Gustavo Ribeiro e uma etapa de glória em Salt Lake City

Francisco Sande e CastroAgosto 31, 20213min0

Gustavo Ribeiro e uma etapa de glória em Salt Lake City

Francisco Sande e CastroAgosto 31, 20213min0
Francisco Sande e Castro conta neste artigo como Gustavo Ribeiro somou o seu 1º título do Circuito Mundial de Street League Skateboarding

Um fim-de-semana inesquecível para Gustavo Ribeiro que traz para Portugal o seu primeiro troféu de vencedor de uma prova do circuito mundial de skate de rua, num evento que ficou marcado pela disputa com Nyjah Huston até aos instantes finais, onde o atleta português conseguiu uma nota de 9.4, suficiente para trazer o troféu para casa.

O atleta olímpico tornou-se no primeiro português a vencer uma etapa da icónica Street League Skateboarding. Depois da sua participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio onde revelou que o seu ombro não estava na melhor forma. Em Salt Lake City mostrou desde cedo que o trabalho desenvolvido com o seu fisioterapeuta está a dar resultados, ele que tinha anunciado que seria operado mas mostrou não ser necessário para já.

Nesta etapa no estado americano de Utah o formato escolhido para o evento foi ligeiramente diferente do utilizado nos jogos olímpicos. Na fase de pré-eliminatórias cada ‘skateboarder’ tinha direito a fazer uma linha (45 segundos onde deve tentar completar uma série de manobras sem cair) e quatro tentativas de melhor manobra num local à escolha no skatepark, dessas pontuações adicionava-se as três pontuações mais elevadas, descartando as restantes. Na fase final a estrutura era semelhante com a excepção de que os quatros primeiros no final teriam direito a mais duas tentativas de melhor truque para melhorar a sua pontuação geral.

Nas pré-eliminatórias Gustavo Ribeiro entrou em prova na secção de linha com uma série de truques consistentes e executados com grande velocidade que lhe valeram a pontuação de 7.3, a mais alta até ao momento nesta etapa. De seguida o atleta de Lisboa partiu para a secção de melhor truque inspirado, onde conseguiu adicionar à sua linha uma pontuação de 9.0 depois de um Biggerspin Flip fs Boardslide Fakie out e um 8.2 depois de um 360 flip fs Nosegrind valendo-lhe a soma de 24.5 pontos que permitiu qualificar-se para as finais em 3º lugar apenas atrás de Nyjah Huston (19 vezes vencedor de uma etapa da SLS) e de Alex Midler.

Nas finais o ‘skateboarder’ português começou com uma linha de 6.3, uma nota baixa por ter falhado o último truque. Na secção de melhor truque repetiu as duas combinações das pré-eliminatórias que lhe valeram a mesma pontuação, acrescentando de seguida um Nosegrind Nollie Flip out (uma das suas manobras de eleição) à qual foi atribuída a nota de 9.2 que possibilitou o descarte da sua linha e permitiu que se apurasse nos quatro primeiros lugares com uma soma de 26.4 para as duas tentativas extra. Nessas duas tentativas Gustavo necessitava de um 9.1 para obter o primeiro lugar e no seu último truque, sob grande pressão executou um 360 flip Noseblunt slide, de extrema dificuldade técnica, ao qual foi atribuído um 9.4, um feito histórico para o ‘skateboarder’ português que garantiu assim o seu primeiro título de vencedor numa prova do circuito mundial com 27.6 pontos.

Ficou bem esclarecido que Gustavo Ribeiro pretende estar no topo do skateboard de competição e que a sua lesão já não o impede de lutar por troféus. Ele que, aos 20 anos apresenta uma grande forma física e uma maturidade competitiva que lhe permite executar combinações de truques com grande dificuldade técnica, mesmo sob tremenda pressão, deixando boas indicações para o circuito mundial que se iniciou e para o apuramento para os Jogos Olímpicos de Paris. Gustavo terá agora pela frente a icónica competição Tampa Pro de 15 a 17 de Outubro e a segunda etapa da Street League Skateboarding em Miami de 29 a 30 de Outubro.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter