O Negócio da Semana (Portugal): Campi para fechar o Chaves a 7 portas

Francisco IsaacJaneiro 24, 20193min0

O Negócio da Semana (Portugal): Campi para fechar o Chaves a 7 portas

Francisco IsaacJaneiro 24, 20193min0
Tiago Fernandes continua a receber reforços neste Mercado de Inverno em 2019 e a chegada de Gastón Campi pode ajudar na procura de uma defesa de melhor qualidade. Sabes quem é o argentino?

O Fair Play acompanha diariamente o mercado de transferências com seus artigos “ao minuto” e o sinalizar do melhor negócio a nível internacional e nacional aos fins-de-semana. Podes acompanhar todas as transacções no teu site de Desporto com Opinião!

GASTÓN CAMPI (ESTUDIANTES -» GD CHAVES)

Idade: 27
Nacionalidade: Argentina
Épocas na Europa: Nenhuma
Temporada 18/19: 20 jogos
Valor de Mercado: 2€
Valor de Transferência: Empréstimo sem opção de compra

O Chaves continua bem activo no Mercado de Transferências de Janeiro e depois de ter contratado Costinha, Erdem Sen, Luther Singh, Nemanja Calasan e Rúben Macedo, contratou agora mais um central de seu nome Gastón Campi. O argentino chega por empréstimo ao emblema flaviense numa operação que não tem custos anunciados, não se sabendo se há opção de compra no final da temporada.

Mas quem é Campi? Nunca actuou na Europa, alinhando sempre por emblemas argentinos como o Racing Club (onde fez toda a sua formação), Atlético de Rafaela e, até este momento, Estudiantes de la Plata. Pelos Pincharratas foi titular na última temporada em 13 jogos, com foco para a excelentes exibições rubricadas na Taça Libertadores, eliminados nos oitavos-de-final pelo Grêmio nos penalties.

Ao fim de alguns meses, Campi foi perdendo o lugar nos Estudiantes e a partir de Dezembro deixou de ser opção para Leandro Benitez. Inevitavelmente recebeu o selo de dispensado e surgiu então a hipótese de rumar em direcção à Europa, com os flavienses a conseguirem convencer o central a rumar a Portugal. E o que vale o central?

Possante, fisicamente desafiante, dotado no jogo aéreo, Gastón Campi faz valer muito aquele estilo típico dos defesas argentinos que apresentam uma raça e um controlo territorial dominante, sem se perder em cartões. Em 100 jogos feito como jogador profissional, Campi só recebeu 19 admoestações, e apenas dele foi um duplo cartão amarelo, não se registando uma facete agressiva virada para o violento.

Não sendo um primor no aspecto técnico, não costuma ceder a posse do esférico com facilidade, preocupando-se em soltar bem e rápido para se reposicionar e dar outra utilidade à estratégia de jogo. É o sentido de organização e o trabalho de qualidade no eixo-defensivo que fazem de Campi um central satisfatório e para o nível presente do GD Chaves pode ser considerado um excelente reforço.

A instabilidade defensiva dos flavienses tem levantado sérios problemas no objectivo da continuidade na Liga NOS e Tiago Fernandes procura ter um bom número de opções de modo a subir a qualidade colectiva do Chaves.

Será que Campi consegue ser a resposta defensiva que o Chaves precisa?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter