[Bisca da Primeira Divisão Feminina] Sociedade Filarmónica União Artística Piedense

João BastosMarço 13, 20185min0

[Bisca da Primeira Divisão Feminina] Sociedade Filarmónica União Artística Piedense

João BastosMarço 13, 20185min0
Analisamos o naipe da equipa feminina da Sociedade Filarmónica União Artística Piedense para ir a jogo na 1ª divisão nos próximos dias 17 e 18 de Março em Coimbra

O Campeonato Nacional de Clubes da 1ª divisão realiza-se em Coimbra nos dias 17 e 18 de Março. O Fair Play faz a análise das 12 equipas masculinas e das 12 equipas femininas que disputarão o título de clubes mais importante da natação nacional


Tal como a equipa masculina, a equipa feminina está a sofrer um processo de renovação. A equipa que estará presente em Coimbra este ano não tem quase nada a ver com aquela que esteve na Póvoa de Varzim no ano passado, pelo que o grande desafio para a equipa comandada pelo técnico Gustavo Fortuna será garantir a manutenção este ano. Caso o faça na presente época, na próxima já será previsivelmente mais fácil face à idade das nadadoras que constituem a equipa da União Piedense.

Ás – Luísa Machado

É uma das nadadoras juniores em maior evidência esta época. Nos nacionais de piscina curta foi penta-campeã nacional com significativas melhorias dos seus recordes pessoais. O seu foco deverá estar virado para as provas de bruços e – sobretudo – de estilos, onde tem possibilidade de se apurar para os Campeonatos da Europa de Juniores, encarando estes nacionais na perspectiva de angariar o máximo de pontos possível para a sua equipa e carimbar o passaporte para Helsínquia.

Foto: Luís Filipe Nunes

Rainha – Inês Santos

A nadadora de 18 anos na época passada apenas nadou a estafeta 4×200 metros livres da SFUAP. Este ano vai ser uma das maiores protagonistas da equipa de Almada previsivelmente assumindo as distâncias de livres, desde os 100 aos 800 metros. Ainda não encontrou a sua melhor forma este ano, pelo que os Nacionais de Clubes é a ocasião ideal para isso.

Foto: Arquivo Pessoal

Dama – Margarida Ferreira

A SFUAP não teve só saídas este ano. Margarida Ferreira deixou de representar a Naval Amorense para representar a União Piedense. Tem apenas 14 anos mas já é uma nadadora de grande nível nas provas de bruços. A sua evolução tem sido notável e esta época já baixou do 1:20 aos 100 em piscina longa e está prestes a baixar dos 2:50 nos 200. Tinha iniciado a época com recordes pessoais de 1:20.97 e 2:59.28, o que diz bem da progressão da juvenil-B.

Foto: Olhar by Pardal

Manilha – Celeste Ricardo

A júnior deverá ter a seu encargo as provas de costas. Este ano já melhorou o seu recorde pessoal dos 50 metros costas na primeira e única oportunidade que teve em piscina longa. Será um bom augúrio para fazer o mesmo nas restantes distâncias dessa técnica. Também para as três estafetas terá um papel preponderante.

Foto: Olhar by Pardal

Joker – Marta Domingos

Tal como Margarida Ferreira, também é juvenil-B, também é brucista e também está em acelerada evolução. No Meeting Internacional de Lisboa melhorou de uma assentada quase 4 segundos aos 100 e mais de 6 segundos aos 200 metros. Caso as duas juvenis formem dupla nas provas de bruços, Luísa Machado fica “dispensada” para outras provas como as distâncias mais longas de livres.

Foto: Olhar by Pardal

Trunfos – Beatriz Amantes, Inês Almeida, Margarida Barros e Raquel Pena

Beatriz é mais uma juvenil da equipa da SFUAP que está em recta ascendente. Será um trunfo importante nas provas de livres, incluindo as estafetas. Já Inês Almeida pode nadar as provas de costas, fazendo dupla com Celeste Ricardo, ou nadar provas de mariposa, fazendo dupla com a júnior Margarida Barros que deverá nadar as três provas dessa técnica. Finalmente, Raquel Pena ainda não competiu este ano mas é um elemento valioso para as provas mais rápidas, como 50 e 100 livres.

Prognóstico Fair Play

Na época passada a SFUAP classificou-se no 5º lugar e este ano tinha tudo para ter uns campeonatos bastante tranquilos, quem sabe até a ameaçar o pódio. O que é facto é que perdeu praticamente toda a equipa que nadou em 2016/2017 e os objectivos passam agora por lutar pela manutenção na 1ª divisão.

Da equipa que nadou no ano passado já não está Filipa Rodrigues, Eva Carvalho, Filipa Alves e Letícia André e a equipa da União Piedense enfrentará a 1ª divisão com uma equipa muito jovem (será a equipa com a média de idades mais baixa) e as hipóteses de manutenção são bastante diminutas. Mas se a média de idades é um handicap também pode ser uma surpresa, já que as nadadoras da SFUAP podem retirar muitos segundos aos seus recordes pessoais como o têm feito em outras provas esta época.

De qualquer forma, o nosso prognóstico não é animador. Antevemos o 11º lugar para a equipa feminina da SFUAP.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter