3 pontos do SR2019 Ronda 4: O fim-de-semana dos Will’s… e de Rieko!

Francisco IsaacMarço 10, 20196min0

3 pontos do SR2019 Ronda 4: O fim-de-semana dos Will’s… e de Rieko!

Francisco IsaacMarço 10, 20196min0
No fim-de-semana que Rieko Ioane fez 4 ensaios, os destaques vão para outras personagens que encheram o fim-de-semana com brilhantismo! Pronto para descobrir três novas "pérolas" do Super Rugby?

Acompanha todo o pós-ronda do Super Rugby aqui no Fair Play com a análise a três ou cinco pontos da maior competição de clubes do Mundo!

REBELS E WILL GENIA E A DIFERENÇA DE TER UM FORMAÇÃO GENIAL

Mais uma vitória para a franquia de Melbourne, que tem sido letal neste início de Super Rugby ao ponto de alguns comentadores apontarem-na como a melhor equipa australiana em exercício. Mas será que o são? Na recepção aos Brumbies, acabaram por dar a volta na 2ª parte depois de terem saído para os balneários a perder por 03-19, com Will Genia em grande destaque!

O Wallaby por 100 ocasiões e vencedor do Super Rugby por uma ocasião (pelos Reds em 2011), voltou a orquestrar uma revolta dos Rebels, elevando o ritmo de jogo para uma intensidade genial que os adversários de Camberra não aguentaram. Se no ataque foi o Genia do costume a fazer jogar e a criar as melhores opções e linhas de corrida possíveis na procura de ensaios, é na defesa que o trabalho de Genia merece ser notabilizado, pois conseguiu equilibrar as “tropas” de Melbourne para uma defesa mais astuta e arriscada nos rucks.

A cooperação com Quade Cooper tem sido das melhores da temporada, com ambos os dois a terem já assistido colegas para ensaio por 7 ocasiões, o que demonstra o poder de ter este par como “abre-latas” no ataque dos Rebels. Em termos individuais Genia marcou 1 ensaio e ofereceu outro, completou os 54 passes (não falhou uma transmissão de bola!), bateu 7 defesas (o formação com melhores stats neste ponto), rompeu a linha por uma ocasião e interceptou uma bola, numa clara demonstração da influência do nº9 em Melbourne.

Pura genialidade, pura destreza e pura voz de comando, pondo Will Genia no caminho de um dos grandes nomes de sempre dos Wallabies e do Mundo do Rugby, George Gregan. Mas ao contrário da lenda (lembrar que todas as equipas de rugby têm uma jogada chamada a “Gregan”, só para entender a importância do ex-formação dos Brumbies) Genia não tem um Mundial de Rugby no “bolso”… terá a capacidade de guiar os Rebels ao título no Super Rugby e mais tarde a Austrália ao impensável Campeonato do Mundo?

Dois momentos de génio de Genia

CRUSADERS: O MELHOR MERCADO DE NOVIDADES E ESPECIALIDADES DO RUGBY

Nova semana, mais uma vitória, mais um recorde batido e com também mais dois jogadores lançados que fizeram os adeptos da oval saltar de espanto: Will Jordan e Sevu Reece. Inacreditável como dois miúdos de 21 e 22 anos terminaram o encontro frente aos Chiefs com 255 metros conquistados, 7 quebras-de-linha, 10 defesas batidos, 3 ensaios e 1 assistência nessa “ensaiada” imposta à formação de Hamilton por 57-28.

Will Jordan é um ex-Baby Black (selecção de sub-20 da Nova Zelândia) que consegue tanto jogar a defesa ou ponta, naquilo que já é um hábito do rugby moderno em termos do multifacetado. Já Sevu Reece esteve a um passo do Connacht (Irlanda) mas devido a problemas pessoais acabou por ver negada essa possibilidade e aguardou uma oportunidade que chegou em 2019 pelos Crusaders.

Ou seja, um destinado ao sucesso desde “pequeno” e outro que por pouco não terminou a carreira devido a uma cena de violência e que graçasa uma benesse dada por um tribunal em Hamilton (ironicamente) conseguiu manter a carreira de jogador… mas seguindo com o que se passou no jogo entre Crusaders e Chiefs, ambos conseguiram ser fulcrais no desbloquear da defesa contrária, a par de um Jack Goddhue de excelência (começa a parecer uma mistura de Nonu com Conrad Smith…) e um Scott Barrett em super-forma.

O ensaio da semana fica nas mãos de Jordan depois de uma jogada inacreditável dos bicampeões do Super Rugby que começou praticamente nos seus 22 metros e acabou no lado oposto, sempre com excelentes linhas de corrida e uma visão de jogo que tem de meter medo aos adversários.

Will Jordan foi uma “seta” apontada aos espaços conferidos aos Chiefs (uma das piores equipas a defender no jogo ao largo em 2019 e com um comprometimento péssimo individual na placagem) e Sevu Reece acelerou as dinâmicas de jogo com e sem bola, sendo precisamente este o ponto mais cativante no fijiano.

Os Crusaders este ano já ofereceram ao público Will Jordan, Sevu Reece, Brent Cameron, Braydon Ennor, Ereatara Enari (alguns já tinham jogado o ano passado mas tem sido 2019 o ano de maior utilização), numa demonstração clara do porquê de serem os melhores no Hemisfério Sul.

O poder de Sevu Reece

 A NOVA “GARRA” DOS LIONS: WANDISILE SIMELANE

O último destaque deveria ir sem dúvida para a vitória dos Bulls de Pretória por 37-14, fazendo-os uma das três equipas invictas no Super Rugby 2019 a par dos Crusaders e Rebels, mas é impossível não falar da nova pérola da franquia de Joanesburgo, Wandisile Simelane.

O internacional sub-20 pelos Springboks de 1,78 de altura e que pode jogar a centro, ponta e defesa agarrou a sua primeira oportunidade como titular nos Lions com toda a força possível, ao terminar o jogo ante os Jaguares como o MVP. Um poder de aceleração total e uma “violência” positiva quando entra no contacto, Simelane tem todo um conjunto de pormenores técnicos que criam sérias dificuldades a quem está do outro lado, ao ponto que os Jaguares começaram a “marcá-lo” como alvo… mas o mal já estava feito na altura.

Mais uma vez recorremos aos números para perceber o impacto e influência de Simelane: 121 metros conquistados, 3 quebras-de-linha, 7 defesas batidos, 3 offloads, 7 tackle-busts (quando desbloqueia uma placagem), um ensaio e 100% de eficácia nas placagens. Foram estes os números do jovem de 20 anos que já andava a prometer se afirmar nos Lions depois de uma época de sucesso na equipa da Currie Cup.

A versatilidade é um dos pontos mais importantes do centro, que caminha na direcção de conquistar já a titularidade nesta temporada naquilo que será como o início do processo de revitalização dos Lions depois de terem perdidos vários nomes para equipas do Hemisfério Norte. Recordem o nome, tenham em atenção o que pode vir a fazer e não se espantem quando Simelane vestir a camisola verde e dourada da África do Sul.

OS JOGADORES-PORMENORES DA SEMANA

Melhor Chutador: Handré Pollard (Bulls) – 25 pontos e 90% de eficácia (5 penalidades, 2 conversões e 1 drop)
Melhor Placador: Michael Hooper (Waratahs) – 23 placagens e 2 turnovers (95% eficácia)
Melhor Marcador de Ensaios: Rieko Ioane (Blues) – 20 pontos (4 ensaios)
Melhor Marcador de Pontos: Handré Pollard (Bulls) – 25 pontos (5 penalidades, 2 conversões e 1 drop)
O Rei das Quebras-de-Linha: Sevu Reece (Crusaders) – 5 quebras-de-linha
O Jogador-Segredo: Sevu Reece (Crusaders) – 153 metros conquistados, 5 quebras-de-linha, 4 defesas batidos, 1 ensaio, 1 assistência e 4 tackle-busts
Lesionado preocupante: Nada a apontar
Melhor Ensaio: Will Jordan (Crusaders) vs Reds


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter