Trio da frente vence em terrenos complicados e mantem distâncias entre si

José NevesFevereiro 23, 201811min0

Trio da frente vence em terrenos complicados e mantem distâncias entre si

José NevesFevereiro 23, 201811min0
Uma 16ª jornada em que o trio da frente do campeonato ultrapassou saídas tradicionalmente complicadas, mantendo as distâncias entre si no topo da tabela. Esta foi uma ronda que viu ainda o lanterna vermelha vencer pela primeira vez na competição.

Duelo de leões sorriu aos de Alvalade

SC Tomar 1-3 Sporting CP

O leão nabantino e o leão de Alvalade encontraram-se em Tomar após uma jornada europeia em que ambos jogaram fora do país, os da casa foram derrotados por 4-2 em Lleida para a Taça CERS, os visitantes registaram uma vitória ao cair do pano por 1-0 frente aos franceses do Quévert para assegurar a passagem aos quartos de final da Liga Europeia.

Avisados para as dificuldades que poderiam encontrar perante um Tomar que deu boa conta de si na recepção aos restantes candidatos ao título de campeão nacional, o Sporting encontrou pela frente um adversário aguerrido e bem organizado na sua meia pista defensiva, tendo apenas derrubado a muralha nabantina pela primeira vez aos 15 minutos de jogo, com o argentino Matías Platero a bater Diogo Alves assistido por Pedro Gil. Os comandados por Paulo Freitas haveriam de fazer o 2-0 ainda no primeiro tempo por intermédio de Caio, mas já perto do intervalo João Sardo, solto de marcação ao segundo poste, respondeu da melhor maneira a uma incursão pela direita de Pedro Martins, e levou a equipa da casa para o intervalo a perder pela diferença mínima. Na segunda parte oTomar voltou a deixar uma boa réplica ao Sporting mas seria o espanhol Toni Perez a repor a vantagem de 2 golos para a turma visitante em situação de powerplay, após azul mostrado a João Sardo. Apesar da desvantagem o conjunto de Nuno Domingues nunca baixou os braços tendo desperdiçado uma soberana oportunidade a cerca de cinco minutos do fim, de relançar a partida quando Hernâni Diniz falhou um livre directo após azul a Platero, o Sporting acabaria por manter a vantagem durante o período de powerplay e garantir uma difícil vitória por 1-3.

Benfica passa teste em Turquel

HC Turquel 1-6 SL Benfica

Mais um jogo entre equipas europeias entre um Turquel vindo de uma embaraçosa derrota para a Taça de Portugal por 1-6 frente ao Riba d’ave do segundo escalão, resultado que acabou por levar à saída do treinador Jorge Godinho na equipa alcobacense, e que na estreia de Nelson Lourenço no banco registou uma derrota por 4-5 frente aos poderoso Breganze para a Taça CERS. Já o Benfica visitou o terreno do campeão suíço Montreux e goleou por 11-4, em jogo a contar para a Liga Europeia.

Neste jogo acabou por ser a equipa da casa a entrar melhor e logo aos 4 minutos de jogo Vasco Luís, numa poderosa meia distância, bateu Pedro Henriques para inaugurar o marcador, a resposta das águias foi pronta, e logo no minuto seguinte João Rodrigues acabaria por restabelecer a igualdade. O minuto 7 trouxe alguma polémica ao jogo com  o árbitro Miguel Guilherme a admoestar com cartolina azul dois homens do Turquel, primeiro Vasco Luís por falta sobre Nicolia, num lance em que os da casa pediam simulação do argentino, e depois ao guardião Marco Barros na marcação do respectivo livre directo por se mexer antes da marcação do mesmo, apesar dos protestos do guardião alvinegro por suposta simulação de Nicolia na marcação do livre. Com apenas 2 jogadores de campo em pista a equipa do Turquel acabou por assistir à remontada no marcador com João Rodrigues a bisar na partida e, pouco depois, a concretizar o hat-trick, ainda no primeiro tempo o espanhol Jordi Adroher fez o 1-4 com que se regressou aos balneários, tendo o Turquel ainda desperdiçado um livre directo, dando uma confortável margem aos encarnados para gerir o jogo nos segundos 25 minutos. Na etapa complementar o Benfica foi mais cerebral a gerir a posse da bola e contou com uma grande exibição de Pedro Henriques na baliza para impedir que a equipa de Nelson Lourenço voltasse a entrar na disputa dos 3 pontos, e com tentos de João Rodrigues e Valter Neves acabaria por chegar ao resultado final de 1-6. Uma vitória justa e que premeia uma grande exibição do guardião do Benfica.

Porto goleia em Viana

A Juventude Viana 2-7 FC Porto

A Juventude de Viana a contar já com Francisco Silva e Emanuel Garcia, ambos recuperados de lesão, recebia o campeão nacional dias após uma derrota caseira por 2-5 frente ao Barcelos a contar para a Taça CERS, o seu adversário nesta jornada, o FC Porto, havia empatado no terreno do Vic na jornada europeia, um resultado que não altera o facto dos dragões já estarem apurados para os quartos de final da Liga Europeia.

Era um jogo que se esperava difícil para o Porto, mas a equipa de Guillem Cabestany acabou por fazer pender os pratos da balança para o seu lado nos minutos inaugurais da partida, com golos de Hélder Nunes, Reinaldo Garcia e Rafa a darem uma preciosa vantagem de 0-3 com apenas 6 minutos jogados. Foi com este resultado que se voltou aos balneários, tendo nos minutos iniciais do segundo tempo o FC Porto colocado um ponto final na partida, Rafa e Jorge Silva ampliaram para 0-5, e nem o golo de João Ramalho pouco depois para a equipa da casa fez tremer o campeão que a cerca de 8 minutos do final já vencia por esclarecedores 1-7. A equipa de Viana acabou ainda por reduzir nos segundos finais mas os 3 pontos à muito que estavam assegurados pelo Porto, que assim se mantém na perseguição ao líder Benfica.

Braga assustou mas Oliveirense leva os três pontos

HC Braga 2-5 UD Oliveirense

Jogo entre duas equipas em metades opostas da tabela classificativa, o aflito Braga recebia no seu reduto uma Oliveirense que agora luta por manter o 4º lugar. Foi a equipa visitante a entrar melhor e inaugurar o marcador por intermédio de Jordi Bargalló, mas a resposta dos bracarenses foi pronta, depois de Bekas ter desperdiçado um penalty após azul a Ricardo Barreiros, o mesmo acabou por bater Xavier Puigbi no período de powerplay para restabelecer a igualdade. 5 minutos volvidos Bekas voltou a colocar a bola no fundo da baliza da Oliveirense, colocando o Braga pela primeira, e única, vez na frente do marcador. A equipa de Tó Neves haveria de voltar à posição de liderança ainda no primeiro tempo, primeiro com golo de Nuno Araújo aos 16, e depois por Pablo Cancela num livre directo após azul a Carlos Loureiro. No segundo tempo a equipa da casa dispôs de 3 livres directos para poder empatar ou mesmo passar para a frente do marcador, mas Bekas por duas vezes e Márcio Rodrigues por uma foram incapazes de ganhar os duelos perante os guardiões da Oliveirense. E como diz o ditado que quem não marca, sofre, foi a Oliveirense que colocou um ponto final na partida com Pablo Cancela a bisar no livre directo da 10ª falta bracarense e Jordi Burgaya, já nos minutos finais, a estabelecer o resultado final de 2-5.

Eficácia nas bolas paradas ditou vitória valonguense

AD Valongo 5-1 OC Barcelos

Valongo e Barcelos separados apenas por 2 pontos na tabela classificativa entravam em campo com o mesmo objectivo, manter-se na luta pelo 4º lugar da Oliveirense. Numa primeira parte onde as bolas paradas foram decisivas para o resultado final, o Valongo marcou por três ocasiões, primeiro por Poka na recarga de um penalty, depois por Ruben Pereira de livre directo após cartão azul exibido a Zé Pedro, e a 4 minutos do fim novamente o capitão valongunese de livre directo após azul a Juan Lopez, a colocar o resultado em 3-0, o primeiro tempo não terminaria sem que o Barcelos desperdiça-se o primeiro de 4 livres directos a poucos segundos do descanso. Na segunda parte a ineficácia barcelense nas bolas paradas foi uma constante e impediu que a equipa de Paulo Pereira se aproximasse no marcador, Rúben Sousa falhou um penalty aos 29 minutos, e aos 30 Zé Pedro desperdiçou um livre directo após cartolina azul mostrada a Poka. Em powerplay Zé Pedro acabaria por marcar o único golo do Barcelos e reduzir para 3-1, um resultado que rapidamente foi desfeito com 2 golos da equipa da casa nos 2 minutos seguintes, Diogo Fernandes e Xavier Cardoso colocavam a equipa do Valongo a vencer por expressivos 5-1 ainda com 17 minutos para jogar. O resultado já não voltaria a sofrer alterações mas o Barcelos ainda viria a desperdiçar mais 2 livres directos, primeiro pelo espanhol Juan Lopez após a 15ª falta da turma de Miguel Viterbo, e depois por Marinho depois de um azul exibido a Ruben Pereira, ambos os jogadores não conseguiram bater Leonardo Pais, o guardião do Valongo que rubricou uma excelente exibição.

A primeira para o Grândola

HCP Grândola 4-3 C Infante Sagres

Último e penúltimo da classificação defrontaram-se nesta jornada num jogo muito importante para as aspirações de sobrevivência de ambos. Foi a equipa do Infante a primeira a marcar com João Paulo Candeias a bater Tiago Pereira na transformação de uma grande penalidade com resposta 5 minutos mais tarde de António Pereira. Nos últimos 5 minutos do primeiro tempo Bruno Fernandes do Infante foi expulso com cartão vermelho directo mas Filipe Bernardino foi incapaz de concretizar o livre directo, não marcou o Grândola, marcou o Infante, Candeias bisou a 2 minutos do intervalo de livre directo após azul a João Ferro, dando a vantagem à equipa visitante ao intervalo. A segunda parte inicou-se com o golo do empate de Ruben Silva de penalty e o resultado 2-2 manter-se-ia até aos derradeiros 3 minutos, onde José Gonçalves fez o 3-2 de livre directo depois de Manuel Pinheiro ter visto o azul, no mesmo minuto Candeias empatou a partida em mais um livre directo mas na resposta Ruben Silva voltou a dar a vantagem ao conjunto alentejano. No último minuto mais dois azuis foram exibidos, ambos a jogadores do Infante Sagres, mas a equipa da casa foi incapaz de marcar os respectivos livres directos, ficando-se assim por uma vitória pela margem mínima. Um resultado histórico para a equipa do Grândola que assim vence pela primeira vez na sua história no principal campeonato português.

Paço de Arcos volta a vencer e afasta-se dos lugares de descida

Valença HC 2-3 CD Paço de Arcos

Valença e Paço de Arcos separados por apenas 2 pontos na tabela, jogavam entre si na tentativa de fugir aos lugares de descida. Numa primeira parte disputada e em que por apenas 1 vez as redes abanaram, Zé Braga aos 6 minutos de jogo fez o primeiro para o Valença, levando a equipa da casa na frente para o intervalo. Na segunda metade os níveis de intensidade aumentaram e Zé Braga foi punido com um cartão azul aos 32 minutos de jogo, a equipa da linha desperdiçou o livre directo mas no período de powerplay Tiago Gouveia restabeleceu a igualdade. Uma igualdade que seria desfeita novamente por Zé Braga que fez o seu segundo golo da conta pessoal a cerca de 11 minutos do final. A remontada do Paço de Arcos foi feita já nos derradeiros minutos com 2 golos de Gonçalo Nunes, ambos de livre directo, dois cartões azuis mostrados a Zé Braga e Luís Viana nos últimos 4 minutos da partida permitiram que o jovem da formação de Paço de Arcos batesse Rodolfo Sobral e assim garantisse 3 preciosos pontos para a sua equipa, nesta que foi a 2ª vitória consecutiva do Paço de Arcos.

Leonardo Pais foi destaque na vitória valonguense (foto: HC Turquel)

Dados da Jornada

Cinco da Jornada:

Leonardo Pais (AD Valongo), Ruben Pereira (AD Valongo), Gonçalo Nunes (CD Paço de Arcos), Ruben Silva (HCP Grândola), João Rodrigues (SL Benfica)

A figura:

Leonardo Pais (AD Valongo) – O guardião valonguense foi apenas batido por uma vez na partida frente ao Barcelos, tendo parado 4 livres directo e 1 grande penalidade, numa excelente exibição que permite ao Valongo sonhar com o 4º lugar.

Números da jornada:

1– Apenas um dos sete jogos desta jornada não teve qualquer sanção disciplinar, o Juv.Viana x Porto;

25– Cartões azuis mostrados nesta jornada, a ronda do campeonato em que mais cartões saíram dos bolsos dos árbitros.

Melhores Marcadores do Campeonato:

Gonçalo Nunes (CD Paço de Arcos) / João Rodrigues (SL Benfica) – 25 Golos

Gonçalo Alves (FC Porto) – 24 Golos


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter