Recap de 2021/2022 do andebol português

Bernardo GalanteJunho 18, 20225min0

Recap de 2021/2022 do andebol português

Bernardo GalanteJunho 18, 20225min0
Do campeonato às competições europeias, Bernardo Galante relembra o que se passou nesta temporada para o andebol português

A época de 2021/22 tem muita história para contar com os três grandes portugueses a adicionarem troféus aos seus museus. Navegue, nesta maravilhosa profecia a uma época fabulosa para o andebol nacional.

Campeonato Nacional Placard Andebol 1

O Campeonato Nacional, começara e, sem surpresas, os três grandes (FC Porto, Sporting CP e SL Benfica) não teriam grandes sobressaltos.

A 13 de novembro viria o primeiro grande teste que oponha os rivais da capital. SL Benfica e Sporting CP defrontar-se-iam no Pavilhão Nº 2 da Luz, onde a equipa da casa partia com favoritismo. Surpreendentemente (ou não), a jovem equipa dos leões venceu por 27-30, dizendo ‘presente’ à corrida pelo título.

Os pupilos de Chema Rodriguez, abalados, acabariam por comprometer (e bastante) as suas hipóteses de lutar pelo título ao perder, na jornada seguinte, na casa do Vitória Futebol Clube por 32-29. Esta derrota surpreendeu o universo do andebol português e, em particular, o mundo benfiquista.

O FC Porto registava, a 18 de dezembro, a primeira vitória da época em clássicos disputados para o campeonato com a vitória sobre o Sporting CP pela margem mínima (31-30). Os dragões somavam e seguiam, como nos têm habituado…

A campanha do Futebol Clube do Porto – que se viria a tornar campeão nacional – foi de uma consistência incrível, tendo somado apenas 1 derrota no Pavilhão Nº2 da Luz, frente ao Benfica. Ao cabo de 30 jornadas, os Azuis e Brancos superiorizaram-se aos Verde e Brancos e aos Encarnados, conquistando assim o Tricampeonato Nacional.

Supertaça Portuguesa

Seguiu-se a Supertaça Portuguesa, realizada num formato de Final-Four com a participação do FC Porto, SL Benfica, Sporting CP e AA Águas Santas. Nas meias-finais, o FC Porto eliminou o Benfica, enquanto o Sporting levava de vencida o Águas Santas. Na derradeira final, os dragões acabaram por se superiorizar aos leões, vencendo por 34-29.

EHF European League

Tanto o Benfica como o Águas Santas, devido à classificação obtida na edição passada do campeonato nacional, teriam de entrar na 1ª ronda de qualificação da segunda maior competição europeia. O emblema maiato enfrentaria os espanhóis do Ciudad Logroño, enquanto os encarnados defrontariam os suíços do Kriens-Luzern.

Os encontros tinham data marcada o dia 28 de agosto e 4 de setembro, sendo mesmo realizados nos respetivos dias.

A 1ª mão correu de feição para o SL Benfica, conseguindo uma vitória por 24-31 fora de portas. No caso da AA Águas Santas, viria a empatar em casa a 26 bolas, deixando tudo em aberto para o encontro a realizar-se, posteriormente, em Espanha.

Nos encontros da 2ª mão, os emblemas tiveram sortes diferentes: o SL Benfica cimentaria a sua vantagem com uma vitória, em casa, por 29-18, enquanto o emblema da cidade da Maia não foi além de uma derrota por 34-28. O Águas Santas ficaria pelo caminho e as águias ainda tinham mais uma etapa até chegar à Fase de Grupos.

Na 2ª ronda de qualificação, ao Sport Lisboa e Benfica juntar-se-ia o rival da capital, o Sporting Clube de Portugal. O clube da Luz teria encontro marcado com o poderoso germânico, Rhein-Neckar Löwen, enquanto o emblema de Alvalade iria defrontar os dinamarqueses do TT Holstebro. Os comandados de Chema Rodríguez conseguiram superiorizar-se aos alemães – na 1ª mão um empate a 31 bolas na visita aos germânicos, vencendo a 2ª mão, no Pavilhão Nº2 da Luz, por 33-28. O Sporting CP eliminaria os dinamarqueses vencendo em casa por 31-25, antecedendo a derrota na Dinamarca por 31-28.

Na Fase de Grupos, o Sporting CP e o SL Benfica começaram por mostrar valências numa fase inicial da competição, onde tiveram passagens de excelência nos seus respetivos grupos. As águias terminaram o Grupo B na 2ª posição e os leões ficaram na 4ª posição do Grupo D.

O Sporting CP acabaria por ser eliminado nos Oitavos-de-Final da competição pelo SC Magdeburg que acabaria por perder a final da competição, frente aos encarnados.

As águias, por sua vez, eliminaram o Fenix Toulouse, Gorenje Velenje e o Wisla Plock até chegarem à Final, disputada no Altice Arena, em Lisboa. Com o pavilhão cheio de benfiquistas, a turma de Chema Rodríguez levou de vencida os campeões germânicos ao fim de dois prolongamentos, naquele que foi um verdadeiro espetáculo de andebol, terminando com um resultado de 40-39 a favor dos portugueses.

EHF Champions League

Entretanto, a EHF Champions League tinha dado o seu habitual início e contaria com a participação do FC Porto. A turma comandada por Magnus Andersson somaria 11 pontos em 14 encontros, a contar para o Grupo B da competição, que contava com a participação do FC Barcelona, VIVE Kielce, Veszprém, Flensburg, Dínamo de Bucareste e Motor Zaporozhye.

A participação dos Dragões acabaria por terminar nos Oitavos de Final com a eliminação perante o Montpellier HB (29-29 & 27-35) de uma forma que nada reflete a qualidade e a competitividade da participação do Futebol Clube do Porto na competição.

Taça de Portugal

A Taça de Portugal acabaria por encerrar esta excelente temporada para o andebol português de uma forma simplesmente fantástica.

Com uma Final-Four disputada em Matosinhos entre FC Porto, SL Benfica, Sporting CP e Madeira SAD acabaram por ser dois dias de andebol ao mais alto nível. Os encarnados e os madeirenses acabaram por ser os primeiros clubes a serem eliminados, dando lugar a uma final entre Porto e Sporting, onde após dois prolongamentos os leões levariam o troféu para casa, vencendo por 36-35.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter