Andebol Luso na Europa 2# Uma 3ª feira “dorada” para Sporting e Benfica

Bernardo GalanteSetembro 29, 20215min0

Andebol Luso na Europa 2# Uma 3ª feira “dorada” para Sporting e Benfica

Bernardo GalanteSetembro 29, 20215min0
Bernardo Galante conta-nos porque é que o dia 28 de Setembro de 2021 foi um dia de glória para andebol luso neste artigo

Esta terça-feira, o andebol português presenciou a duas eliminatórias históricas protagonizadas pelas equipas da capital: Sporting Clube de Portugal e Sport Lisboa e Benfica. Eliminando uma equipa dinamarquesa e uma alemã, respetivamente, juntando-se assim ao FC Porto (a competir na EHF Champions League) no lote de equipas portuguesas nas competições europeias.

SPORTING CARIMBA A PASSAGEM À FASE DE GRUPOS NA DINAMARCA

Donos de uma vantagem de 6 golos obtida no Pavilhão João Rocha, uma semana antes, o Sporting Clube de Portugal deslocou-se à Grakjear Arena para carimbar o apuramento para a Fase de Grupos da EHF European League.

Com uma entrada completamente desastrosa, fruto de um parcial de 4-0 a favor dos dinamarqueses, os leões quase colocaram em causa o apuramento, mas… uma partida de andebol dura 60 minutos. Até aos 20 minutos, os comandados de Ricardo Costa estavam desencontrados na partida – muitos erros não forçados, elevada ineficácia ofensiva e defensivamente muito passivos. A partir dos 20 minutos do 1º tempo – coincidente com a entrada de Nátan Suárez e também da subida da respetiva linha defensiva -, a turma leonina transfigurou-se conseguindo reduzir para 1 golo de diferença. 16-15 era o resultado ao intervalo.

Os leões chegaram do intervalo determinados a vencer o encontro e, consequentemente, a chegar à Fase de Grupos da competição, sendo que aos 5 minutos do segundo tempo já se encontravam a vencer por três bolas de diferença (17-20). A equipa comandada por Ricardo Costa entrou dentro de quatro linhas tal como tinha saído no primeiro tempo – determinada, ambiciosa e a apresentar um andebol de qualidade. Com uma defesa 6×0 muito agressiva e coesa, o Sporting CP causou muitas dificuldades ao atual quinto classificado do Campeonato Dinamarquês, dando a origem a inúmeros remates falhados e erros não forçados do adversário, aliando também a excelente exibição de Matevz Skok.

A meio do segundo tempo, os leões chegaram aos cinco golos de vantagem – a maior vantagem obtida no encontro – e, face à sua elevada superioridade na última metade do encontro, Ricardo Costa e os seus jogadores foram gerindo o encontro até ao final, culminando numa vitória por 28-31 e no consequente apuramento para a Fase de Grupos da competição.

Os destaques leoninos vão para Natán Suárez e Matevz Skok – o primeiro pela irreverência e quantidade de soluções ofensivas que ofereceu ao ataque leonino, acabando o jogo com 100% de eficácia e, de seguida, o guardião esloveno pela excelente exibição (8 defesas e 33% de eficácia) entre postes, sendo decisivo para a reviravolta leonina.

HISTÓRICO BENFICA ELIMINA O PODEROSO RHEIN-NECKAR LÖWEN

Após excelentes indicadores deixados na Alemanha, fruto de um empate a 31 bolas, os benfiquistas e amantes do andebol nacional encontravam-se expectáveis acerca da prestação do SL Benfica, no final de tarde desta terça-feira.

Chema Rodríguez não alterou nada em relação ao jogo da 1ª mão, iniciando o jogo exatamente com as mesmas peças que utilizou na Alemanha – tanto a nível ofensivo como defensivo. Após uns primeiros cinco minutos de equilíbrio, as águias começaram a superiorizar-se aos alemães, devido à forte prestação defensiva apresentada, causando muitas dificuldades ao ataque germânico. Aos dez minutos de jogo, os encarnados venciam por 8-4 e passados dois minutos, o técnico alemão Klaus Gartner levava, pela primeira vez, o cartão verde à mesa para pedir time-out. A paragem não surtiu o efeito desejado e o SL Benfica sai a vencer ao intervalo por 18-13.

No segundo tempo, o Rhein-Neckar Löwen reentra na partida determinado a discutir a eliminatória até ao final. Os germânicos, à passagem do minuto 40, reduzem para dois golos de diferença (20-18). Numa altura que se antevia difícil para os lisboetas, Alexis Borges é excluído por 2 minutos e é aí que os adeptos benfiquistas “entram dentro de campo”. Com menos um atleta em campo, o pavilhão vestiu o seu fato de gala e catapultou a turma de Chema Rodríguez. O SL Benfica amplia assim a vantagem para 22-18, mantendo-se na toada dos quatro golos de vantagem até faltar 10 minutos para acabar a partida. Alexis Borges seria excluído pela 3ª vez e, consequentemente, expulso.

Nos últimos 10 minutos, os adeptos presentes no Pavilhão da Luz revelaram-se incansáveis e o Benfica nunca deixou de liderar a partida, chegando a ter seis golos de vantagem. O encontro terminaria com um resultado final de 33-28 e, o SL Benfica atingiria um apuramento histórico, juntando-se assim ao Sporting Clube de Portugal na Fase de Grupos da EHF European League.

Petar Djordic e Ole Rahmel foram os melhores marcadores das águias com 8 e 6 golos, respetivamente. De notar, a grande exibição do guardião benfiquista Sergey Hernandez que totalizou 15 defesas ao longo de todo o encontro, culminando em 35% de eficácia entre os postes e a enorme prestação de Jonas Källman, que com 40 anos de idade, revelou-se um elemento extremamente importante na manobra defensiva e ofensiva da turma encarnada.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter