[Bisca da Primeira Divisão Feminina] Sport Lisboa e Benfica

João BastosMarço 8, 20186min0

[Bisca da Primeira Divisão Feminina] Sport Lisboa e Benfica

João BastosMarço 8, 20186min0
Analisamos o naipe da equipa feminina do Sport Lisboa e Benfica para ir a jogo na 1ª divisão nos próximos dias 17 e 18 de Março em Coimbra

O Campeonato Nacional de Clubes da 1ª divisão realiza-se em Coimbra nos dias 17 e 18 de Março. O Fair Play faz a análise das 12 equipas masculinas e das 12 equipas femininas que disputarão o título de clubes mais importante da natação nacional


A equipa feminina do Sport Lisboa e Benfica venceu na época passada a 2ª divisão e não vai ser uma mera espectadora na 1ª divisão, já que vem com objectivos de lutar pelo título. Se no ano passado já tinha uma boa equipa, no início da época ficou mais forte e com o decorrer da mesma tem assistido à revelação de várias jovens nadadoras.

O técnico Ricardo Santos estreia-se no comando da equipa encarnada em nacionais de clubes.

Ás – Diana Durães

Em qualquer competição nacional, Diana é sempre uma forte candidata a MVP feminina da competição. Num evento onde não está Victoria Kaminskaya nem Tamila Holub, a candidatura passa a favoritismo. De facto, Diana Durães é a nadadora de maior nível a nadar no complexo olímpico de Coimbra e para além de ir ajudar o Benfica a tentar chegar ao título, vai tentar assegurar o passaporte para os Europeus de Glasgow. Por isso, é expectável que a venhamos a ver nas suas melhores provas – sobretudo 400 e 800, abrindo a estafeta de 4×200 livres – mas Diana também é a melhor nadadora de provas de estilos entre todas as inscritas e por isso, poderá alinhar também nos 200 e 400 estilos.

Foto: Luís Filipe Nunes

Rainha – Letícia André

No início da época estávamos longe de apontar a júnior de primeiro ano como uma das principais figuras desta equipa feminina do Benfica, mas no início da época os recordes pessoais de Letícia eram de 59.82 aos 100 livres e 2:07.60 aos 200. Hoje são de 57.83 aos 100 (recorde nacional júnior-B) e 2:04.71 aos 200 (abaixo do recorde nacional júnior-B do início da época). Isto chega para evidenciar a excelente época que Letícia está a fazer. Tal como Diana também irá a Coimbra tentar um 2 em 1: angariar o maior número de pontos possível para o Benfica e confirmar o seu apuramento para os Europeus de Juniores.

Foto: Luís Mestre

Dama – Cláudia Borges

É uma das melhores brucistas nacionais da actualidade e que este ano já se aproximou bastante dos seus recordes pessoais na boa demonstração que deu de si própria no X Meeting Internacional de Lisboa. Sem Ana Rodrigues presente, Raquel Pereira passa a ser a principal referência nas provas de bruços, mas Cláudia será, previsivelmente, a sua maior opositora.

Foto: Luís Filipe Nunes

Manilha – Filipa Rodrigues

Tal como muitos colegas de equipa, acompanhou o treinador Ricardo Santos no trajecto da SFUAP para o Benfica e muito jeito vai dar à equipa da Luz nestes nacionais de clubes. A sua versatilidade permite nadar provas de livres, costas e estilos com uma qualidade muito homogénea. Mas certamente que não deixará de nadar os 400 e os 800 livres, provas onde tem recordes pessoais muito próximos do mínimo para os Campeonatos da Europa de Juniores.

Foto: Luís Filipe Nunes

Joker – Joana Martins

É um joker por vários motivos. O primeiro é por poder nadar várias provas sempre a um bom nível. O segundo é porque ainda é juvenil-B mas está a 2 centésimos da melhor júnior do ano nos 200 mariposa. O terceiro é porque tem estado ininterruptamente a fazer cair os seus recordes pessoais. Em suma, é uma nadadora que pode surpreender muitas adversárias e, nas suas provas, desequilibrar a balança a favor do Benfica contrariando muitas vezes a teoria.

Foto: Luís Filipe Nunes

Trunfos – Ana Graveto, Inês Bernardo, Filipa Grilo e Jéssica Brito

Citamos habitualmente quatro trunfos, mas o Benfica tem outros de igual valia como a costista Ana Raquel Ferreira, a velocista Sofia Rolão ou a fundista especialista em águas abertas Eva Carvalho.

Sobre os quatro trunfos em destaque, Ana Graveto é uma das mariposistas em maior destaque este ano em Portugal. Em piscina curta, pela primeira vez baixou dos 2:20 nos 200 mariposa (tinha 2:25.63 de RP no final da época passada), está perto de baixar do 1:04 nos 100 (começou a época com 1:06.75) e nunca tinha baixado dos 30 segundos aos 50 metros…até este ano que já fez 28.84. Inês Bernardo veio do Colégio Monte Maior para o Benfica este ano e Cláudia Borges ganhou uma companheira de enorme qualidade para as provas de bruços. Filipa Grilo no início da época partia atrás de Ana Raquel Ferreira para assumir as provas de costas, mas nesta época tem estado melhor. Podem vir a nadar as duas as provas dessa técnica e beneficiarem da competição interna. Finalmente Jéssica Brito é a sprinter de serviço, pelo menos aos 50 livres e 50 mariposa. Veremos se também nos 100 livres e estafetas.

Prognóstico Fair Play

Quando o Benfica venceu a segunda divisão no ano passado, logo se percebeu que não vinha para a primeira para ser espectador da luta pelo título. E se o Benfica do ano passado já tinha fortes argumentos para entrar nessas contas, agora ainda tem mais. Do ano passado para este não perdeu ninguém e teve reforços de alto nível, como Letícia, Filipa, Inês e Eva.

Isso dá ao Benfica aspirações legítimas para lutar pelo título, mas o Algés continua a ser a equipa favorita a esse título que já é seu. O Benfica fará parte do pelotão dos três grandes que vão desafiar as nadadoras algesinas.

Entre estes três perseguidores a hierarquia vai-se definir por menos de meia dúzia de pontos, por isso a previsão do lugar que o Benfica vai ocupar não é fácil.

Como temos de apostar, fica a nossa predição do 3º lugar final para o Sport Lisboa e Benfica.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter