À procura de bons ventos em Skopje: Portugal sub-18 no Mundial

Ana CarvalhoAgosto 1, 20225min0

À procura de bons ventos em Skopje: Portugal sub-18 no Mundial

Ana CarvalhoAgosto 1, 20225min0
Já começou o Mundial de andebol feminino de sub-18, e Ana Carvalho dá-te a contar o que irá Portugal fazer no restante da competição

A armada de Portugal já se encontra instalada e o Selecionador Nacional Luís Santos falou connosco sobre a decorrente participação da equipa no Campeonato do Mundo de Sub18, isto depois de ter arrancado uma boa vitória frente às Ilhas Faroé e Austria, que garantiu o acesso ao Main Round da competição!

O ano passado a equipa portuguesa participou no Campeonato da Europa de Sub17 terminou na 10ª posição, o que lhes garantiu o apuramento para o Campeonato do Mundo de 2022. Nos próximos 12 dias a seleção nacional irá estar presente em Skopje, Norte Macedónia para participar no Campeonato do Mundo de Sub18, que se realiza de 30 de Julho a 10 de Agosto.

Na primeira fase a seleção nacional jogará/jogou colocada no grupo C juntamente com as seleções das Ilhas Faroé, Áustria e Dinamarca. Segundo o Selecionador Nacional, os seus objetivos são “discutir todos os jogos contra as melhores seleções europeias e de outros continentes, procurando na primeira fase alcançar o main round.” As seleções da Dinamarca e Áustria são presença assídua nas várias fases finais nos escalões jovens e as Ilhas Faroé têm crescido nos últimos anos, portanto espera-se uma 1ª fase bastante equilibrada.

A seleção nacional está repleta de jovens talentos, muitas das atletas estão já a competir nas melhores equipas nacionais da 1ª Divisão e algumas fazem parte do grupo da Seleção Nacional A, tendo participado no início de Julho nos jogos do Mediterrâneo em Orân, Argélia, onde atingiram as meias-finais, obtendo a 4ª posição. Carmen Figueiredo (Lateral Esquerdo), Matilde Rosa (Guarda-redes), Constança Sequeira (Central) e Luciana Rebelo (Lateral direito), atletas assíduas nas convocatórias da seleção A, são figuras a ter em atenção na selecção de Portugal.

Estas duas últimas atletas foram recentemente apresentadas para a próxima época como reforços do campeão nacional, Sport Lisboa e Benfica, o que nos pode dar alguma informação sobre a qualidade destas jogadoras. Espera-se, portanto, um caminho bastante positivo desta equipa ao longo do Campeonato do Mundo.

A Seleção Nacional Sub18 esteve reunida em vários momentos de estágio no último mês para preparar este Campeonato do Mundo, tendo participado no torneio internacional Paredes Cup de 13 a 17 de Julho, onde obteve a 3ª classificação.

Segundo Luís Santos,

“A preparação para este campeonato foi positiva, apesar de necessitarmos ainda de mais jogos internacionais ao longo do ano. Não tivemos lesões de maior e ter o grupo praticamente completo é sempre fundamental para encarar estas competições.”

Esta geração foi afetada severamente pela pandemia e com o cancelamento dos grandes campeonatos internacionais jovens entre 2020 e 2021, várias destas seleções estão ainda a iniciar o seu percurso ao mais alto nível. Sendo que o Europeu de Sub17 realizado em 2021 foi ainda severamente afetado pelo clima pandémico que vivemos nos últimos anos, é natural que existam muitas diferenças em relação a este Campeonato do Mundo que iniciará no dia 30 de Julho,

“O campeonato da Europa do ano passado foi jogado sob condições muito difíceis em contexto de covid e foi a primeira competição internacional desta geração. Portanto, os níveis de ansiedade e a noção do nosso posicionamento face às restantes seleções europeias deixava-nos com alguma ansiedade.

Neste campeonato sentimos que as atletas já sabem do seu real valor e o que precisam para poder competir a este nível. Claro que jogar contra seleções de outros continentes poderá colocar problemas para os quais não estamos tão adaptados, mas a acontecer será só na segunda fase, pelo que para já teremos confronto com seleções conhecidas.

Naturalmente ainda estamos a alguma distância qualitativa em relação às grandes potências internacionais, especialmente porque o volume de trabalho a nível nacional não é tao alto como em muitos países que participam nestas competições, e tal como já referi num texto anterior, não existe a profissionalização da atleta portuguesa. Sabemos que normalmente as equipas femininas portuguesas encontram sempre muitas diferenças a nível de poderio físico quando comparadas com as suas congéneres internacionais, especialmente pela “pouca oposição nos campeonatos internos que nos colocam poucas dificuldades no 1×1 e que aqui temos sempre alguma dificuldade para contrariar.”.

Mas também segundo o selecionador, podemos ter alguma vantagem a nível de intensidade elevada de jogo.

Portugal volta a entrar em campo dia 2 de Agosto e irá estar em competição até dia 10 de Agosto.

Os jogos podem ser acompanhados em direto na página do Youtube da IHF-competitions (Federação Internacional de Andebol), ficando os jogos disponíveis para posterior visualização.

Calendário do jogo que resta da 1ªFase:

Grupo C

02.08.2022 – 11h30 – Dinamarca x Portugal


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter