrar aqueles skills técnicos que podem fazer a diferença numa combinação nas linhas atrasadas e, nesta fase final, pode ser um dos nomes mais importantes de uma estratégia colectiva dos “bulldogs” que tem valido o 1º lugar da tabela.

Ensaio de Alexandre Garrett (00:57)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter