21 Jun, 2018

Porto foi o vencedor da jornada, Sporting mantém liderança

José NevesJaneiro 11, 201815min0

Porto foi o vencedor da jornada, Sporting mantém liderança

José NevesJaneiro 11, 201815min0
Numa jornada de vários jogos entre adversários directos, os quatro candidatos ao título jogaram entre si. Vê aqui tos os vencedores e destaques desta ronda.

No passado fim de semana realizou-se a 11ª jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins, uma ronda marcada pelos vários encontros directos, desde logo entre os 4 candidatos ao ceptro de campeão nacional com o Sporting a receber o Benfica e a Oliveirense a receber o Porto. Para além destes 2 jogos cabeça de cartaz houve ainda jogo entre Juv. Viana e Valongo, Tomar e Braga, Turquel e Valença, e Infante Sagres e Paço de Arcos, todos eles colocando frente a frente equipas com os mesmos objectivos para a presente temporada. Na tabela classificativa após esta emocionante jornada os leões mantém a liderança com 2 pontos de vantagem para as águias e 4 para os dragões, ficando a equipa de Oliveira de Azeméis a já 7 pontos do 1º lugar. Na metade oposta o Paço de Arcos deixou os lugares de despromoção sendo estes agora ocupados por Braga, Infante Sagres e Grândola.


Sporting e Benfica mantém invencibilidade

Sporting CP 3-3 SL Benfica

Primeiro e segundo classificados do campeonato entravam em rinque naquele que seria o primeiro derbie da modalidade disputado na nova casa leonina. Com ambas as equipas a encarar os primeiros minutos do encontro de forma cautelosa, o marcador só seria inaugurado aos 12 minutos da partida e para os visitantes, Jordi Adroher assistido por Carlos Nicolia, apareceu livre de marcação perto da marca de penalty e colocou a bola no fundo das redes de Ângelo Girão.

A resposta verde e branca não se fez esperar e à passagem do minuto 18 Ferran Font roubou a bola a Nicolia na sua meia pista e iniciou uma situação de 3×2 colocando em Toni Perez que num remate enrolado permitiu uma primeira defesa a Pedro Henriques, na recarga o mesmo Ferran Font ficou sozinho na área encarnada e bateu o guardião benfiquista, 2 minutos volvidos uma falha defensiva de Nicolia permitiria ao Sporting dar a volta ao resultado, Caio patinou por trás da baliza encarnada e assistiu Toni Perez que se encontrava ao segundo poste livre da marcação do argentino, conseguia assim o Sporting dar a volta ao marcador e voltar aos balneários na frente da partida.

Os primeiros minutos do segundo tempo voltaram a mostrar duas equipas receosas de sofrer um golo que poderia ser decisivo para o resultado final do jogo, aos 37 minutos de jogo Caio voltou a patinar por trás da baliza do Benfica e num passe para a entrada da área encontrou Matias Platero que perante alguma passividade na marcação, mais uma vez de Carlos Nicolia, rematou para o fundo da baliza de Pedro Henriques.

Mas se Nicolia estava a ter uma tarde para esquecer na sua meia pista defensiva ainda foi bem a tempo de se redimir e oferecer o empate ao clube da Luz, já dentro dos derradeiros 10 minutos, e após um livre directo (o único da partida), falhado por Ferran Font, o internacional argentino protagonizou um remate sem preparação mas pleno de colocação que surpreendeu a equipa da casa e reduziu o marcador, a 4 minutos do fim e numa incursão pela direita, o número 5 dos encarnados assistiu Adroher no interior da área mas a bola desviou no patim de Platero traindo Girão, sendo assim o golo atribuído a Nicolia. Com este empate o Sporting mantém a liderança isolada no campeonato e ambos os conjuntos prosseguem como as únicas ainda sem derrotas.

Porto recupera, Oliveirense afunda

UD Oliveirense 1-3 FC Porto

Oliveirense e Porto entravam em campo sabendo que uma vitória faria com que fossem os grandes vencedores da jornada, recuperando 2 pontos a Benfica e Sporting e 3 ao adversário desta jornada, por outro lado, em caso de derrota os 7 pontos que os separariam da liderança poderiam ser irremediáveis. O jogo começou praticamente com um lance de golo para os da casa, aos 2 minutos de jogo Rafa viu cartolina azul mas Pablo Cancela não conseguiu bater Carles Grau, para além do livre directo a equipa da Oliveirense não conseguiu aproveitar os 2 minutos de powerplay, e desde cedo se começou a pintar o quadro do desacerto da Oliveirense e da grande exibição de Carles Grau.

Aos 7 minutos numa jogada individual de Gonçalo Alves, o internacional português acabou por marcar um golo fabuloso (pode ser visto mais abaixo juntamente com os restantes golos do jogo), colocando-se de costas para o seu adversário e, já dentro da área, rematou por entre as pernas enganando Barreiros e Puigbi, a resposta da Oliveirense foi pronta, numa perda de bola da equipa portista na sua meia pista e após uma grande assistência de Pedro Moreira, João Souto na cara de Grau empatou a partida.

O empate manteve-se até á parte final do primeiro tempo sendo desfeito novamente por Gonçalo Alves na transformação de uma grande penalidade, antes também a Oliveirense beneficiou de um penalty mas mais uma vez Carles Grau foi mais forte no duelo com Bargalló. Ainda a 2 minutos do descanso foi a vez do Porto usufruir de um livre directo após cartão azul a Bargalló, mas também Puigbi prevaleceu no duelo com Hélder Nunes mantendo o resultado em 1-2 no regresso aos balneários.

No segundo tempo a Oliveirense correu atrás do prejuízo mas encontrou um Carles Grau em dia sim, o guardião espanhol foi adiando o golo do empate e acabaria mesmo por não sofrer na segunda parte. O único golo dos segundos 25 minutos foi marcado por Hélder Nunes na transformação do livre directo que puniu a 10ª falta da equipa da casa, já bem perto do final também a Oliveirense beneficiou da 10ª falta portista mas mais uma vez Carles Grau foi intransponível. Um resultado que se justifica na eficácia das bolas paradas tendo o Porto marcado em 2 das 3 que teve ao seu dispor enquanto que a Oliveirense, também com 3 bolas paradas a seu favor, a nunca ter conseguido levar a melhor do guardião azul e branco.

Divisão de pontos em Viana do Castelo

A Juventude Viana 5-5 AD Valongo

No Pavilhão de Monserrate defrontavam-se também duas equipas a lutar pelos mesmos objectivos e separadas na tabela classificativa por apenas 1 ponto. Juventude de Viana, 7ª classificada com 14 pontos, recebia o Valongo, 6ª com 15 pontos. Num jogo em que Diogo Fernandes, reforço dos valonguenses ex-Juv. Viana, foi o grande destaque da equipa de Miguel Viterbo, tendo abrido o activo à passagem do minuto 9 num desvio na cara de Jorge Correia após um passe para a área de Pedro Mendes, 4 minutos volvidos o mesmo Diogo Fernandes aumentava a vantagem do Valongo para 0-2 assistido por Poka num lance em que apareceu livre de marcação junto ao segundo poste e se limitou a empurrar o esférico para o fundo das redes da equipa da casa.

Mas a resposta da Juventude Viana foi imediata com o homem golo da turma de Renato Garrido, Emanuel Garcia a ser chamado à conversão de um livre directo após Xavier Cardoso ter visto a cartolina azul, e a reduzir para 1-2 numa stickada forte e colocada, 3 minutos depois, aos 17, foi a vez de Nuno Santos fazer o gosto ao stick e empatar a partida a 2 bolas, o jovem jogador vianense estreou-se a marcar na presente edição do campeonato após uma jogada de André Azevedo que assistiu o companheiro que, apesar da apertada marcação de Guilherme Silva, atirou para o golo. Mas mais uma vez o marcador não ficaria empatado por muito tempo, o Valongo respondeu aos 2 golos da equipa da casa com outros 2 golos até ao intervalo, primeiro foi Pedro Mendes num lance de 3×2 recebeu a bola em posição frontal e atirou para o 2-3, depois, a apenas 17 segundos do apito final para o término do primeiro tempo, Diogo Fernandes fez o hat-trick em situação de power play.

E se a primeira parte teve como protagonista Diogo Fernandes, na segunda foi Emanuel Garcia com o stick quente, o jogador argentino fez o 3-4 de livre directo após a 15ª falta valonguense e o resultado só voltaria alterar já nos derradeiros minutos da partida. A 6 minutos do fim Diogo Fernandes fez o 3-5 num lance de 2×1 onde ficou na cara do guarda-redes adversário e picou a bola por cima deste para voltar a dar uma vantagem de 2 golos ao Valongo, pouco depois numa jogada de insistência, Leonardo Pais ficou sem stick e Emanuel Garcia aproveitou para voltar a reduzir, desta feita para 4-5, e a 3 minutos do final, após a 20ª falta do Valongo, Garcia voltaria a bater Leonardo Pais, desta feita no 1×1, para restabelecer a igualdade que não voltaria a ser desfeita. Nota ainda para a expulsão de Renato Garrido, técnico da Juventude de Viana, durante o intervalo da partida.

Tomar vence no último minuto

SC Tomar 4-3 HC Braga

No Municipal de Tomar defrontavam-se o Sporting local e o Braga, duas equipas com o objectivo primordial da manutenção mas em momentos diferentes da época. De um lado o Tomar que, com a vitória neste jogo, alcançaria a excelente marca de 14 pontos ainda com 2 jornadas para disputar na 2ª volta, do outro um Braga com apenas 7 e com vontade de fugir aos lugares de descida. Entrou com maior pendor ofensivo a equipa da casa mas a primeira real ocasião de perigo pertenceu à equipa que viajou de Braga com Gonçalo Suissas a permitir a defesa de Marco Gaspar num livre directo após o guarda-redes titular da equipa nabantina Diogo Alves ter visto o cartão azul, ainda assim no minuto seguinte, e em situação de powerplay, o mesmo Gonçalo Suissas fez o golo numa jogada rápida de circulação de bola. A equipa do Tomar apenas conseguiu responder à passagem do minuto 21 por intermédio de João Alves num remate cruzado que surpreendeu Francisco Veludo.

Na segunda parte houve mais emoção com o Braga novamente a adiantar-se por Gonçalo Suissas mas o Tomar voltou a responder, desta feita por João Lomba após um desequilíbrio causado por Hernâni Diniz na direita. A 12 minutos do final a equipa da casa haveria de passar pela primeira vez para a frente do marcador, João Alves bisou com uma stickada forte, numa altura em que o Braga jogava reduzido a 4 unidades depois de um cartão azul mostrado a Bekas.

E com o resultado ainda em aberto os últimos momentos do jogo foram emotivos com o Braga a chegar ao empate novamente através do stick de Gonçalo Suissas num desvio à boca da baliza a uma primeira investida de Tomás Castanheira, mas o jogo estava longe de estar fechado, a equipa da casa acreditou que poderia ainda sair de campo com os três pontos e o golo da vitória saiu do stick de João Lomba a apenas 33 segundos do final. O defesa da equipa de Tomar, que ainda não tinha qualquer golo marcado nesta edição do campeonato, foi decisivo para que os três pontos ficassem em Tomar.

Turquel volta a vencer perante o seu público

HC Turquel 4-3 Valença HC

Duas equipas separadas por apenas 3 pontos na classificação e que entravam em campo com a certeza de que este era um jogo de vitória obrigatória, se por um lado a equipa do Turquel, com apenas 7 pontos somados no campeonato, tinha de vencer frente a um adversário directo na luta pela manutenção, do outro lado o Valença, com 10 pontos, sabia da importância que seria não só chegar aos 13 pontos como vencer num terreno de uma equipa envolvida na luta pela manutenção.

O início da partida foi incaracterístico com ambos os conjuntos a terem dificuldades em expor a sua qualidade em pista, a primeira ocasião flagrante seria para os da casa mas Vasco Luís atirou ao lado na marcação de uma grande penalidade, ainda assim o capitão alvinegro redimiu-se pouco depois, aos 18 minutos de jogo e após um primeiro remate pela direita de Daniel Matias, a bola embateu na tabela de fundo e foi ter de encontro ao stick de Vasco Luís que perante um Rodolfo Sobral sem saber onde se encontrava o esférico, empurrou para o primeiro da noite, no minuto seguinte uma jogada de 3×2 permitiu a Daniel Matias ficar em posição frontal à baliza e apesar da primeira defesa de Sobral, o defesa/médio da equipa de Turquel, à segunda, fez mesmo o 2-0 no marcador.

Na segunda parte a equipa do Valença mostrou outra atitude em campo e no espaço de 3 minutos empatou a partida, primeiro pelo stick do argentino Guido Pellizari num livre à entrada da área, depois pelo veterano Luís Viana, que numa jogada individual bateu o seu marcador directo e já dentro da área atirou para o fundo das redes de Tuga.

Com o empate o jogo ficou mais emotivo e o Valença dispôs mesmo de algumas oportunidades para dar a volta mas a equipa da casa manteve os índices de concentração e a 12 minutos do fim voltou à vantagem por André Moreira num desvio ao segundo poste depois de um passe de Pedro Vaz, apenas 2 minutos depois no livre directo que puniu a 10ª falta dos visitantes, Vasco Luís fuzilou as redes de Rodolfo Sobral num remate forte e colocado, e voltava a dar uma importante vantagem de 2 golos à equipa treinada por Jorge Godinho. Nos derradeiros minutos o Valença ão atirou a toalha ao chão tendo ainda reduzido para 4-3 por Luís Viana num lance de penalty a pouco mais de 1 minuto do fim, golo esse que ainda assim, seria curto para que os valencianos saíssem de Turquel com pontos.

Paço de Arcos deixa lugares de descida

C Infante Sagres 4-6 CD Paço de Arcos

Em mais um jogo entre equipas com os mesmos objectivos, Infante Sagres e Paço de Arcos (antepenúltimo e penúltimo, respectivamente), entravam em campo sabendo da importância dos 3 pontos em disputa. Numa primeira parte em que a bola tardou a entrar, o marcador só seria inaugurado a 2 minutos do intervalo, e por duas vezes, Tiago Gouveia e André Centeno gelavam o Pavilhão do Infante Sagres e, num ápice, davam uma confortável vantagem de 2 golos à equipa da linha. Para trás haviam ficado 3 lances de bola parada desperdiçados, um penalty e um livre directo para os da casa, e um livre directo para os visitantes.

A segunda metade trouxe os golos que a primeira não teve com o Paço de Arcos depressa a chegar aos 3-0 por intermédio de Nelson Ribeiro, depois, e após ambas as equipas voltarem a mostrar desacerto nas bolas paradas, Tiago Losna fez o 0-4 que parecia resolver a questão. A partir deste golo o jogo entrava numa toada de parada e resposta com golos de parte a parte e com um forcing final do Infante Sagres em conseguir pelo menos 1 ponto, mas a ser incapaz de recuperar uma diferença que durante 3 ocasiões se cifrou nos 4 golos.

Eficácia nas bolas paradas adia festa do Grândola

HCP Grândola 3-4 OC Barcelos

O Grândola ainda à procura da primeira vitória da sua história na primeira divisão recebia um Barcelos amplamente favorito mas avisado das dificuldades que os alentejanos já impuseram a outras equipas do campeonato. E a primeira parte foi de sonho para os da casa com António Pereira a abrir o activo aos 8 minutos e Filipe Bernardino, aos 12, a ampliar para 2-0 logo após uma grande penalidade defendida por Tiago Pereira, ainda no primeiro tempo a equipa da casa desperdiçou um livre directo após azul a Afonso Lima, numa soberana ocasião de poder levar o jogo para o intervalo nuns impensáveis 3-0.

Na segunda parte um Barcelos de cara lavada acabou por dar a volta ao texto em pouco mais de 3 minutos, Rúben Sousa por duas vezes, ambas de grande penalidade, e Marinho no livre directo da 10ª grandolense davam pela primeira vez a vantagem aos barcelenses. Uma vantagem que ainda assim pouco durou, já que Filipe Bernardino, o goleador do Grândola, restabeleceria a igualdade a 3 bolas. A 15 minutos do final Hugo Costa faria o 3-4 que acabaria por ser o golo da vitória do Barcelos num campo que mais uma vez mostrou ser difícil para qualquer equipa passar.

Os Dados da Jornada

Cinco da Jornada:

Carles Grau (FC Porto), João Lomba (SC Tomar), Rúben Sousa (OC Barcelos), Emanuel Garcia (Juventude Viana), Diogo Fernandes (AD Valongo)

A Figura:

Carles Grau (FC Porto) – Há quem diga que um bom guarda-redes faz mais de meia equipa e Carles Grau mostrou-o no passado fim de semana. 3 bolas paradas defendidas e um punhado de excelentes intervenções foram cruciais para a vitória dos Dragões.

Números da jornada:

1- Apenas 1 jogo terminou sem qualquer registo de cartões, o Sporting vs Benfica.

2- Apenas as duas equipas da região centro do país (HC Turquel e SC Tomar) venceram perante o seu público nesta jornada.

3- Jogos que terminaram com o resultado de 4-3.

Melhores Marcadores do Campeonato:

Gonçalo Alves (FC Porto) – 21 Golos

Jordi Adroher (SL Benfica) – 18 Golos

Gonçalo Nunes (CD Paço de Arcos) / Emanuel Garcia (A Juventude Viana) – 16 Golos


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter