A luta pelos últimos dois lugares dos Jogos Olímpicos 2020

Thiago MacielJaneiro 14, 20207min0

A luta pelos últimos dois lugares dos Jogos Olímpicos 2020

Thiago MacielJaneiro 14, 20207min0
Os Jogos Olímpicos estão a poucos meses de começar e no voleibol a luta pelas últimas vagas subiu de intensidade. Um recap de quem já tem bilhete confirmado para o maior evento desportivo do ano

Entre os dias 4 e 12 de janeiro deste ano, as dez vagas restantes nos torneios olímpicos masculino e feminino de vôlei para os jogos de Tóquio foram definidas.

Dois torneios por continente (um em cada naipe) foram disputados, com apenas o campeão carimbando o passaporte olímpico. E aqui no Fairplay você acompanha o que de melhor aconteceu em cada Pré-Olímpico.

EUROPA

Previsibilidade não é uma boa palavra pra definir o que ocorreu no Pré-Olímpico europeu masculino, primeiro a Sérvia que despontava como a seleção favorita, por te ganho o europeu de 2019 e contava com a sua força máxima, caiu logo na primeira fase. Depois, a Bulgária, que passara de forma invicta pelo “Grupo da Morte” (com Sérvia, França e Países Baixos) foi eliminada na semifinal pela pouco cotada seleção alemã.

Na final França, que venceu a Eslovênia na outra semifinal, e Alemanha fizeram um confronto equilibrado, mas com vitória francesa por 3×0. A seleção da França que iniciou o Pré-Olímpico cheia de problemas, como casos de lesões de jogadores importantes, o oposto Boyer que pediu dispensa por desavenças com o craque Ngapeth (aquele mesmo preso no Brasil mês passado), enfim tinha tudo para a França se despedir precocemente deste Pré-Olímpico, porém saem de Berlim com o passaporte garantido para os jogos de Tóquio.

Apeldoorn, em Países Baixos, foi a sede do Pré-Olímpico europeu feminino, começaram como favoritas as seleções de Países Baixos, Turquia e Polônia, mesmo esta tendo uma preparação conflituosa entre técnicos e jogadoras. E ao contrário da imprevisibilidade do torneio masculino chegaram as semifinais as três favoritas mais a surpreendente seleção alemã, que tirou da Turquia o primeiro lugar do grupo. Com vitórias de Alemanha e Turquia nas semifinais sob respectivamente Países Baixos e Polônia, alemãs e turcas fizeram a final com a Turquia vencendo de forma tranquila e garantindo a vaga para as Olimpíadas de Tóquio. Turquia que após uma 1° fase de tropeços, perdendo inclusive para a própria Alemanha, vai para sua segunda participação nos jogos.

O polêmico Ngapeth confirmou presença em Tóquio (Foto: Getty Images)

AMÉRICA DO SUL

Com Brasil e Argentina garantidos em Tóquio, uma vaga extra foi disputada entre os sul-americanos, e pela primeira vez na história dos jogos teremos três seleções sul-americanas disputando o torneio. O Chile se apresentava como principal candidato para uma histórica classificação e ainda jogava em seus domínios, porém uma derrota logo nas estreia para venezuelanos mudou o rumo do torneio e deixou tudo embolado, pois já na segunda rodada a Colômbia ganhou da Venezuela e deixou tudo para a rodada final. O Chile entrou no último jogo já eliminado, pois a Venezuela vencera mais cedo, ainda assim venceu a Colômbia e com esse resultado classificou os venezuelanos para Tóquio-2020.

Entre as mulheres o que prometia ser uma briga entre Colômbia, Argentina e Peru, acabou sendo polarizada entre colombianas e argentinas. E foi “Las Panteras”, como são conhecidas a argentinas, que garantiram a vaga na Olimpíada de Tóquio-2020. Na final, em Bogotá, as donas da casa foram impecáveis no primeiro set, porém a partir daí não conseguiram mais colocar a bola no chão com eficiência e viram o sonho de participar de suas primeiras Olimpíadas ser enterrado pela seleção Argentina mais experiente e melhor tecnicamente.

AMÉRICA DO NORTE E CENTRAL

A República Dominicana confirmou o favoritismo e apesar de certa dificuldade nos dois primeiros jogos (contra Canadá e México), as “Rainhas do Caribe”, atuais campeãs pan-americanas, conquistaram a vaga de forma invicta com a vitória sobre Porto Rico na última rodada do Pré-Olímpico, e se garantiram em Tóquio-2020.

Entre os homens Cuba, contando com a volta do central Simón, e Canadá disputaram num grande jogo a vaga, e numa reação incrível por parte dos canadenses, que depois de estarem perdendo por dois sets a zero, derrotaram os caribenhos de virada na Cidade de Vancouver. No ultimo dia de Pré-Olímpico bastou para o Canadá ganhar de Porto Rico e se garantir nas Olimpíadas de Tóquio.

ÁSIA

Com China e Japão garantidos nos jogos, a Coreia do Sul era a grande favorita para ficar com a vaga do Pré-Olímpico asiático, visto que a Tailândia perdeu espaço no cenário internacional nos últimos anos. Depois de uma primeira fase tranquila tanto para sul-coreanas e tailandesas e semifinais com vitórias sofridas para ambas, a esperada final do Pré-Olímpico se confirmou. E como se imaginava a Coréia do Sul garantiu sua décima segunda presença nos jogos olímpicos com uma vitória por 3×0.

Entre os homens, o Irã entrou em quadra como o maior candidato a vaga, mas é uma equipe capaz de ganhar de um top cinco do cenário internacional num dia e perder para um coadjuvante no outro. Era esperado que a Austrália fosse a principal adversária dos iranianos, mas esta foi eliminada ainda na 1°fase pelas seleções do Catar e da Coréia do Sul. Assim nas semifinais o Irã, com muita dificuldade, bateu a Coréia do Sul e a China ganhou do Catar. No domingo, o favoritismo do Irã não foi incomodado em nenhum momento na final do Pré-Olímpico, os iranianos derrotaram os donos da casa por 3×0 garantindo sua classificação para os jogos de Tóquio 2020.

ÁFRICA

No feminino, cinco seleções disputaram em Younde (Camarões) as vagas, com Camarões e Quênia entrando como favoritos, as camaronesas buscavam uma segunda participação consecutiva nos jogos olímpicos, no entanto foram as quenianas, com uma vitória por 3×0 na Nigéria, que carimbaram o passaporte para as Olimpíadas, participação esta que ocorre pela terceira vez.

No masculino, que teve como sede a cidade de Cairo no Egito, quatro seleções (Gana desistiu) jogaram por uma vaga em Tóquio. Egito e Tunísia largavam na frente por possuírem uma maior rodagem internacional em comparação com os outros adversários. E após uma vitória categórica sobre o Egito na terceira rodada a Tunísia sacramentou a vaga aos jogos olímpicos vencendo a Argélia, mantendo o posto de país africano com maior participação nas Olimpíadas.

Quenianas comemoram vaga (Foto: Getty Images)

EQUIPAS APURADAS PARA OS JO

MASCULINO: Japão, Polónia, Itália, Irão, França, Venezuela, Brasil, EUA, Rússia*, Argentina, Canadá e Tunísia;

FEMININO: Japão, Sérvia, Brasil, Coreia do Sul, Rep. Dominicana, Quénia, China, EUA, Rússia*, Itália, Argentina e Turquia;

*Vale lembrar que não existe uma posição oficial da FIVB sobre a exclusão da Rússia, após a suspensão por conta dos escândalos de doping. Atualmente, o cenário possível é que o vôlei russo jogue a Olimpíada com a bandeira olímpica.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter