Contagem decrescente para os Mundiais de Judo em Budapeste

João CamachoJunho 2, 20216min0

Contagem decrescente para os Mundiais de Judo em Budapeste

João CamachoJunho 2, 20216min0
É altura dos Mundiais de Judo entrarem em cena, com as equipas masculina e feminina portuguesa a lutar pelas medalhas. A antevisão à competição

Depois da épica prestação da equipa portuguesa nos Campeonatos da Europa de Lisboa, as atenções estão centradas nos Campeonatos Mundiais de Budapeste, que decorrerão na capital da Hungria entre os dias 6 e 13 de Junho. Poderá a equipa portuguesa igualar a histórica prestação de 2019, em Tóquio?

Campeonatos do Mundo Judo 2021

Um ano atípico com direito a um calendário atípico. Vamos ter no mesmo ano, separados por pouco mais de um mês, os campeonatos do Mundo de Budapeste e os Jogos Olímpicos de Tóquio. Os campeonatos do Mundo de Budapeste terão abordagens distintas por parte das seleções que estarão presentes. Se por um lado teremos nestes campeonatos seleções que levarão atletas para definir quem será a escolha para Tóquio, garantido a vaga quem ficar melhor classificado, outras aproveitarão estes Mundiais para dar uma oportunidade a quem, apesar do seu talento e qualidade, não foi a primeira escolha.

A título de exemplo, a equipa que o Japão irá apresentar. Outras irão apostar na conquista de uma boa classificação em detrimento dos Jogos Olímpicos que, à partida e numa abordagem meramente teórica, porque a realidade já provou que poderá ser exatamente o contrário, são uma competição de dificuldade mais elevada para conquistar uma classificação de relevo. Para terminar, temos ainda algumas seleções que irão apresentar atletas mais novos, talentos emergentes, para que estes entrem na alta-roda do Judo, numa competição que poderá, dada a proximidade dos Jogos Olímpicos, apresentar condições favoráveis para que estes atletas consigam chegar longe no quadro classificativo.

Apesar da proximidade dos Jogos Olímpicos, ao analisar os atletas inscritos, à data 706, 291 femininos e 415 masculinos, é lógico antever um elevadíssimo nível, com muitos dos atletas de topo presentes. Será uma competição a acompanhar, pois certamente teremos momentos de muita qualidade e acompanhados de muita emoção e drama.

A Sporttv fará transmissão diária da competição.

Convocatória Portuguesa para os Mundiais

Tal como nos Europeus de Lisboa, Portugal irá apresentar uma equipa bastante heterogénea, com muita experiência, casos dos atletas que com regularidade participam nas etapas do circuito Mundial da Federação Internacional de Judo, um outro grupo de atletas que começam a marcar presença no circuito Mundial e refletem o processo natural de renovação da equipa e a fornada que tenta impor-se e a mostrar o seu valor ao mais alto nível.

Não irei entrar numa análise detalhada sobre o que podemos esperar da prestação de cada judoca Português em prova, mas sinto-me na obrigação de destacar alguns, pelo estatuto e pela importância desta competição. Assim, começo por Jorge Fonseca, candidato à revalidação do título Mundial dos 100Kg, tarefa muito complicada pois é uma das mais competitivas e imprevisíveis categorias de peso da atualidade, a Campeã da Europa de Lisboa 2021, a fantástica Telma Monteiro, que atravessa um excelente momento de forma e que tem estatuto de candidata ao pódio na categoria dos 57Kg, Barbara Timo, atual Vice-Campeã do Mundo dos 70Kg e bronze nos Campeonatos da Europa de Lisboa, e finalmente Rodrigo Lopes e João Crisóstomo, este último uma das agradáveis surpresas dos Campeonatos da Europa de Lisboa com a conquista do bronze na categoria dos 66Kg.

Para estes dois judocas esta competição será a derradeira oportunidade de conseguirem garantir a qualificação olímpica. Para tal, será necessária uma prestação de excelência, e ainda dependem dos resultados de terceiros, o que torna efetivamente este desafio numa tarefa “hercúlea”. Contudo há esperança e qualidade suficientes para sonhar com a qualificação olímpica.

Equipa feminina: Catarina Costa e Maria Siderot (-48 kg), Joana Diogo e Joana Ramos (-52 kg), Telma Monteiro e Wilsa Gomes (-57 kg), Bárbara Timo (-70 kg) e Rochele Nunes (+78 kg).

Equipa masculina: Rodrigo Lopes (-60 kg), João Crisóstomo (-66 kg), João Fernando (-73 kg), Manuel Rodrigues e Anri Egutidze (-81 kg) e Jorge Fonseca (-100 kg).

Bárbara Timo para a medalha? (Foto: IJF)

Djibrilo Iafa

Para muitos Djibrilo Iafa será um ilustre desconhecido, mas ao terminar na 7.ª posição do Grand Prix de Baku IBSA- International Blind Sports Federation (Federação Internacional do Desporto para Cegos), Djibrilo conseguiu a melhor classificação de sempre de um atleta paraolímpico Português, e garantiu a qualificação para os Jogos Paralímpicos de Tóquio na categoria de -73kg. Parabéns a este Campeão que é um exemplo de superação e dedicação!

Recomeço versão 2.0

Judo de formação voltou! Lentamente e ainda com bastantes restrições, algumas um pouco confusas e pouco coerentes, que evidenciam uma evidente precipitação na preparação da definição das mesmas, mas os jovens estão a voltar aos tatamis, com os clubes lentamente a retomarem a atividade. As competições, na formação, também regressaram e no passado fim-de-semana realizou-se a Taça Internacional de Cadetes, que decorreu em Coimbra, e que contou com a presença de atletas de diversos países e onde tivemos oportunidade de observar um bom nível competitivo.

Uma lufada de ar fresco mas note-se que ainda não voltamos ao “antes” e não está claro como será o “depois”. Após mais de 18 meses de suspensão, e muitos condicionalismos, não podemos esquecer que é inevitável o brutal impacto no desenvolvimento dos jovens e do desporto. Voltarei brevemente para fazer um balanço dos Mundiais de Budapeste e o lançamento do que podemos esperar da prestação dos Portugueses nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Isto, claro, se os rumores de que existe uma pressão crescente para o cancelamento deste evento que, na minha opinião, não passam de rumores. A acontecer, será desastroso para o desporto e uma clara derrota neste combate que, apesar de parecer controlado, está longe de estar terminado.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter