ELF: Liga europeia terá entre 12 a 16 franchises na temporada de 2022

Miguel Veloso MartinsSetembro 19, 20213min0

ELF: Liga europeia terá entre 12 a 16 franchises na temporada de 2022

Miguel Veloso MartinsSetembro 19, 20213min0
Uma semana antes da grande final entre Galaxy e Sea Devils, a especulação sobre a próxima temporada da ELF está a aquecer. Contamos-te tudo sobre os rumores da expansão da liga europeia.

Vikings e Raiders poderão representar Áustria na liga europeia

Segundo Walter Reiterer no webshow “Foot Bowl”, os Dacia Vienna Vikings e os Swarco Raiders Tirol vão provavelmente fazer parte da próxima temporada da ELF. Para os adeptos de futebol americano europeu, isto não deverá ser uma grande surpresa. Os Vikings e os Raiders são 2 das melhores equipas da Europa e deverão tornar-se candidatas ao título imediatamente. A liga já confirmou, de forma informal através do Instagram, que a Áustria estará representada na próxima época.

Segundo Reiterer, os Vikings estão basicamente garantidos na ELF. Este rumor é reforçado pela recente conferência de imprensa dos Vienna Vikings. O presidente da equipa Karl Wurm confirmou que os Vikings têm estado em negociações com a ELF, estando agora a negociar os detalhes do contrato. Já o treinador Chris Calaycay, não escondeu o seu entusiasmo pela possibilidade, falando ainda sobre uma equipa B que continuaria a competir na liga austríaca. Os Raiders, por sua vez, ainda não fizeram qualquer comunicado, mas segundo uma fonte do site American Football International, a equipa de Innsbruck já contactou os seus jogadores sobre a possibilidade de jogarem na ELF em 2022. Tudo indica que os Raiders se vão juntar à liga em 2022.

Regresso dos Fire e Monarchs praticamente garantido

Mais uma vez, segundo o webshow “Foot Bowl”, os Rhein Fire e os London Monarchs vão regressar aos relvados europeus em 2022. Estas foram duas equipas/cidades históricas que estiveram na mira da ELF para a temporada inaugural. Até ao último minuto, tudo indicava que os Fire iriam regressar em 2021, em vez dos Cologne Centurions. Com a final a decorrer em Düsseldorf e o anúncio dos novos franchises marcado para o dia do jogo, todos os sinais apontavam para um anúncio colossal na casa dos extintos Rhein Fire.

No caso de Londres, mesmo antes do início da temporada de 2021, o comissário Esume admitiu abertamente que estavam em negociações com os London Warriors. A ELF acabou por dar o lugar aos Barcelona Dragons, mas Londres teve sempre a porta aberta. Agora parece que tudo acabará bem para os britânicos. Pelo que tudo indica, a liga não deverá perder a oportunidade para trazer de volta a identidade dos Monarchs.

Patrick Esume anunciou mais 5 países candidatos

Já falamos de 4 franchises diferentes e, como indicamos no título, este é o número mínimo de novas equipas previstas para 2022. Na mesma entrevista em que Esume confirmou que o número de equipas deverá ser entre 12 a 16 franchises, o comissário revelou uma lista de 7 países candidatos. Na entrevista à ran, Patrick Esume anunciou as negociações com equipas na França, Turquia, Finlândia, Noruega e Holanda, para além da Inglaterra e Áustria. Já sabemos os possíveis países, mas quais serão as cidades?

Desde o início da temporada, temos ouvido notícias sobre negociações entre a ELF e os Amsterdam Crusaders para trazer de volta os Amsterdam Admirals. Na Turquia, existem rumores que os Koç Rams são a equipa interessada para estabelecer um franchise da EFL em Istambul. Não sabemos muito sobre a situação da Noruega e Finlândia, mas Oslo e Helsínquia são as opções mais prováveis, sendo as capitais dos respetivos países e a casa de clubes históricos. Já em França, a escolha poderá ser mesmo Paris, tendo sido uma das cidades candidatas mencionadas durante os vários comunicados da ELF antes do início da sua temporada inaugural.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter