Campeonato da Europa de Andebol 2022: o ponto de situação português

Bernardo GalanteJaneiro 8, 20224min0

Campeonato da Europa de Andebol 2022: o ponto de situação português

Bernardo GalanteJaneiro 8, 20224min0
Paulo Pereira já escolheu os convocados de Portugal para o Campeonato da Europa e Bernardo Galante explica o que há de novo na lista

Portugal iniciou a preparação para a 16ª edição do Campeonato da Europa a realizar-se entre a Hungria e a Eslováquia – será na cidade húngara de Budapeste que estará montado o quartel-general português durante a participação na competição – com um estágio que se iniciou no passado dia 2 de janeiro, no Rio Maior Sports Centre.

A Federação de Andebol de Portugal, no mesmo dia (2 de janeiro) divulgou a lista provisória dos 20 convocados para a 16ª edição do Campeonato da Europa, sendo que serão ainda cortados dois atletas, de forma a perfazer a lista final de 18 jogadores. A Seleção Portuguesa comandada por Paulo Jorge Pereira, vê-se privada de sete importantes elementos devido a estarem impossibilitados por lesão – João Ferraz (HSC Suhr-Aarau), Alexis Borges (SL Benfica), Diogo Silva (FC Porto), Luís Frade (FC Porto), Pedro Portela (HBC Nantes) e André Gomes (MT Melsungen) e de um caso específico de pedido de dispensa, trata-se de Belone Moreira (SL Benfica).

As novidades na convocatória prendem-se à nova geração de andebolistas a emergir no nosso país, tendo esta lista seis atletas com idades compreendidas abaixo dos 23 anos e algumas estreias em competições oficiais por seleções.

As novidades apresentadas por Paulo Jorge Pereira

Face às baixas anteriormente referidas, o selecionador português Paulo Jorge Pereira teve que procurar soluções para preencher as vagas e manter o mesmo grau competitivo e qualitativo que a turma portuguesa tem vindo a demonstrar. Perante este cenário, nomes como Miguel Espinha Ferreira (Cesson-Rennes), Martim Costa, Francisco Tavares, Salvador Salvador (Sporting CP), Tiago Sousa (Águas Santas) e Daniel Vieira (AA Avanca) – todos eles estreantes em grandes competições de seleções A com a camisola das quinas.

Juntamente com as ausências por lesão foram detetados casos de Covid-19 na comitiva portuguesa – sendo que a Federação de Andebol de Portugal não divulgou os nomes – obrigando ao cancelamento da Yellow Cup, o torneio preparatório que a Seleção das Quinas iria participar no dia 7, 8 e 9 de janeiro e que oponha os portugueses frente à Suíça, Ucrânia e Montenegro.

Perante este cenário, a Federação anunciou que a Seleção Nacional A iria entrar em “bolha preparatória”, de forma a continuarem com uma preparação mais individualizada, sendo a forma encontrada para manter a redução nos contactos de risco. “A Seleção Nacional A Masculina manter-se-á em “bolha” até ao final do seu período de preparação, mudando de local, de Rio Maior para Matosinhos, habitual ‘casa’ dos Heróis do Mar, onde se manterá até dia 11 de janeiro, data da partida para Budapeste, na Hungria, onde disputará o Grupo B, do Campeonato da Europa”, referiu a FAP em comunicado.

Lista de Convocados

Guarda Redes: Gustavo Capdeville (SL Benfica), Manuel Gaspar (Sporting CP) e Miguel Espinha Ferreira (Cesson-Rennes);
Ponta Direita: António Areia (FC Porto) e Francisco Tavares (Sporting CP);
Ponta Esquerda: Diogo Branquinho (FC Porto) e Leonel Fernandes (FC Porto);
Centrais: Miguel Martins (MOL Pick Szeged), Rui Silva (FC Porto) e Martim Costa (Sporting CP);
Laterais Direitos: Ángel Hernández (Kuwait SC) e Daniel Vieira (AA Avanca);
Laterais Esquerdos: Gilberto Duarte (Montpellier HB), Alexandre Cavalcanti (HBC Nantes) e Fábio Magalhães (FC Porto).

Entretanto, a European Handball Federation reduziu o período de quarentena para os elementos (jogadores, treinadores, staff, entre outros) positivos à Covid-19 de 14 para 5 dias de isolamento profilático e dois testes PCR negativos, no espaço de 24 horas. À margem disto, será necessário não ter sintomas e de apresentar um atestado médico que dê o elemento como apto.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter