15ª jornada do campeonato foi de goleadas para o top-4

José NevesFevereiro 8, 201811min0

15ª jornada do campeonato foi de goleadas para o top-4

José NevesFevereiro 8, 201811min0
A 15ª jornada do campeonato de hóquei não trouxe surpresas, dando goleadas aa todas as equipas do top-4. Todos os destaques desta ronda aqui analisados.

Benfica goleia Viana desmembrada

SL Benfica 11-2 A Juventude Viana

O jogo que era aguardado com maior entusiasmo por adeptos da modalidade nesta 15ª jornada, e que teoricamente seria dos mais exigentes para os benfiquistas perante o seu público, mas que face à onda de lesões que assolou a equipa vianense acabou com um resultado anormalmente desnivelado. Edo Bosch, adjunto de Garrido que cumpriu castigo e não pode liderar a equipa através do banco, não pode contar com dois jogadores que saíram lesionados do jogo anterior frente ao Paço de Arcos, Francisco Silva e André Azevedo, sendo este último uma baixa para o que resta da temporada com uma grave lesão na face. E se não bastasse o azar de perder dois habituais titulares, também a estrela da companhia Emanuel Garcia, segundo melhor marcador do campeonato nacional, saiu logo aos 3 minutos de jogo não mais regressando, estando também em dúvida para futuros compromissos da Juventude Viana, e deixando Edo Bosch com apenas 1 jogador de campo disponível no banco.

Com uma rotação naturalmente curta frente a um poderoso Benfica na sua máxima força, a missão da turma vianense era praticamente impossível e a derrota começou a tomar forma aos 6 minutos com um golo de Diogo Rafael. Pouco depois o jogo ficou praticamente resolvido com 4 golos encarnados no espaço de 3 minutos, estabelecendo a vantagem das águias em 5-0 com apenas 13 minutos disputados. Com um 6-0 ao intervalo a segunda parte foi de gestão da equipa de Pedro Nunes que tirou o pé do acelerador, tendo sofrido por duas vezes mas marcado por mais 5, chegando aos 11-2 finais. Destaque na equipa encarnada para Miguel Rocha que apontou 4 dos golos da sua equipa e João Rodrigues com 3. Do lado visitante os tentos foram apontados por Nelson Pereira e Tó Silva.

Consistência defensiva garante os três pontos

FC Porto 5-0 SC Tomar

O FC Porto recebia o SC Tomar avisado das dificuldades que a equipa nabantina poderia causar, uma das equipas que mais tem surpreendido nesta edição do campeonato e que melhor hóquei apresenta de entre as equipas da segunda metade da tabela. E foi sem surpresa que a equipa de Nuno Domingues se apresentou no Dragão Caixa na luta por todos os pontos em disputa, apoiado num hóquei positivo e com a equipa coesa defensivamente, mas com setas apontadas à baliza de Carles Grau na tentativa de surpreender os dragões. A resistência tomarense apenas seria batida por uma ocasião no primeiro tempo, a cerca de 5 minutos do final com um golo de Alvarinho que abriu o activo para a equipa de Guillem Cabestany. Na segunda parte a equipa da casa entrou forte e aos 28 minutos aumentou para 2-0, novamente por Alvarinho, após uma falha defensiva da equipa verde e branca que deixou o dianteiro portista na cara de Diogo Alves.

Com uma vantagem de dois golos o Porto soube gerir o encontro sem nunca correr riscos desnecessários no ataque, e à passagem do minuto 34 Rafa, num excelente movimento individual, recebeu de costas para a baliza e desferiu um remate à meia volta que só parou no fundo das redes do Tomar. Um golo que, e apesar dos 16 minutos que faltavam jogar, parecia garantir os três pontos para os dragões que até então mantinham a sua baliza inviolável graças a uma grande exibição colectiva na sua meia pista defensiva. Até final o FC Porto haveria ainda de marcar por mais duas ocasiões, pelos sticks de Jorge Silva e Hélder Nunes, conseguindo manter a sua baliza a zeros apesar das várias tentativas dos avançados tomarenses. Destaque na equipa visitante para Diogo Alves, o jovem guardião parou 2 livres directos e 2 penaltys dos portistas, evitando assim um resultado por números mais dilatados.

Lanterna vermelha goleado no João Rocha

Sporting CP 11-4 HCP Grândola

No Pavilhão João Rocha a equipa do Sporting recebia o Grândola, lanterna vermelha do campeonato e única equipa ainda sem vitórias na competição, num dos jogos que se antevia ser dos mais desnivelados da jornada. E o jogo acabou por corresponder às expectativas, apesar da equipa alentejana ter resistido durante os primeiros 10 minutos, assim que a bola entrou pela primeira vez na baliza de Tiago Pereira o resultado disparou. 1 minuto e meio após o golo inaugural o marcador já ditava um 3-0, e no intervalo o resultado era de 6-2 favorável aos leões, com um hat-trick de Vítor Hugo, o melhor artilheiro dos verde e brancos no campeonato. Na segunda parte a equipa de Paulo Freitas geriu as acções do jogo aumentando a vantagem sem nunca parecer forçar ofensivamente, e apesar da ausência de Ângelo Girão, o seu substituto Zé Diogo Macedo conseguiu parar grande parte das investidas grandolenses à baliza leonina. O resultado final de 11-4 acaba por realçar a diferença de qualidade e realidade entre ambas as formações, ficando os três pontos justamente em casa do Sporting.

Oliveirense volta às vitórias com goleada

UD Oliveirense 11-2 C Infante Sagres

Depois de 2 derrotas consecutivas e apenas 1 vitória nas últimas 7 jornadas, a equipa de Tó Neves, agora com o objectivo do título praticamente impossível, recebeu o Infante Sagres, equipa abaixo da linha de água, com a ambição de voltar às vitórias e manter o 4º lugar do campeonato. Com um inicio de jogo fulgurante a equipa de Oliveira de Azeméis abriu o activo aos 2 minutos de jogo por João Souto, tendo ao longo da primeira parte controlado o jogo e aumentando a vantagem que ao intervalo era de 7-1. Com a vitória praticamente garantida a segunda parte foi de gestão, tendo o resultado chegado naturalmente aos 11-2 finais. Destaque na turma de Tó Neves para Pablo Cancela, que com um hat-trick foi o melhor marcador da partida, uma partida em que o astro Jordi Bargalló não fez o gosto ao stick, do lado da equipa liderada por Fernando Almeida, João Paulo Candeias na primeira parte e Manuel Pinheiro na segunda, fizeram os únicos golos.

Valongo triunfa nas Goladas

HC Braga 2-4 AD Valongo

Com os olhos postos no 4º posto da Oliveirense, a equipa do Valongo deslocava-se ao difícil pavilhão do Braga na esperança de manter distâncias para a equipa de Azeméis, do outro lado estava uma equipa do Braga na zona de despromoção que procurava beneficiar do jogo entre Paço de Arcos e Turquel para ganhar pontos a algum dos seus rivais directos na luta pela manutenção. Numa primeira parte algo incaracterística, e em que ambas as defesas anularam os ataques adversários, o resultado ao intervalo era de 0-0, um resultado que demonstrava a falta clareza dos avançados na hora de finalizar. Estavam para a segunda parte reservados os golos, o primeiro logo aos 3 minutos do segundo tempo e para o Valongo, marcado por Guilherme Silva, o segundo também para os visitantes mas vindo do stick de Ruben Pereira. Com uma desvantagem de 2 golos a equipa da casa arriscou e chegou ao golo por Bekas, mas pouco depois Poka voltou a repor a diferença de 2 golos no marcador. Mas o Braga não baixou os braços e apenas 8 segundos após o golo de Poka, Bekas bisou, desta vez de grande penalidade, lançando o jogo para os últimos 9 minutos de jogo. O golo que decidiu o jogo veio a 8 minutos do final, Luís Melo, jovem avançado valonguense, bateu Francisco Veludo fazendo o 2-4 final que deram os três pontos ao Valongo.

Barcelos volta às vitórias diante Valença

OC Barcelos 4-2 Valença HC

O OC Barcelos voltava ao seu pavilhão depois de 2 jogos consecutivos fora de portas onde apenas amealhou 1 ponto, e esperava voltar às vitórias diante do seu público, pela frente estava o Valença vindo de uma vitória bastante moralizadora em casa perante o Braga que deixou os valencianos 5 pontos acima da zona de descida. Neste jogo foi o Barcelos a entrar melhor na procura de confirmar o favoritismo que lhe era apontado, numa primeira parte bem disputada onde por apenas 1 ocasião a bola entrou numa das balizas, foi na de Rodolfo Sobral após uma grande penalidade concretizada por Marinho. A chave do jogo acabou por ser o minuto 36, foi nesse minuto que o jogo pendeu favoravelmente para a equipa da casa que marcou por duas ocasiões chegando a um confortável 3-0. O Valença continuou na procura do golo mas apenas em situações de bola parada conseguiu bater Ricardo Silva, Zé Braga reduziu para 3-1 de penalti aos 37, e o mesmo Zé Braga no livre directo que castigou a 10ª falta barcelense, fez o resultado final de 4-2, pelo meio Marinho novamente na marca de grande penalidade, bisou na partida confirmando que os três pontos não saiam do Municipal de Barcelos.

Jogo de aflitos sorriu ao Paço de Arcos

CD Paço de Arcos 5-3 HC Turquel

Paço de Arcos e Turquel enfrentavam-se no Casablanca separados apenas por 4 pontos classificação, e sabendo-se da derrota do Braga à hora do início da partida, este jogo era de extrema importância para ambas as equipas. Do lado do Paço de Arcos uma vitória abria uma vantagem de 3 pontos para os bracarenses, que ocupam o primeiro dos lugares de descida, e significavam também a aproximação aos turquelenses. Do lado do Turquel uma vitória significava abrir um fosso de 7 pontos para Paço de Arcos e Braga, deixando a equipa de Alcobaça numa posição mais tranquila na tabela. Num inicio de jogo repleto de acção, Gonçalo Nunes, o homem golo dos lisboetas, inaugurou o marcador aos 3 minutos, mas aos 6 acabou por ver a cartolina azul, na transformação no livre directo o guardião da equipa da casa acabou também por ver o azul, e mesmo tendo desperdiçado o livre directo, os turquelenses acabaram por beneficiar da situação de duplo powerplay para igualar a partida. Mas a resposta foi rápida e bastante eficaz do Paço de Arcos, Gonçalo Nunes fez o 2-1 de livre directo aos 9 minutos e concluiu o ha-trick aos 16, no minuto seguinte foi André Centeno a marcar e a fazer um 4-1 que deixava a equipa da casa muito mais próxima da vitória. Aproveitando uma exibição bastante fraca dos turquelenses, mais uma esta época fora de portas, o Paço de Arcos chegava ao intervalo com a vitória bem encaminhada. No segundo tempo os dois elementos habitualmente menos utilizados foram chamados e responderam da melhor maneira, Tiago Mateus e Janeka marcaram para os visitantes mas pelo meio Rui Pereira impediu que o Turquel sonhasse com a reviravolta e confirmou uma muito importante vitória para o seu Paço de Arcos.

Marinho esteve em destaque no regresso às vitórias do Barcelos (foto: HoqueiPT)

Dados da jornada

Cinco da jornada:

Carles Grau (FC Porto), Gonçalo Nunes (CD Paço de Arcos), Miguel Rocha (SL Benfica), Mário Rodrigues “Marinho” (OC Barcelos), Vítor Hugo (Sporting CP)

A Figura:

Mário Rodrigues “Marinho” (OC Barcelos) – O internacional moçambicano esteve em plano de destaque abrindo o marcador para os barcelenses e fechando a partida com o 4-1 a 3 minutos do fim, ambos os marcadores de penalty, onde apresentou uma eficácia de 100%.

Números da Jornada:

3- Número de faltas de equipa da Juventude de Viana no jogo desta jornada, o mínimo de qualquer equipa nesta edição do campeonato;

6- Sexta vez que uma equipa termina um jogo sem sofrer golos, é o segundo jogo que o Porto não sofre e o segundo jogo em que o tomar não marca;

100- Em todos os jogos desta jornada a equipa que inaugurou o marcador venceu o jogo.

Melhores Marcadores do Campeonato:

– Gonçalo Alves (FC Porto) – 24 Golos

– Emanuel Garcia (Juventude Viana) / Gonçalo Nunes (CD Paço de Arcos) – 23 Golos


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter