EHF Champions League Final4, quem vence a Europa? (pt.2)

Tomé BritoMaio 24, 20186min0

EHF Champions League Final4, quem vence a Europa? (pt.2)

Tomé BritoMaio 24, 20186min0
A Liga dos Campeões do andebol está na sua fase final e o Fair Play lança a 2ª parte com a mesma pergunta: quem vence a Europa? Macedónios ou franceses?

Três equipas francesas e uma macedónia irão lutar pelo trono de melhor equipa europeia no próximo fim de semana, 26 e 27 de maio. Iremos ter uma revalidação do título? Ou irá o troféu viajar para frança?

É já no sábado em Colónia, na Lanxess-Arena, que irá ter início a Final Four da EHF Champions League. Pelas 14:15h, hora de Portugal Continental, iremos ter um duelo francês com o Nantes (uma das duas surpresas) a defrontar os favoritos PSG. Já às 17:00h o Vardar inicia a conquista do título contra o Montpellier, a outra surpresa, naquela que é uma das meias-finais mais imprevisíveis dos últimos anos.

Para poder assistir aos jogos de sábado basta apenas ter Sport TV, já que no segundo canal da mesma irão passar em direto ambos os encontros, também no site da EHF TV deverá ser possível fazê-lo. Mesmo que todos os olhos estejam postos em Kiev não vai haver desculpa para se perder um minuto que seja destas incríveis meias finais.

Durante o resto do artigo iremos analisar a segunda meia-final e tentar prever quem irá estar presente na final de domingo.

Revalidação do título? Ou (mais uma) surpresa?

Depois do Nantes vs PSG entram em campo as outras duas equipas que vão protagonizar uma num jogo que promete ser um dos mais equilibrados dos últimos anos em Final Four. Se num lado temos os atuais detentores da Champions, o Vardar Skopje, que depois de anos de desenvolvimento do clube e de investimento no mesmo podem atingir a 2ª champions consecutiva (algo que não é feito desde a Ciudad Real em 07/08 e 08/09), do outro temos o Montpellier a equipa sensação desta época que depois de 7 anos de interregno (não iam à Final Four desde 04/05) volta a ter oportunidade de conquistar um título que escapa desde 02/03. O andebol tático do Vardar ou o espetáculo do Montpellier, quem vai sair vencedor?

Na fase de grupos o Vardar acabou com o 1º lugar do grupo A (que continha o Nantes), o que lhes deu a oportunidade de passarem diretamente para os quartos. Já o Montpellier terminou em 1º lugar do grupo C, mesmo grupo que o Sporting CP (4º lugar), e no play-off de acesso aos oitavos (só existe para os grupos C e D) derrotaram a Ademar Leon. Nos oitavos aconteceu a primeira surpresa com os franceses a eliminarem o Barcelona, um dos crónicos favoritos, por agregado de 56-55. O Vardar sofreu nos quartos de final contra o Kiel (que iniciou muito mal a época) e apenas derrotou a equipa Alemã por golos fora (empate a 56 golos no agregado), enquanto que o Montpellier voltava a surpreender o mundo do andebol ao eliminar o Flensburg.

(Montpellier vs Motor Zaporozhye (grupo C) (Fonte: getty images)

Falar do Vardar Skopje e da sua equipa é sinónimo de andebol tático. São uma equipa muito pragmática que tenta sempre controlar o ritmo de jogo e que se adapta muito a bem a qualquer estilo. Podem jogar muito rápido no ataque, fruto da técnica de Cindric e Karacic na 1ª linha, ou podem jogar de forma mais controlada e com mais cautela (jogando mais para o pivot ou com tiro exterior) através de Cindric, Cañellas e Kristopans.

Todos os jogadores possuem grande inteligência tática e todos têm os seus papéis bem estruturados, raramente fazendo mais do que lhes é pedido. Borozan, Abutovic e Marsenic são as principais âncoras defensivas, Dibirou e Cupic ou Shishkarev estão sempre para os contra-ataques e são dos pontas mais eficazes da europa, enquanto que Stoilov, com o seu físico, faz a diferença a pivot sabendo movimentar-se muito bem entre os defesas para dar uma linha de passe ao central.

Podemos esperar uma equipa muito agressiva na defesa com Sterbik a comandar na baliza, ele que aos 38 anos continua a mostrar porque é um dos melhores  guarda-redes do mundo (apesar da sua estrutura “pesada” tem imensa flexibilidade e é muito forte tecnicamente). Não são uma equipa que marca muitos golos isto porque prefere sempre jogar pelo seguro, procurando sempre a opção com mais probabilidades de concretização e que pode finalizar de qualquer lado do campo com jogadores bastante fortes neste capítulo em todas as posições.

Cindric e Dibirov (Foto: rkvardar.mk)

Sobre o Montpellier, podemos começar por falar do fato de que ninguém esperava que esta equipa, com um dos plantéis mais frágeis dos últimos anos, conseguisse sequer chegar aos quartos. No entanto aqui estão eles e é esperado que consigam discutir a meia-final com o Vardar.

A atacar são uma das equipas mais imprevisíveis das últimas épocas com Simonet e Richardson (filho do “grande” Jackson Richardson) a conseguirem “sacar” grandes jogadas de qualquer lado. Ambos os jogadores, central e lateral-direito, são fortíssimos no 1 contra 1 e procuram sempre penetrar aos 6 metros (jogam em constante décalage), mas têm sempre em Truchanovicius uma opção muito rentável no tiro exterior. O Lituano de 2,03m é uma das grandes revelações da época e apesar de fazer do remate de 9 metros a sua principal arma, jogo após jogo vem engando defesas mais “distraídos” no 1 contra 1.

Ludovic Fábregas vem continuando a sua afirmação na elite do andebol, com o pivot Francês a melhorar significativamente a defender (a atacar já era dos melhores na sua posição aos 20 anos) estando muito mais agressivo e mais forte fisicamente. Também Valentin Porte, depois de algumas épocas menos boas, parece ter renascido e vem demonstrando o porquê de ser considerado um dos melhores esquerdinos da atualidade, já contando 56 golos nesta edição.

São uma equipa muito agressiva a defender, por vezes com sistemas mais subidos como o 4-2 ou o 3-2-1, e com isto provocam muitas falhas técnicas no ataque adversário que depois transformam em contra-ataque, com parcial destaque para Guigou ou Causse neste aspeto. Na baliza Vincent Gerard e Nikola Portner, que era considerado como “o futuro” da posição, vão dando conta do trabalho com grandes exibições.

A ideia de poder voltar a ver um clube tão histórico na modalidade como o Montpellier a lutar pela Champions na final é fantástica, contudo, do outro lado estão os atuais detentores do título e uma equipa que nas últimas semanas, jogando bem ou menos bem (com o Vardar não existe jogar mal) parecem invencíveis (só o Kiel mostrou o contrário mas isso é outra conversa). Assim sendo, a nossa previsão vai para uma vitória muito apertada do Vardar, por apenas 1 ou 2 golos.  

Diego Simonet a estrela do Montpellier (Foto: pinterest)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter