3 Destaques da 5ª ronda do The Rugby Championship 2021

Francisco IsaacSetembro 25, 20216min0

3 Destaques da 5ª ronda do The Rugby Championship 2021

Francisco IsaacSetembro 25, 20216min0
All Blacks são os campeões do The Rugby Championship 2021 e contamos o que se passou nos dois jogos desta 5ª ronda da competição

A Nova Zelândia saiu como a grande vencedora no duelo frente aos seus principais rivais do Planeta da Oval, conquistando 4 pontos que lhe garantem o título de campeões do The Rugby Championship 2021, isto depois de sobreviveram a uma recção final dos Springboks, enquanto os Wallabies trucidaram os Pumas por 27-08. A 5ª jornada da competição analisada em três pontos.

O JOGADOR EM ALTA – JORDIE BARRETT (ALL BLACKS)

5 pontapés aos postes convertidos em 5 tentativas, com um desses pontapés a valerem os 3 pontos finais que seriam fulcrais no garantir de uma vitória com direito a troféu de campeão do The Rugby Championship, podendo ser este dado suficiente para colocar Jordie Barrett na lista dos MVP’s deste 100° encontro da história entre All Blacks e Springboks. Porém, a prestação do polivalente três-de-atrás foi muito para além de bons pontapés colocados entre os postes, e começa pela forma como não cedeu em nenhuma captação de bola a pontapés altos, tendo segurado 8 situações sem perder o controlo de bola perante a boa pressão da África do Sul, tendo o defesa ainda conseguido relançar o contra-ataque por três ocasiões após uma excelente abordagem no ar, exprimindo calma, frieza e inteligência em qualquer uma destas acções.

Foi uma prestação de super qualidade do irmão mais novo dos Barrett, o que acabou por se verificar como fundamental muito pela questão do posicionamento táctico, limitando a panóplia de opções ofensivas dos Springboks, que assim não conseguiram tirar qualquer vantagem dos pontapés mais colocados em profundidade e/ou altos, isto sem falarmos de como Jordie Barrett subia rapidamente à cortina defensiva quando necessário.

Num encontro em que George Bridge cedeu excessivos erros na abordagem aos pontapés e no garantir uma defesa isenta de falhas (3 falhas de placagem e 2 erros na leitura defensiva), Jordie Barrett foi capaz de amparar estes problemas e comandar bem os seus colegas a partir da sua posição, podendo ter fechado a discussão pela camisola n°15 dos All Blacks, o que é uma boa mensagem para Ian Foster, isto quando se sabe da saída de Damian McKenzie para o Japão durante todo o ano de 2022.

O COLECTIVO QUE DESILUDIU – PUMAS

Poderíamos fazer copy&paste da exibição da Argentina na 3ª ronda deste The Rugby Championship 2021 (derrota por 39-00 às mãos dos All Blacks), pois os Pumas voltaram a mostrar uma imagem pobre em diferentes sectores, a começar pela disciplina, com 11 penalidades e um cartão amarelo (Marcus Kremer cometeu quatro faltas, duas delas inexplicáveis), tendo perdido três boas situações de ataque com reações intempestuosas sem explicação e que mostram, em parte, o espírito que circula em redor desta Argentina de Mario Ledesma.

Tentando deixar para trás o factor disciplina, o que dizer da inércia do ataque desta selecção sul-americana, incapaz de criar qualquer quebra-de-linha durante 80 minutos, um dado minimamente preocupante, quando se fala de uma selecção de topo mundial e com jogadores de alta qualidade, especialmente nos 3/4’s, como Santiago Chocobares, Emilliano Boffelli, Santiago Carreras ou Domingo Miotti, podendo Ledesma arguir que a ausência de jogadores como Nicolas Sanchez, Santiago Cordero ou Matias Moroni tira harmonia da manobra atacante dos Pumas.

Mas é algo inexplicável como a Argentina nunca foi uma verdadeira ameaça para a defesa dos Wallabies em jogo aberto, engolidos constantemente pela competente combinação defensiva entre Len Ikitau e Samu Kerevi (jogo soberbo do centro, quase nunca os placadores argentinos conseguiram-no parar no primeiro momento ou primeira placagem), isto para além de terem sido dominados pela maior inteligência de Michael Hooper, Rob Valentini e Robert Leota no breakdown, caçando 5 turnovers que acabaram transformados em pontos a favor dos Wallabies.

Já no que toca à defesa, os jogadores da Argentina voltaram a conceder demasiado espaço e oportunidades ao bloco opositor, terminando com uns magros 84% de eficácia na placagem, somando neste 5º encontro do The Rugby Championship cerca de 30 erros de abordagem ao portador de bola, o que revela uma defesa permeável e sem as condições mínimas para fazer frente a um elenco mais acelerado, eficiente e elétrico, sejam os All Blacks, Wallabies ou Springboks.

O 08-27 final só peca por escasso, pois os Pumas na realidade poderiam ter saído com uma derrota ainda mais alargada, caso a Austrália tivesse tido outra eficácia nos últimos 5 metros em três situações… Ledesma está perto de terminar este The Rugby Championship com zero pontos na tabela, e com só 3 ensaios marcados.

ALERTA – TUDO DECIDIDO, MAS NÃO É BEM ASSIM

Os All Blacks já têm o título de campeões do The Rugby Championship, os Pumas não vão sair do último lugar, e os Wallabies já realizaram a sua melhor campanha nesta competição desde 2015, com três vitórias consecutivas, o que, num primeiro olhar, parece ter ditado o fim do interesse nesta competição de selecções do Hemisfério Sul. Porém, ainda há muito em jogo e especificamos o quê:

– Os All Blacks podem somar um Grand Slam, algo que não acontece desde 2017, o que lhes conferiria, também, a 11ª vitória consecutiva (começou em Novembro de 2020);
– Springboks querem segurar o 2º lugar e continuar a correr pelo 1º lugar do ranking mundial, para além de terem a oportunidade de colocar os seus rivais neozelandeses com uma derrota;
– Pumas querem fugir a uma campanha só com derrotas, naquilo que poderia ser um dado preocupante;
– Wallabies querem realizar a sua melhor campanha dos últimos 10 anos;

Estes são só alguns dos objectivos colectivos que as quatro selecções podem ou querem atingir na última ronda da competição, que vai terminar com um blockbuster de All Blacks vs Springboks, um encontro sempre carregado de história, ambição e outras qualidades inerentes a um dos duelos mais emblemáticos do rugby mundial.

OS NÚMEROS DA JORNADA

Jogador com mais pontos: Jordie Barrett – 13 pontos
Jogador com mais ensaios: Vários – 1 ensaio
Equipa com mais pontos: Wallabies – 27 pontos
Equipa com mais ensaios: Wallabies – 3 ensaios
Jogador com mais placagens: Santiago Medrano (Pumas) – 18 placagens (2 falhadas)
Equipa com mais placagens: Pumas – 152 placagens em 182 tentativas


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter