3 jogadores que estão “sozinhos” na NBA em 2021/2021

João FerreiraOutubro 3, 20213min0

3 jogadores que estão “sozinhos” na NBA em 2021/2021

João FerreiraOutubro 3, 20213min0
Que jogadores estão isolados numa "ilha" de qualidade e vão tentar fazer algo quase sozinhos nesta NBA? João Ferreira aponta para estes 3 nomes

Se já discutimos as melhores equipas da NBA neste espaço, e já compreendemos que algumas delas se fazem pelo conjunto e não pelos jogadores acima de média, é altura de percebermos que há equipas que se fazem apenas e só por jogadores extremamente acima da média.  Há equipas que cresceram muito à volta de um só jogador, como Golden State com Steph Curry, Milwaukee com Giannis Antetokounmpo ou os Lakers com LeBron James, mas há franquias que ainda hoje são representadas apenas por um só jogador, acabando por esse ser o dínamo de criatividade, trabalho, interesse e poder somente dessa dada equipa.

Neste artigo, vamos analisar brevemente que jogadores é que vão ser os melhores tendo em conta que não têm equipa para os apoiar, sendo, portanto, a força motora por detrás da maior parte dos resultados alcançados… Posto isto, o melhor jogador, de longe, será Trae Young! O base tem aparecido cada vez mais nos últimos anos numa tentativa clara de fazer crescer o conjunto dos Atlanta Hawks.

Dotado de uma imprevisibilidade de partir os calcanhares a qualquer defesa, Trae Young tem o à vontade de partir para cima da defesa, seja um ou dois, ou até de fazer o crossover e lançar de 3 pontos. aquele é um dos, ou senão, o grande ponto a seu favor, como se vê pela média de 2.2 rubricada na temporada transacta. A sua velocidade vai sempre colocar os defesas nas pontas dos pés, mas a subida constante de forma nos últimos dois anos, faz-me querer que este vai ser um jogador que se vai destacar acima de todos nesta nova temporada da NBA.

Em segundo lugar, Joel Embiid. Perguntam-me: então mas este ranking não só para jogadores que não tenham equipa à volta? Precisamente por isso é que Embiid está neste ranking! O poste camaronês tem vindo a crescer muito nos últimos tempos, sendo até que adicionou o lançamento de 3 pontos ao seu portfólio já temível por si só. Philadelphia, por sua vez, está em queda livre em termos de qualidade, como se vê pelos negócios realizados (a saída quase inexplicável de Jimmy Butler), a chegada de um Doc Rivers que não acrescenta o necessário, são alguns exemplos mais críticos dos 76’s. Agora é desfazerem-se de Ben Simmons, que ainda tem um valor de mercado alto, e resolvem a situação, podendo assim Joel Embiid ter outra matéria prima para continuar em crescimento e atingir outra dimensão.

Para fechar este pódio engraçado, não podia faltar aqui o já clássico Bradley Beal. Washington são das equipas mais pobres e fracas que já se viu nos últimos tempos, e de repente têm no seu plantel um jogador que se jogasse noutro franchise podia bem lutar pelo título de MVP da NBA da época, tem tudo aquilo que um treinador pode querer, seja a manobrabilidade, velocidade de movimentos, capacidade para criar espaços e de resolver certos problemas que ajudam a sua equipa a estar constantemente noutro patamar, sem esquecer a atitude de campeão, um elemento que pode vir a ser decisivo para a carreira do extremo.  Bradley Beal merece dar o salto para outro franchise e se os Wizards tiverem algum respeito pelo seu jogador, vão lhe proporcionar a troca que ele tanto merece.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter