O playoff e os confrontos directos entre os candidatos

José NevesOutubro 29, 20207min0

O playoff e os confrontos directos entre os candidatos

José NevesOutubro 29, 20207min0
Com a implementação de um playoff no final da temporada, a questão do factor casa é cada vez mais preponderante para a conquista do título. Dos cinco candidatos, e nos confrontos directos, qual é o que mais sucesso tem no seu pavilhão? E qual o que mais vezes triunfou em terreno alheio?

Durante a longa paragem de competição fruto da pandemia, a Federação de Patinagem de Portugal anunciou uma das grandes novidades para a época 2020-21, a implementação de uma segunda fase no campeonato disputada em formato de playoff. 

No início desse playoff, as oito equipas apuradas partirão todas a oito vitórias da conquista do título de campeão nacional, sendo que a única vantagem se prende com o factor casa. Tendo em conta a maior importância que os jogos caseiros têm no playoff, analisamos os dados históricos das últimas cinco temporadas (2015-16 a 2019-20), para tentar descobrir qual dos cinco candidatos tem melhor registo em casa nos confrontos directos, contra que adversário se dá melhor ou pior, e qual a equipa que mais vezes triunfou fora de casa. 

Reino do Dragão é pesadelo para os rivais 

Nas últimas cinco épocas, e ainda sem contabilizar os clássicos já disputados neste início de temporada, os cinco candidatos ao título defrontaram-se por 95 vezes para o campeonato da 1ª divisão. Nestas 95 partidas a vitória sorriu à equipa da casa em 54% das vezes, com a equipa visitante a vencer em 20%. Nos restantes 26% dos jogos registaram-se empates. 

Passando para lá desta primeira camada de números percebemos que, dos cinco candidatos, apenas dois têm um registo positivo na condição de visitado nestas últimas cinco temporadas. O FC Porto e o SL Benfica. 

No caso dos azuis-e-brancos os números dificilmente podiam ser melhores, dos 19 clássicos disputados em casa nas últimas cinco épocas os portistas ganharam 18. Apenas o Benfica em 17-18 conseguiu sair do Dragão com pontos na bagagem, após um empate a 7 bolas. 

Registo caseiro do FC Porto entre 2015-16 e 2019-20

No caso das águias os números não são tão impressionantes, mas ainda assim bem positivos. A percentagem de sucesso é de 78%, em 18 clássicos as águias triunfaram em 14, perdendo apenas por três ocasiões. Ainda assim desses três desaires, dois foram frente ao mesmo rival, o Sporting. Em 17-18 e 18-19 os leões visitaram o pavilhão do velho rival e de lá saíram com os três pontos. 

Nos confrontos entre os dois clubes com melhor currículo na história do hóquei português, o factor casa conta bastante. No Dragão, como referido em cima, o melhor que o Benfica fez nas últimas cinco épocas foi um empate. Na Luz, em quatro partidas as águias saíram sempre por cima. 

Registo caseiro do SL Benfica entre 2015-16 e 2019-20

Fortaleza de Azeméis é facilmente penetrável 

Com registo bem negativo surge a Oliveirense, a equipa que é crónica candidata mas que ainda não conseguiu chegar ao tão desejado título. E os números dos clássicos caseiros ajudam a explicar o porquê da Oliveirense continuar a falhar o objectivo. 

Em 19 jogos grandes, a Oliveirense apenas triunfou em cinco, e desses triunfos quatro vieram diante do Barcelos que apenas esta época se definiu como candidato ao título. Contra os três grandes do futebol são 14 jogos e apenas uma vitória, frente ao Benfica em 16-17. Todas as três potências triunfaram em Oliveira de Azeméis nos últimos cinco anos, águias por uma ocasião, leões e dragões por duas cada. 

Registo caseiro da UD Oliveirense entre 2015-16 e 2019-20

Em Barcelos os números podem ser um pouco enganadores, uma vez que a equipa minhota apenas em 20-21 surge como declarada candidata ao título, mas mesmo assim um número salta à vista, o FC Porto nos últimos cinco anos tem apenas uma vitória, e quatro derrotas no Municipal de Barcelos. 

Mesmo não tendo o título como objectivo, o Barcelos bateu quase todos os rivais no seu reduto… com excepção da Oliveirense, que apesar do mau registo caseiro, em Barcelos nunca perdeu nos últimos cinco anos. 

Registo caseiro do OC Barcelos entre 2015-16 e 2019-20

Já o Sporting tem um registo ligeiramente negativo nos clássicos em casa desde 2015-16, os leões saíram vitoriosos em 42% dos 19 jogos grandes que disputaram na condição de visitado, apesar de apenas averbarem três derrotas. 

Apesar de na Luz o Sporting ser a equipa visitante com melhor registo, em casa dos leões passa-se o contrário, o Benfica é a única equipa grande a quem o Sporting nunca venceu nos últimos anos. Em quatro jogos nas cinco épocas transactas (o derby de 19-20 não se chegou a realizar), o Sporting empatou três e perdeu no outro. 

Frente a Oliveirense e Porto os números são mais animadores, nas últimas cinco partidas caseiras frente aos dragões, os verde-e-brancos venceram por três ocasiões. Já a Oliveirense é o adversário directo com quem o Sporting se dá melhor, já que nos últimos cinco anos, a formação de Azeméis nunca conseguiu bater os leões para o campeonato, tanto em casa como fora. 

Registo caseiro do Sporting CP entre 2015-16 e 2019-20

Fora de portas ganha mais o Sporting 

Utilizando os mesmos dados estatísticos podemos igualmente chegar ao número de vitórias em terreno adversário. E aí a vantagem nos últimos cinco anos é do Sporting. 

São seis as vitórias leoninas em casa dos rivais (2 na Luz, 2 em Barcelos e 2 em Azeméis), sendo o Dragão o único território onde os leões nunca conquistaram vitórias. 

Em seguida surgem, Oliveirense com cinco vitórias fora (4 delas em Barcelos), Porto com quatro triunfos, e Benfica com três. O Barcelos é dos cinco candidatos aquele que menos venceu os rivais fora, contando apenas uma vitória, em 2019-20 no Pavilhão João Rocha. 

 

Nas últimas cinco épocas, Oliveirense nunca venceu o Sporting para o campeonato (Foto: Catarina Maria / FPP)

A conclusão a que chegamos é que, uma vez chegados os playoffs, o factor casa é muito importante, mas não determinante. Quase todas as formações já mostraram várias vezes serem capazes de vencer em terreno adverso, e, com excepção do FC Porto, todos os outros candidatos vacilaram em casa perante rivais directos nos últimos cinco anos. 

A fase regular tem a sua importância, mas desaires como aquele que o Benfica sofreu em Riba d’Ave, ou a Oliveirense em Tomar, acabam por ser menos determinantes nas contas do título como em épocas anteriores. E resultados como estes poderão até repetir-se ao longo da temporada, uma vez que será nos playoffs que a verdadeira luta pelo título de campeão nacional se vai jogar. 

 

(Foto de Capa: Catarina Maria / FPP)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter