Finais da NBA: 4ª parte da saga Warriors vs Cavaliers

João FerreiraMaio 30, 20187min0

Finais da NBA: 4ª parte da saga Warriors vs Cavaliers

João FerreiraMaio 30, 20187min0
As finais da NBA estão aí, outra vez. A altura decisiva chegou e com ela uma 4ª parte de uma saga sem fim! Aqui fica a análise daquilo que vai ser a Final da NBA!

Finalmente, chegaram! Se a época regular e os playoffs são seguidos por muitos dos fãs do mundo da NBA, então as Finais da NBA são o auge de todo o ano, com os mesmos intervenientes: Warriors e Cavs. 

As Finais da NBA começam já amanhã e, surpresa das surpresas, com os mesmos intervenientes das últimas 4 edições. Foi, provavelmente, o ano em que todos pensavam em várias possibilidades para uma tão aguardada final, mas o desfecho foi o mesmo dos últimos anos: Golden State Warriors vs Cleveland Cavaliers.

As possibilidades eram imensas à entrada para os playoffs, nas duas conferências.

Do lado de Este, Boston Celtics ( que levou Cleveland a jogo 7) e Toronto Raptors (que foi completamente varrido pelos Cavs) eram apontadas como as grandes oponentes a um retorno do King James ao palco mais alto da NBA.

Do lado de Oeste, a aposta passava por várias equipas: Houston Rockets (que tiveram a melhor fase regular em termos de recorde vitórias-derrotas, e que levaram GS a jogo 7), Oklahoma City Thunder (que, com um Big 4- Westbrook, Paul George, Carmelo Anthony e Steven Adams, desiludiu tanto que é difícil expressar qualquer reação ao abandono logo na 1ª Ronda aos pés de Utah Jazz), Portland Trail Blazers (que vinham em boa forma para os playoffs com Damian Lillard e CJ McCollum em destaque mas perderam logo com New Orleans), mas todas se relevaram como muito inferiores aos GSW. Mais uma presença na final merecida para a turma de Oakland.

Golden State Warriors – o continuar de uma dinastia (Rui Mesquita)

Os Warriors são os atuais campeões em título e isso é um argumento poderoso a favor da equipa de Oakland. A final do ano passado mostrou a superioridade da equipa do Oeste sobre os Cavaliers. Com a adição de Kevin Durant (no ano passado), os Warriors pareceram sempre invencíveis, até… à última série com os Houston Rockets.

O poderio dos Warriors foi beliscado pela melhor equipa que já defrontaram desde a chegada de Durant. Atrevo-me a dizer que, sem a lesão de Chris Paul, este artigo incluiria os Rockets e não os Warriors. A grande limitação da equipa de Steve Kerr foi a lesão de Andre Iguodala. O extremo americano é, mesmo aos 34 anos, um pilar da equipa. Sem ele os Warriors não podem usar o seu 5 favorito. Com o Hamptons 5 esta equipa é praticamente imparável.

Ofensivamente os Warriors mostraram algumas limitações, mas nunca é fácil limitar uma equipa com 3 dos melhores atiradores da liga. O movimento constante do ataque deverá ser demasiado dinâmico para a defesa dos Cavs. Nos 17 jogos nestes playoffs, os Warriors marcaram 110.1 pontos por cada 100 posses! Um número ligeiramente inferior ao da fase regular, mas, ainda assim, extraordinário.

Se ofensivamente poderemos esperar uns Warriors ainda mais eficazes do que na Final de Conferência, defensivamente o caso é ainda mais notório. Os Rockets foram, a par com Golden State, a melhor equipa da liga ofensivamente. Os Cavaliers estão uns furos abaixo e, se Iguodala recuperar, a defesa dos campeões será incrível. Com 3 jogadores capazes de defender eficazmente LeBron (Iggy, Durant e Green), poderemos ver uma equipa a trocar em todos os screens. Mesmo com o matchup LeBron-Curry os Warriors conseguirão ser eficazes. As ajudas de Green e Durant no garrafão serão um desafio interessante às penetrações de James.

O pilar da equipa de GS (Foto: ESPN)

Mas nem tudo é perfeito para os homens de Oakland. Sem Iguodala conseguimos ver lacunas defensivas e desconcentrações ofensivas. Desconcentrações serão o maior inimigo destes Warriors. 13.5 turnovers por jogo nos playoffs demonstram que, várias vezes por jogo, Durant e companhia perdem a bola de forma fácil e permitem pontos em transição. Steve Kerr tem a missão de motivar a sua equipa e mantê-la concentrada no objetivo.

É obrigatório mencionar a performance dos Warriors no terceiro período de cada jogo. Passam dos 110.1 já falados para 125.5 pontos por 100 posses! Uma produção ofensiva impressionante que, na maioria das vezes, acaba com o jogo.

A presença de Iggy é importante, mas, mesmo sem o seu contributo, Durant e Curry serão mais que suficientes para ganhar a série. Os ajustes de Kerr à prestação de LeBron terão de existir e a equipa não poderá desleixar-se. Cumprindo isso, a conquista do bicampeonato será um passeio. Dito isto, a minha previsão é:

Warriors em 5!

Cleveland Cavaliers- LeBron leva a equipa às costas? (João Ferreira)

Se o ano passado foi um ano muito negro para a equipa dos Cavs, no que diz respeito às Finais da NBA, este ano pode ser diferente na medida em que é imperativo para LeBron ganhar este ano se quiser entrar, definitivamente na discussão de melhor jogador de sempre, ou o GOAT, da NBA.

Os playoffs não começaram da melhor maneira para os Cavaliers com uma série muito forte, que teve que ir a jogo 7 com os Indiana Pacers. No entanto, na 2ª Ronda, a turma de Cleveland deu uma prova de força ao arrumar os líderes da Conferência Este, os Toronto Raptors, por 4-0!

Provavelmente, com um caso parecido com o dos Golden State Warriors, os Cleveland Cavaliers jogaram na Final de Conferência com uns Boston Celtics que não tinham, de todo, os seus melhores jogadores: Kyrie Irving (lesionado), Gordon Hayward (lesionado, desde o primeiro jogo da NBA) e Daniel Theis (que vinha subindo de forma e que começava a ser um jogador preponderante na rotação dos Celtics).

Sobre a Final da NBA, os Cavs vão encontrar um némisis recente, mas que promete assombrar a carreira de LeBron James! A qualidade mostrada pelos Cavs, este ano, é inferior àquilo que mostravam o ano passado, nomeadamente com a perda de Kyrie Irving para os Boston Celtics, e devido ao fraco impacto de Kevin Love na equipa, que, neste momento, joga melhor sem o antigo Timberwolves no court.

Para além de LeBron James, que vai, com certeza, carregar a equipa dos Cavs durante estas finais, o segredo de Cleveland pode estar em 3 jogadores: Tristan Thompson, que ultimamente se tornou num dos piores contratos da NBA, mas que tem um potencial enorme em termos de proteção de cesto e que irá, certamente, dificultar a vida a Iguodala, se este jogar, ou a Looney, Jeff Green, que, na minha opinião, é o melhor jogador de Cleveland, a seguir, claro, ao King James, e Jordan Clarkson, que devia ter mais minutos numa equipa que não conta assim com tantas soluções ofensivas para não colocar este jogador a jogar mais.

A máquina de Cleveland! (Foto: GettyImages)

Na minha opinião, vamos ver um LeBron James do mais competitivo que a NBA já viu. Arrisco a dizer que King James vai jogar 44/46 minutos por jogo, e irá acabar estas finais com média de 44 pontos. LeBron mostrará o porquê de Curry, Thompson e Durant não serem comparados a ele.

Disto isto, a minha previsão é:

Cavaliers em 7!

 

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter