Antevisão aos Mundiais de Pista Coberta – Belgrado 2022

Pedro PiresMarço 15, 20228min0

Antevisão aos Mundiais de Pista Coberta – Belgrado 2022

Pedro PiresMarço 15, 20228min0
Pedro Pires do Planeta do Atletismo lança a antevisão dos Mundiais de Pista Coberta com vários portugueses preparardos para a competição

De 18 a 20 de Março, de sexta-feira a domingo, grande parte da elite mundial do Atletismo concentra todas as suas atenções em Belgrado onde decorrem os Mundiais de Pista Coberta.

Os Portugueses

A comitiva portuguesa será composta por 12 atletas, com diferentes expetativas e ambições entre a comitiva.

Numa linha de atletas que ambicionam e têm legítimas expetativas de chegar ao pódio mundial teremos Pedro Pablo Pichardo no Triplo Salto, Patrícia Mamona também no Triplo Salto e Auriol Dongmo no Lançamento do Peso. Embora Pichardo e Mamona ainda pouco se tenham mostrado em 2022, irão entrar em Belgrado como Ouro e Prata (respetivamente) dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Já Dongmo, além do 4º lugar de Tóquio, traz na sua bagagem a liderança mundial do ano, com novo recorde nacional e a vitória na Taça da Europa de Lançamentos.

Lorene Bazolo (nos 60 metros), Cátia Azevedo (nos 400 metros), Carlos Nascimento (nos 60 metros) e Francisco Belo (no Lançamento do Peso) são também atletas com experiência internacional que partem para Belgrado com boas perspetivas. Bazolo, Azevedo e Nascimento irão à procura de, pelo menos, um lugar nas semifinais na velocidade (não sendo totalmente de descartar algo mais). Já Belo com presença na final direta irá procurar trazer para estes Mundiais um desempenho similar às excelentes prestações nas últimas grandes provas internacionais em pista coberta (foi 4º nos dois últimos Europeus).

Isaac Nader (nos 1.500 metros) e Tiago Pereira (no Triplo) são dois atletas que também se vão cada vez mais mostrando a um nível internacional e que podem fazer uma gracinha na Sérvia. Rosalina Santos (nos 60 metros), Jessica Inchude (no Peso) e Abdel Larrinaga (nos 60 metros barreiras) estão a fazer inícios de época bastante consistentes e podem almejar a recordes pessoais nestes campeonatos.

Os 10 momentos mais aguardados dos Campeonatos

60 metros (m): O duelo entre o surpreendente campeão olímpico dos 100 metros, Lamont Marcell Jacobs (ITA) e Christian Coleman (USA) promete faísca! O norte-americano, que é o recordista mundial da distância, regressa da suspensão e é já o líder mundial, com 6.45s segundos. Jacobs também tem estado a um belo nível com 6.49s, perto do seu recorde pessoal. Coleman tem, parece-me, o maior favoritismo – também o teria nos 100m, mas com a sua potente fase drive, a teoria aqui ainda parece mais favorável – mas tudo pode acontecer em tão poucos segundos. Marvin Bracy (USA), Emmanuel Matadi (LBR) e Arthur Cissé (CIV) serão outros nomes a ter em conta para chegar às medalhas.

Quando: Final às 20h20 de Sábado, 19/03

60 metros (f): Poderá alguém bater Ewa Swoboda (POL), que já este ano baixou, pela primeira vez, dos 7 segundos, sendo líder mundial em 6.99s? As duas mais famosas jamaicanas abdicaram da sua participação, mas a presença de Shericka Jackson (JAM) – tripla medalhada em Tóquio – e da jovem Briana Williams (JAM) com certeza que colocam pressão na polaca nestes mundiais. Mikiah Brisco (USA), Daryl Neita (GBR) e Mujinga Kambundji (SUI) são outras atletas bem conhecidas que irão à procura do Ouro.

Quando: Final às 19h50 de Sexta-Feira, 18/03

400 metros (f): Nos últimos anos, não se tem visto Shaunae Miller-Uibo (BAH) a apostar na pista coberta, logo é um dos maiores atrativos do evento. A campeã olímpica irá à procura de um título que nunca conquistou – foi Bronze em 2014 – e é difícil apostar contra ela. Contará com a forte oposição de Femke Bol (NED), que já correu em 50.30s este ano, a marca que lidera os tops mundiais. Outras atletas com peso que estarão na luta pelas medalhas são Justyna Swity-Ersetic (POL), Lieve Klaver (NED), Sthephenie Ann McPherson (JAM) e Lynna Irby (USA).

Quando: Final às 18h50 de Sábado, 19/03

1.5000 metros (m): Aqueles inacreditáveis 3:30.60 de Jakob Ingebrigtsen (NOR) ainda estão frescos na memória e o jovem norueguês terá todo o favoritismo. Ainda assim, muita atenção com a presença de forte concorrência, muito habituada aos grandes palcos. À cabeça Samuel Tefera (ETH), um atleta que já correu na casa dos 3:31, ou melhor dizendo…o anterior recordista mundial! Depois há também nomes como Abel Kipsang (KEN), Adel Mechaal (ESP) que podem fazer algo bonito, nunca descartando os britânicos em provas de meia distância.

Quando: Final às 17h35 de Domingo, 20/03

60 metros barreiras (m): Grant Holloway (USA) é o grande nome do momento, é o recordista mundial e este ano já correu em 7.35s, não deixando ninguém sequer chegar perto. No entanto, sabe-se que Pascal Martinot-Lagarde (FRA) dá-se especialmente bem em grandes competições – já foi medalhado em três mundiais Indoor – e por Belgrado também andará Jarret Eaton (USA), medalhado de Prata nos últimos Mundiais. O campeão em título regressa (o britânico Andrew Pozzi), mas chegar ao pódio já seria uma vitória, tendo ainda a concorrência de Wilhem Belocian (FRA), Aurel Manga (FRA) ou do experiente Damian Czykier (POL).

Quando: Final às 18h30 de Domingo, 20/03

Salto com Vara (m): Num ano em que já melhorou o recorde mundial (em…Belgrado!), Armand Mondo Duplantis (SWE) não deverá ter nada a recear. Ainda assim é de realçar que irá ter que bater alguém que já chegou aos 6.05m este ano (!), Christopher Nilsen (USA), o 5º da história em pista coberta. KC Lightfoot (USA) é outro atleta que anteriormente chegou aos 6 metros que estará em Belgrado, assim como o brasileiro Thiago Braz, que em Tóquio parece ter ganho uma nova vida.

Quando: Final direta às 16h17 de Domingo, 20/03

Triplo Salto (m): Pedro Pablo Pichardo vai com tudo à procura do seu primeiro título mundial em pista coberta. Vai com o estatuto de campeão olímpico e será o alvo a abater. As maiores ameaças deverão vir do reputadíssimo WIll Claye (USA) – que foi Ouro duas vezes no evento – e do brasileiro Almir dos Santos (BRA), Prata em Birmingham. Todos eles ainda nada mostraram este ano, mas não nos parece que vão a Belgrado para ver as montras. Max Hess (GER), Nazim Babayev (AZE), Donald Scott (USA) e Lázaro Martínez (CUB) serão outros nomes a procurar um lugar no pódio.

Quando: Final direta às 11h10 de Sexta-Feira, 18/03

Triplo Salto (f): Patrícia Mamona (POR) voltará a procurar um lugar no pódio e tem toda a legitimidade para assumir-se como uma das favoritas depois do brilharete de Tóquio. Ainda assim, o 1º lugar parece difícil de prever para alguém que não seja Yulimar Rojas (VEN), campeã olímpica, recordista mundial e que este ano já chegou aos 15.41 metros! Ana Peleteiro (ESP), Liadagmis Povea (CUB), Tori Franklin (USA), Nubia Soares (BRA), Maryna Bekh-Romanchuk (UKR) e Kimberly Williams (JAM) são todas atletas com um grande historial que querem medalhas.

Quando: Final direta às 10h de Domingo, 20/03

Lançamento do Peso (m): Quando Ryan Crouser (USA) compete a curiosidade para saber se baterá o recorde mundial (mais uma vez…) é enorme. O norte-americano é o líder mundial do ano e num dia bom pode, obviamente, voltar a fazê-lo. Se o dia bom está dependente de uma forte concorrência, poderá muito bem ser em Belgrado. Tomas Walsh (NZL), Tomas Stanek (CZE), Konrad Bukowiecki (POL), Michal Haratyk (POL), Filip Mihaljevic (CRO) e Darlan Romani (BRA) estarão todos presentes!

Quando: Final direta às 18h40 de Sábado, 19/03

Lançamento do Peso (f): 19.90! A marca de Auriol Dongmo (POR) coloca-a como a maior favorita ao Ouro mundial, mas sabemos que cada dia é um dia e que terá que o fazer na hora e no palco certo. Maggie Ewen (USA) já chegou aos 19.73m e com ela vem a sua compatriota Chase Ealey (USA) que também ambiciona o pódio. Jessica Schilder (NED) que já chegou aos 19.72 nesta temporada, Sarah Mitton (CAN) e Danniel Thomas-Dodd (JAM) são outras atletas que procurarão surpreender.

Quando: Final direta às 17h55 de Sexta-Feira, 18/03

Onde ver os Mundiais: Transmissão em direto e integral para Portugal na RTP 2.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter