4 jogadores que vão fazer a diferença na Bledisloe Cup 2020

Francisco IsaacOutubro 9, 20204min0

4 jogadores que vão fazer a diferença na Bledisloe Cup 2020

Francisco IsaacOutubro 9, 20204min0
Durante Outubro e Novembro de 2020 a Bledisloe Cup vai surgir na agenda do rugby internacional e escolhemos agora 4 jogadores que vão ser decisivos para as suas equipas. Quem vai ter maior protagonismo nestas series?

Depois de falarmos dos “estreantes” que vão deliciar tudo e todos quando assistirem à Bledisloe Cup 2020, é altura de falarmos daqueles jogadores que deverão ter um impacto imediato na forma de jogar das suas equipas, influenciando o resultado positivamente!

NIC WHITE (WALLABIES)

Dave Rennie tinha quatro formações à sua disposição e acabou por optar pelo mais experiente e carismático, Nic White! Um dos melhores 9 da actualidade, White é daqueles jogadores que exercem uma total eletricidade quando durante o seu tempo de acção no jogo, conferindo velocidade e assertividade aos processos, para além de possuir uma visão extraordinária quer na leitura das falhas defensivas contrárias ou nas necessidades da sua equipa, aplicando todo um equilibrio fundamental para que o plano vá de encontro ao pretendido.

Em 2019 foi um dos grandes responsáveis pela vitória dos Wallabies frente aos All Blacks no primeiro jogo da Bledisloe, com aquele ritmo alucinante a pavimentar um caminho de incerteza para os seus adversários, engrandecendo por completo os australianos até a um nível de excelência que há muito tempo não se via. É um formação com o dom de poder mexer por completo com o jogo, possuidor de uma artilharia de qualidades que podem ferir os All Blacks caso estes não limitem o raio de acção de Nic White, especialmente na velocidade de passe a partir das fases espontâneas ou no apoio a um portador de bola que consiga uma quebra-de-linha.

BEAUDEN BARRETT (ALL BLACKS)

É considerado como um dos maiores predadores para os Wallabies, com um instinto especial para ferir por completo com os maiores rivais dos All Blacks seja através de quebras-de-linha, assistências ou ensaios (quem se esquece dos 4 ensaios marcados naquele encontro da Bledisloe Cup em 2018?) e vai continuar a vestir essa “camisola” do jogador mais influente e perigoso do ataque dos neozelandeses. Beauden Barrett é sem dúvida alguma um dos maiores jogadores da modalidade no século XXI e o registo de quase 40 ensaios concretizados a nível de Test Matches (11 ante a Austrália) coloca-o como o abertura com mais 5 pontos marcados na história da Nova Zelândia, sendo portanto uma ameaça constante à espera do momento perfeito para rasgar a linha ou aparecer em alta velocidade junto a um dos pontas e dar a estocada final.

Desequilibra como poucas, confere uma alegria à posse de bola que só está à altura dos eleitos e impõe constantemente um ritmo intenso e terrivelmente apaixonante, sendo uma das armas prediletas dos All Blacks no esquema ofensiva. No que toca à defesa, é dos membros da linha de 3/4’s mais seguro, equilibrando bem os possíveis problemas que surjam na linha-de-defesa, apoiado ainda num jogo ao pé bem trabalhado e calculista.

TANIELA TUPOU (WALLABIES)

Um powerhouse como poucos tanto com a bola nas suas mãos ou sem ela, Taniela Tupou tem trabalhado constantemente para atingir o nível necessário para ser considerado um dos melhores pilares do rugby mundial e nesta Bledisloe Cup/The Rugby Championship veremos isso mesmo. Foi considerado um dos melhores atletas ao serviço dos Queensland Reds na temporada de franquias que findou em Setembro, recebendo esse louvor graças ao trabalho intenso imposto na formação-ordenada, à capacidade em acompanhar as jogadas mais céleres mostrando-se como um apoio excelente para furar ainda mais a defensiva opositora e um dos placadores mais exímios e agressivos da competição, merecendo agora a alcunha que lhe é imposto há anos de Tongan Thor.

Será interessante ver como reagirá na FO frente a Joe Moody, necessitando de mostrar todas as valências apresentadas quando encaixou contra Scott Sio durante a final do Super Rugby AU, tendo que ser a partir desse sector que demonstrará a sua força e capacidade de dar uma estabilidade fundamental aos Wallabies para depois surgir no jogo aberto e garantir uma bola boa para abalroar quem esteja do outro lado.

PATRICK TUIPULOTU (ALL BLACKS)

Sem Broadie Retallick, os All Blacks montaram a sua 2ª melhor opção na segunda-linha com Samuel Whitelock e Patrick Tuipulotu, com este último a merecer totalmente a confiança de todos para assumir a titularidade em 2020. O capitão dos Blues tem crescido de época para época e neste ano foi uma das principais referências do Super Rugby Aotearoa, invocando um papel decisivo em diferentes aspectos: na liderança, oferecendo sempre uma voz forte e confiante que segura o elenco mesmo nos momentos mais difíceis; nos alinhamentos e formações-ordenadas, departamentos em que impõe uma total perfeição nos processos de conquista; e na defesa, sendo um operacional activo e que raramente dá espaço a falhas nas suas acções.

É neste momento um dos locks com maior poder de impacto e importância seja nas fases-estáticas ou no poder de falar e Ian Foster terá em Tuipulotu o homem perfeito para fazer um combo inabalável com Whitelock, prometendo serem dois espinhos nos ares para os Wallabies durante toda a competição.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter