Supertaça de Natal

Guilherme CatarinoDezembro 22, 20204min0

Supertaça de Natal

Guilherme CatarinoDezembro 22, 20204min0
O Natal de 2020 ficará marcado pela realização da Supertaça que coloca Porto e Benfica frente-a-frente. Guilherme Catarino revela alguns pormenores deste encontro

FC Porto e SL Benfica encontram-se esta quarta-feira para disputar a Supertaça Cândido de Oliveira, no Estádio Municipal de Aveiro. O atual detentor dos troféus do Campeonato Nacional e da Taça de Portugal (FC Porto) enfrenta o atual detentor do troféu em disputa (SL Benfica) naquele que usualmente é o jogo que inicia a época desportiva.

Como sabemos, pela paragem que o anterior ano desportivo sofreu a propósito da pandemia da COVID-19, a Supertaça sofreu um aditamento severo de quase 6 meses desde o normal horário – meados de Agosto – até o dia em que será jogada, 23 de Dezembro. Com isto vêm algumas nuances que decidimos tratar neste escrito, a propósito do primeiro clássico do ano entre aquelas que aparentam ser (em teoria) as duas melhores equipas nacionais.

Sérgio Conceição vs Jorge Jesus, Pinto da Costa vs Luís Filipe Vieira; estes serão apenas dois dos mais aliciantes reencontros do futebol português e que certamente apimentarão este escaldante jogo de futebol. Hoje de manhã tive oportunidade de observar as conferências de imprensa de ambos os treinadores dos clubes em confronto e, como lhes é tradicional, aprimoraram de maneira exímia os seus jogos mentais aquando desta partida, subjugando, até, alguns jornais à necessidade de, com tal, fazer capa.

JJ abordou o passado de Otamendi de dragão ao peito e a eventualidade de na quarta-feira ser nomeado capitão para o Clássico, enquanto Sérgio Conceição rejeitou favoritismos, mas destacou a (inesperada para JJ) recuperação de Pepe, após a fratura contraída no jogo com o Tondela.

Ambas as equipas podem apresentar baixas de relevo para o embate na Supertaça. De destacar, do lado dos azuis e brancos, as lesões musculares de Otávio e Jesús Corona – ambos saíram combalidos após o mais recente jogo da equipa contra o Nacional para o campeonato – e a incerta recuperação total de Pepe, patrão no eixo defensivo da equipa que, apesar de tudo, já tem habituado Sérgio Conceição a rodar os restantes jogadores para aquela posição, em prol das várias lesões daquele ao longo do atual ano desportivo.

Do lado encarnado, a manhã desta terça-feira trouxe notícias negativas para Jorge Jesus: Pizzi testou positivo ao mais recente teste da equipa à COVID-19, e os naturais 15 dias de isolamento a que o médio estará obrigado impossibilitarão a presença do português no embate com o FC Porto. Também Tiago Pinto, diretor-desportivo do Benfica, testou positivo ao vírus, e não poderá acompanhar a equipa para Aveiro.

Apesar destas contrariedades, o que não faltarão certamente aos plantéis de luxo destas duas grandes equipas são opções de qualidade. Pizzi tem, aliás, sido rodado em várias posições no centro e na frente do terreno, e a sua versatilidade posicional tem permitido a Jorge Jesus fazer várias experiências no onze inicial. Para o meio-campo, o amadorense tem disponíveis Taarabt, Gabriel, Weigl, Samaris ou Chiquinho (este último mais acostumado a posições mais dianteiras no terreno) sendo quase certo que Taarabt e Weigl farão dupla no meio-campo, lado-a-lado, oferecendo, o primeiro, mais jogo ofensivo à equipa do Benfica, enquanto Weigl tratará de “apagar os fogos” que criativos como Sérgio Oliveira ou Otávio (caso vá a jogo) criem.

Por outro lado, Otávio e Corona têm pertencido ao núcleo duro dos azuis e brancos e a sua falta será porventura mais notória. Contudo, Uribe tem feito a posição do brasileiro em alguns jogos, “atirando” Sérgio Oliveira para uma posição mais adiantada, e deixando Grujic na posição “seis”. O médio português é o melhor marcador do FC Porto na corrente época, e seria certamente interessante ver de que maneira se adaptaria a uma posição mais adiantada no terreno.

No cômputo geral, e como aliás os treinadores de ambas as equipas aferem, FC Porto e Benfica ainda não estão a 100% e o seu jogo ideal ainda não foi alcançado, porém as equipas atravessam um momento positivo em sede de vitórias e, apesar do futebol não particularmente atrativo, tencionarão certamente vencer aquele que será o primeiro clássico da época 2020/2021, com a Supertaça como prémio final. Veremos!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter