Antevisão do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins 2018/19

José NevesSetembro 23, 20184min0

Antevisão do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins 2018/19

José NevesSetembro 23, 20184min0
O Fair Play inicia uma série de artigos de antevisão do campeonato nacional da 1ª divisão que se iniciará no dia 13 do próximo mês de Outubro.

A espera está prestes a terminar. Foi já no passado dia 9 de Junho que se deram as últimas stickadas de um campeonato nacional de 2017-18 repleto de emoção da primeira à última jornada, desde então o hóquei em patins não parou, houve muita actividade de seleções e dos tradicionais torneios de pré-temporada, mas para os adeptos das 14 equipas presentes na 1ª Divisão não há nada como os jogos daquele que é por muitos considerado o melhor campeonato do Mundo.

Quatro meses depois do Sporting CP ter celebrado a conquista do título nacional, do HC Braga ter festejado perante o seu público uma manutenção que esteve em discussão até ao último segundo, e de Valença HC, C Infante Sagres e HCP Grândola se terem despedido da principal divisão nacional, o dia 13 de Outubro marca o regresso do hóquei de primeira aos pavilhões portugueses.

Sem estreias mas com regresso prolongado

Na temporada passada um dos principais atractivos do campeonato foi de perceber como os estreantes do Grândola se iriam comportar entre os grandes, esta temporada apesar de não haver qualquer estreante entre a elite regista-se um regresso após uma ausência prolongada. O SC Marinhense conta apenas com três presenças na primeira divisão nacional, nas temporadas de 1969-70, 1996-97 e 1998-99, em todas a formação da Marinha Grande não alcançou a manutenção, sendo que na última, em 1999, terminou o campeonato na última posição da tabela.

Também as outras duas equipas que garantiram a subida são regressos à divisão maior, no caso do Riba d’Ave, vencedor da Zona Norte da 2ª Divisão Nacional, volta ao topo depois da despromoção em 2016-17. Já o histórico Oeiras disputou pela última vez o nacional da 1ª divisão na temporada de 2009-10.

Primeira jornada com prato forte

Durante a paragem de verão foram várias as notícias que davam conta da possibilidade de uma mudança no formato competitivo do campeonato de hóquei em patins, tendo sido dado como garantido o regresso ao formato de duas fases, sendo a tabela classificativa dividida após a primeira fase com os seis primeiros classificados a disputar o título, e as restantes oito formações a lutar pela manutenção e qualificação europeia.

A mudança não avançou, mantendo-se assim um campeonato de fase única com 26 jornadas, mas ainda assim temos uma novidade, o fim do sorteio condicionado.

Nas últimas temporadas o calendário havia sido sorteado com a condicionante do top-4 da temporada transacta apenas se defrontar nas derradeiras jornadas, para esta temporada esta condicionante caiu, e o sorteio 100% puro ditou um jogo grande logo a abrir.

A equipa do Sporting inicia a defesa do título nacional perante o seu público, no pavilhão João Rocha, frente ao eterno rival SL Benfica. O jogo está marcado para o fim de semana de abertura, dia 14 de Outubro, e será realizado uma semana após a Supertaça António Livramento que irá opor os leões ao vencedor da taça, o FC Porto.

O início da temporada 2017-18 não poderia ser melhor, até à 6ª jornada poderemos assistir aos jogos Sporting x Benfica, Oliveirense x Benfica, Benfica x Porto e Sporting x Oliveirense. Um calendário que irá obrigar os quatro candidatos ao título de campeão a entrar na temporada da melhor forma sob risco de perder pontos preciosos para os rivais numa fase precoce da competição.

Leões e águias defronta-se na jornada inaugural (foto: Sapo Desporto)

Mas não será só no topo que vão estar concentradas as emoções fortes, também na segunda metade da tabela a batalha pela manutenção promete ser igualmente espectacular. De entre as equipas apontadas aos lugares da segunda metade da classificação (SC Tomar, HC Turquel, CD Paço de Arcos, HC Braga, Riba d’Ave HC, SC Marinhense e AD Oeiras) é difícil apontar para já alguma que parta em desvantagem em relação às restantes.

Para além do equilíbrio que deverá reinar nas posições mais baixas da tabela, é de notar que em apenas duas rondas não haverá qualquer embate entre estas sete formações (jornadas 8 e 21), nas restantes 24 rondas este mini-campeonato entre as formações que têm na manutenção o objectivo primordial desta época promete trazer-nos excelentes espectáculos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter