Depois do Mundial, o Campeonato Nacional

João de MatosFevereiro 24, 20213min0

Depois do Mundial, o Campeonato Nacional

João de MatosFevereiro 24, 20213min0
Depois do Mundial no Egito que deixou todos os amantes do desporto e da modalidade em particular, orgulhosos com a prestação da nossa seleção na prova, regressaram as partidas do Campeonato de Andebol 1.

Depois do Mundial no Egito que deixou todos os amantes do desporto e da modalidade em particular, orgulhosos com a prestação da nossa seleção na prova, regressaram as partidas do Campeonato de Andebol 1.

Chema Rodriguez, treinador do Benfica, lamentou os quase dois meses sem competir oficialmente. Foram quase dois meses que as “águias” estiveram sem competir oficialmente. Os encarnados regressaram à competição, com uma vitória caseira perante o Belenenses (28-23), mas já não competiam desde 22 de dezembro, dia em que triunfaram sobre o Boavista. Uma paragem que se deveu, sobretudo, ao Campeonato do Mundo que se realizou em janeiro, no Egito, e, como vem sendo habitual em várias modalidades, ao facto de alguns encontros terem sido adiados por causa da covid-19.

O Benfica venceu na deslocação ao pavilhão do FC Gaia (34-32), num jogo a contar para a 18.ª jornada do campeonato de Andebol. Foi a terceira vitória consecutiva das águias na prova. Lazar Kukic, central sérvio das águias, foi o melhor marcador do encontro com sete golos. O pivô Miguel Salgado esteve em destaque no conjunto gaiense com cinco golos, mas não evitou o terceiro desaire consecutivo. Com este resultado, o Benfica segue no terceiro lugar com 43 pontos, a seis do Sporting, segundo classificado (mais dois jogos) e a 11 do FC Porto, líder com mais três partidas. Já o FC Gaia está no penúltimo lugar com 20 pontos, não tem sido um campeonato muito positivo para a formação liderada por Carlos Resende.

O FC Porto venceu (34-26), na tarde deste domingo, o Águas Santas, na Maia, em partida em atraso da 13.ª jornada do Campeonato. Foi a equipa local a começar na frente, liderando nos primeiros 10 minutos e até aos 5-4. Foi após duas boas defesas de Alfredo Quintana que os portistas conseguiram virar o jogo, tendo o guarda-redes da Seleção Nacional, que voltou às grandes exibições, sido precioso para segurar a vantagem até ao intervalo (13-14), pois a partida continuou muito equilibrada, até no confronto tático: a partir dos 20 minutos ambas as equipas passaram a atacar em 7 contra 6, mas nenhuma tirou grandes vantagens do sistema.
Uma má entrada do Águas Santas no segundo tempo decidiu o jogo, pois os portistas ampliaram para 14-17 e nunca mais abrandaram.

Com Diogo Branquinho (7 golos) e António Areia (6) a fazerem todos os 60 minutos, e tendo Quintana, que ainda marcou dois golos de baliza aberta. Já o Águas Santas, e apesar de algumas ausências, provou ter equipa para se aproximar dos primeiros lugares, pois Pedro Cruz continua um atirador imparável (12 golos), liderando a lista dos melhores marcadores do campeonato como tem sido habitual, época após época.

Uma notícia que caiu como uma bomba no mundo desportivo é o estado de saúde de Alfredo Quintana, guarda-redes da equipa de andebol do FC Porto e da Seleção portuguesa, que sofreu uma paragem cardiorrespiratória, que continua estável, mas com prognóstico reservado.

Alfredo Quintana, de 32 anos, sofreu durante o treino uma paragem cardiorrespiratória e, depois de ter sido assistido no local pelo INEM, foi transportado para o Hospital de São João, onde está internado na unidade de cuidados intensivos. De acordo com o FC Porto, o estado de saúde do jogador luso-cubano, que representa os dragões desde 2010, “continua inalterado” e, assim que houver alterações, o clube fará a atualização da situação clínica.

A equipa do Fair Play envia as melhoras rápidas a este grande lutador que é o Alfredo.

Fonte: fpa.pt

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter