Os principais reforços da 1ª Divisão Nacional para 2021/22

José NevesSetembro 22, 202112min0

Os principais reforços da 1ª Divisão Nacional para 2021/22

José NevesSetembro 22, 202112min0
Com a época já em andamento, destacamos os principais reforços das formações da 1ª Divisão, que poderão assumir grande destaque nas suas novas equipas.

Muitas foram as novidades vistas nas pistas da 1ª Divisão no passado fim de semana, que marcou o regresso do campeonato principal do hóquei em patins português. São vários os nomes que se apresentaram com uma camisola diferente daquela que haviam envergado em 2020/21, e alguns deles deixaram já a sua marca na jornada inaugural.

Neste artigo vamos analisar, equipa a equipa, a janela de transferências da 1ª Divisão, e perceber quem são os hoquistas que podem deixar uma maior marca na sua nova equipa ao longo da temporada.

Sporting CP – Henrique Magalhães

Depois de duas épocas em Oliveira de Azeméis, Henrique Magalhães respondeu positivamente ao chamamento do Leão, e voltou a envergar a camisola verde-e-branca em 2021/22.

Jogador importante nas conquistas leoninas do campeonato nacional de 2017/18, e da Liga Europeia de 2018/19, aquele que é para muitos o melhor defesa português da atualidade regressa a Lisboa, depois de duas épocas na Oliveirense em que não conseguiu replicar o sucesso qua havia alcançado no Sporting.

Com o núcleo da equipa a não mudar muito desde há duas temporadas, Henrique não deverá precisar de muito tempo para voltar a ter a influência no jogo de Paulo Freitas que tinha na última passagem pelos Leões.

Henrique Magalhães regressa dois anos depois (Foto: Sporting CP)

FC Porto – Telmo Pinto

De um regresso para outro, Telmo Pinto (ex. Sporting), deixa os atuais campeões nacionais para voltar ao FC Porto.

Contratado pelo Sporting para o lugar de Henrique Magalhães, Telmo Pinto representou os Leões em duas temporadas, até voltar tudo à casa de partida, Henrique voltou ao Sporting, e Telmo ao Porto.

Um de três reforços dos Dragões para a nova época, Telmo Pinto volta a casa para reforçar um sector defensivo que conta já com os experientes Reinaldo Garcia e Xavier Barroso, podendo ser um excelente complemento para os defesas argentino e espanhol, e garantindo a Ricardo Ares a presença de, pelo menos, um experiente jogador de características defensivas em rinque em qualquer momento do jogo.

OC Barcelos – Danilo Rampulla

Uma das vítimas de um caótico mercado no Benfica, Danilo Rampulla rapidamente encontrou clube após o surpreendente anúncio da dispensa do clube da Luz.

O novo reforço do Barcelos rapidamente mostrou aos fervorosos adeptos barcelenses ao que vinha, sendo um dos grandes destaques da caminhada vitoriosa do Óquei no primeiro troféu oficial da época, a Elite Cup.

Com apenas 22 anos, o OC Barcelos terá em Rampulla um virtuoso, capaz de criar desequilíbrios em qualquer defensa adversária. Um verdadeiro “ás de trunfo” na afirmação do Barcelos como candidato ao título, que poderá na equipa minhota mostrar todo o potencial que lhe é apontado à vários anos.

SL Benfica – Pablo Alvarez

Esta foi, por ventura, a grande movimentação do mercado deste ano, pelo menos em termos mediáticos. Pablo Alvarez, goleador de referência da seleção argentina e do Barcelona, trocou a formação catalã após 10 temporadas, pelos companheiros de seleção Carlos Nicolia e Lucas Ordoñez, e pelo Benfica.

O avançado de 34 anos chega a Portugal com um palmarés de fazer inveja a muitos, e com a ambição de o melhorar, e será naturalmente uma das grandes ameaças aos guarda-redes adversários, apesar de ter apontado somente um golo nos primeiros quatro jogos oficiais.

A tarefa não será fácil, Alvarez encontrará em Portugal muito maior concorrência pelo título do que aquela que tinha na OK Liga ao serviço do Barcelona, e o atual sistema de playoff traz sempre maior imprevisibilidade quanto ao campeão. Mas com a máquina bem oleada no playoff, este Benfica da dupla Ordoñez/Alvarez pode acabar a época com razões para celebrar.

UD Oliveirense – Franco Platero

Recém-chegado a Portugal, o defesa/médio argentino Franco Platero (ex.Liceo), irmão do sportinguista Matias Platero, é o reforço mais sonante de uma renovada Oliveirense.

Com passagens por Itália e Espanha, e com troféus conquistados em ambos os países, o defesa/médio de 29 anos promete ser um dos patrões da equipa de Paulo Pereira para a nova época.

Com um total de sete caras novas no plantel, a Oliveirense entra na nova época com ambição renovada de conquistar o título de campeão nacional, e para lá chegar alguns dos reforços terão de se chegar à frente para substituir jogadores importantes nas épocas anteriores como Jordi Bargalló ou Henrique Magalhães. Nuno Araújo, Xanoca, Xavier Cardoso e Franco Platero terão de se apresentar no seu melhor para que a Oliveirense consiga esta época o que nunca conseguiu, sagrar-se campeã nacional.

SC Tomar – Caio

De volta ao nosso campeonato após apenas uma temporada em Itália, o veterano Caio é o reforço mais sonante de um Tomar que ambiciona confirmar o estatuto de sexta melhor equipa portuguesa.

Com um percurso na 1ª Divisão que começou há mais de 20 anos no Gulpilhares, Caio traz a este ambicioso Tomar a experiência de uma carreira a jogar em equipas de topo. Com isso, o experiente jogador pode ser importante para que a equipa nabantina se estabeleça como a melhor equipa dos “não-candidatos”, e, quem sabe, encurtar mesmo distâncias para as cinco equipas de topo.

O início de época do Tomar não foi o melhor, com o último lugar de uma Elite Cup disputada em casa, e uma estreia no campeonato com um empate caseiro frente ao rival da zona centro, HC Turquel, mas Caio já começou a mostrar serviço, com um golo apontado na estreia do campeonato nacional.

Caio traz experiência a um Tomar ambicioso (Foto: SC Tomar)

AD Valongo – Vieirinha

Outra das vítimas do atribulado verão encarnado, Vieirinha foi dispensado das águias numa fase já avançada do mercado, tendo sido depressa resgatado por um Valongo jovem, mas de inegável qualidade.

Vieirinha é um de quatro reforços do Valongo para 2021/22, todos eles com provas dadas no nosso campeonato. Com apenas 25 anos, o defesa ex.Benfica é um dos mais experientes do plantel valonguense, depois de quatro épocas nos encarnados, e três no Barcelos.

Campeão do Mundo em 2019, Vieirinha, que quer na seleção, quer no Benfica, era um dos benjamins do balneário, agora fará a transição para um dos mais experimentados, e terá de assumir a responsabilidade de ser um dos líderes em pista de um Valongo jovem, mas com potencial para baralhar as contas do título a qualquer candidato.

A Juventude Viana – Reinaldo Ventura

Reinaldo Ventura regressou ao Barcelos na temporada passada, e por lá era suposto continuar nesta, mas após a dispensa de Danilo Rampulla do Benfica, os barcelenses optaram pela saída do veterano avançado e pela contratação do argentino.

A Juventude de Viana, apesar de ter já 11 jogadores para a temporada 21/22, não deixou passar a oportunidade de adicionar ao seu plantel um dos mais condecorados jogadores portugueses das últimas décadas, e assinou contrato com o avançado de 43 anos.

Em Viana do Castelo, Reinaldo Ventura vai certamente manter a sua veia goleadora, devendo mesmo ser o principal artilheiro de uma equipa que na temporada passada não teve qualquer jogador a ultrapassar a marca dos 15 golos no campeonato.

Reinaldo Ventura foi reforço de última hora para a Juventude (Foto: AJ Viana)

AD Sanjoanense – Rafa Lourenço

Rafa Lourenço mostrou nas duas épocas que passou em Paço de Arcos a apetência que tem para colocar a bola no interior das balizas adversárias, mas em Barcelos acabou por ser menos utilizado, e com a entrada de Alvarinho nos barcelenses, acabou por perder o lugar na equipa.

Emprestado pelo Óquei à Sanjoanense, Rafa tem a possibilidade de voltar ao nível a que se havia exibido em Paço de Arcos, e de acabar a época com números semelhantes na tabela dos melhores marcadores.

Numa equipa que perdeu o seu melhor marcador da temporada passada (Hugo Santos), Rafa Lourenço deverá assumir-se como o homem-golo da formação de São João da Madeira, algo que, aliás, já aconteceu na primeira jornada, tendo marcado por duas vezes na derrota por 9-5 no Pavilhão da Luz.

HC Braga – Pedro Mendes

O HC Braga apresenta para esta temporada dois reforços que poderão assumir-se como grandes destaques da equipa ao longo da temporada, Vítor Hugo e Pedro Mendes.

Destacamos Pedro Mendes, ele que na época transata foi o principal destaque de um Famalicense que esteve muito próximo de garantir a manutenção no principal escalão do hóquei em patins nacional.

Pedro Mendes é um defesa/médio que em Famalicão se assumiu como goleador, tendo marcado 22 golos no campeonato da 1ª Divisão. Competente em ambas as meia-pistas, pode ser um excelente reforço para um Braga que, de forma algo surpreendente, apenas alcançou a manutenção na última jornada da temporada passada, precisamente às custas do Famalicense.

HC Turquel – Federico Balmaceda

Tal como o HC Braga, o Turquel apresenta igualmente dois reforços que podem ser muito importantes ao longo da época, o regressado Xavier Lourenço, e o argentino Federico Balmaceda.

Escolhemos o avançado argentino uma vez que, nos jogos de pré-temporada, mostrou capacidade para fazer a diferença em frente à baliza, nomeadamente em situações de bola parada. Para uma equipa do Turquel que sofreu na temporada passada com a fraca capacidade de finalização, tendo sido um dos piores ataques do campeonato, Balmaceda pode assumir-se como um jogador de elevada importância.

Depois de uma época atribulada em que apenas pode respirar de alívio ao som da buzina do último jogo, Xavier Lourenço, Federico Balmaceda, e ainda Tiago Silva, um dos principais goleadores da 2ª Divisão em 2020/21, juntamente com grande parte da base da equipa do Turquel da época passada que sofreu poucas alterações, podem dar aos seus adeptos uma temporada mais tranquila.

Federico Balmaceda já marca com a camisola do Turquel (Foto: HC Turquel)

SC Marinhense – Albert Mola

Das três equipas que alcançaram a promoção para esta edição do campeonato da 1ª Divisão, o Marinhense é o que mais mexe na equipa. São quatro os reforços da equipa de Nuno Domingues, sendo que o guarda-redes espanhol Albert Mola, será aquele que a melhor nível terá que se exibir para que o Marinhense se mantenha entre a elite.

O guardião de 24 anos estreou-se enquanto sénior no Lleida, apesar de ser habitual suplente, saindo em 2018/19 para o campeonato francês e para o Quévert. É do clube francês que Albert Mola chega agora à Marinha Grande, com poucos jogos realizados desde o início da pandemia, mas com a ambição de se afirmar no melhor campeonato do Mundo.

Hernâni Diniz, o jovem Xavier Pinho, e o veterano Paulo Passos, são os restantes reforços de um Marinhense que pretende alcançar a manutenção na 1ª Divisão pela primeira vez no seu historial, e evitar mais uma vez um “sobe-desce”.

Parede FC – Afonso Severino

A equipa do Parede foi, desde o início do campeonato, a equipa mais forte da 2ª Divisão – Zona Sul, alcançado a subida com ainda alguns jogos por realizar. Para 2021/22, são poucas as mexidas no plantel, registando-se apenas uma saída, e duas entradas.

Para suprir a saída de André Ferreira, uma das figuras da equipa na temporada transata, chega o internacional jovem português Afonso Severino. O defesa/médio de 20 anos reforça o Parede proveniente do HC Turquel, onde, fruto também da temporada difícil da equipa da “Aldeia do Hóquei” teve dificuldades em se afirmar.

Terá agora no Parede a possibilidade de mostrar ao mais alto nível, aquilo que já mostrou na formação, feita desde os sub-13 no Benfica, e nas seleções jovens portuguesas. Num Parede que aposta na continuidade da equipa que alcançou a promoção, com jogadores como André Gaspar, Ricardo Rocha, Manuel Coimbra ou Zé Costa, a terem a responsabilidade de manter este clube histórico entre a elite do hóquei nacional.

CD Paço de Arcos – André Ferreira

De um clube histórico para outro, a estadia do Paço de Arcos na 2ª Divisão foi curta, e o emblema da linha espera agora voltar para ficar entre os grandes.

Reforços para a nova época são apenas dois, Diogo Alves (ex.Tigres) e André Ferreira (ex.Parede). Este último poderá ser um dos destaques do Paço de Arcos na nova época, uma das figuras da subida de divisão do Parede, André Ferreira volta ao clube onde fez formação para o manter na 1ª Divisão.

O Paço de Arcos é uma de três equipas a mudar de técnico para 2021/22, para além de Benfica e Porto. André Luís, treinador que conduziu os Tigres de Almeirim à 1ª Divisão, não tendo na época passada conseguido mantê-los no principal escalão, assume o comando técnico do Paço de Arcos após a dissolução da formação de Almeirim, que é uma de três formações da 2ª Divisão – Zona Sul, que não irão competir no escalão sénior esta temporada.

 

(Foto de Capa: SL Benfica)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter