As equipas do futuro da NBA… vão dar de si? (1/3)

João FerreiraMarço 4, 20203min0

As equipas do futuro da NBA… vão dar de si? (1/3)

João FerreiraMarço 4, 20203min0
Todos os anos vemos equipas a serem construídas, tanto para o momento como para o futuro. Aquilo que abordamos neste grupo de artigos são aquelas equipas que acreditamos que irão fazer furor no futuro

Há equipas do momento e equipas de futuro. É assim em todo os desportos e o basquetebol, e a NBA, não fogem à regra. Um futuro alicerçado naquilo que é a inexperiência atual da equipa mas com um potencial clara e visivelmente acima da média.

Se, em anos transactos, vimos equipas do momento como Golden State Warriors (das melhores equipas de sempre na NBA), ou os Cleveland Cavaliers (no ano em que foram campeões), vemos equipas a serem construídas com uma paciência atroz, que por vezes deixam os adeptos com os nervos em franja.

É o caso dos Philadelphia 76ers, o caso dos Boston Celtics, e atualmente o caso de vários franchises. 

Neste artigo iremos analisar a primeira de várias equipas que no futuro irão voltar a lugares, no mínimo, de playoffs. Desta feita, são os Atlanta Hawks.

Atlanta Hawks

Upa, upa. Esta equipa dos Hawks deixa água na boca a todos os adeptos da NBA e, como é óbvio, aos adeptos de Atlanta.

Depois de terem garantido, no Draft do ano passado, o franchise-player que faltava ao seu roster, Trae Young, o Front Office da equipa da Conferência Este tem vindo a trabalhar para garantir que consegue construir uma equipa à volta do seu base.

Mas vamos por partes.

Trae Young tem-se revelado como cada vez mais fundamental na equipa. Para além de ser um dos líderes dentro de campo, com médias elevadíssimas para um jogador em “Sophomore Year” (29.6 pontos por jogo, 4.3 ressaltos por jogo e 9.3 assistências por jogo), é cada vez mais perceptível que é um jogador adorado pela cidade e pelos adeptos e que irá fazer toda a sua carreira nos Hawks.

Um jogador com uma facilidade de lançamento de todo o lado do court, com uma visão de jogo acima da média, e uma disponibilidade física estranha para a sua complexão física.

No entanto, uma equipa não se faz de apenas um jogador. 

Kevin Huerter, John Collins e Cam Reddish são jogadores que neste momento têm uma preponderância grande naquilo que é a manobra da equipa. Todos estes jogadores já se encontravam nos Hawks e são uma aposta clara de futuro da equipa.

Por outro lado, com trocas e a baldrocas, a equipa dos Hawks garantiu aquilo que parecia impossível: um poste que claramente faltava e com a qualidade inegável, Clint Capela, e um base defensor de créditos firmados na liga que era essencial para a manobra defensiva da equipa que sai do banco, Jeff Teague.

Aquilo que acreditamos é que os Hawks, no futuro, dependendo também do jogador que vão escolher no Draft deste ano, irão conseguir garantir uma equipa competente e muito competitiva que irá rapidamente afirmar-se na NBA.

Existem mais equipas que irão fazer furor no futuro e, desta maneira, irão ser temas nos próximos artigos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter