Quatro previsões para a segunda metade da época na Bundesliga

Pedro CouñagoDezembro 29, 20188min0

Quatro previsões para a segunda metade da época na Bundesliga

Pedro CouñagoDezembro 29, 20188min0
Neste artigo, o Fair Play dá quatro previsões sobre a segunda metade da Bundesliga, muito em base com o que já vem acontecido na primeira metade da época. Veremos em Maio se as mesmas se concretizam!

Depois de uma primeira volta algo surpreendente, que vê o Borussia de Dortmund na liderança do campeonato alemão com seis pontos de vantagem para o Bayern de Munique, que viu os bávaros começarem de forma terrível o campeonato, e que vê um campeonato bastante partido (do quinto ao décimo segundo lugar vemos sete pontos de diferença, o mesmo que acontece do décimo segundo para a zona de despromoção), resta prever o que poderá acontecer na segunda metade da época na Alemanha, isto numa altura em que a Bundesliga está agora parada até dia 18 de janeiro.

1 – Luta entre Dortmund e Bayern de Munique vai ser até ao fim

Desengane-se quem pensa que a luta entre os dois rivais está terminada e que o Dortmund, com seis pontos à maior, se pode sentir totalmente seguro. A diferença já esteve em nove, e está agora nos tais seis pontos, mas a verdade é que o Bayern, nos últimos tempos, está a aproximar-se daquilo que nos tem habituado a fazer, estando invicto há 8 jogos e vencendo nas últimas cinco jornadas da Bundesliga, em quatro delas sem sequer sofrer golos e marcando 11. Com esta paragem de Inverno, que poderá trazer mudanças ao figurino de Niko Kovač e que permitirá recuperar alguns elementos com problemas físicos, é de esperar um Bayern a todo o vapor em perseguição ao seu mais direto rival.

Bayern começa a ganhar tração, com um Ribéry a sobrepor-se à forma que vinha demonstrando em meses anteriores (Foto: Tz)

Por outro lado, o Borussia de Dortmund tem uma oportunidade como dificilmente poderia esperar no início do campeonato. Fez uma primeira volta espetacular, repleta de golos e exibições vibrantes, com Lucien Favre a ter todo mérito em potenciar elementos como Jadon Sancho, Paco Alcácer, o nosso português Raphael Guerreiro (finalmente livre de lesões) e Axel Witsel, além de contar com um Marco Reus como há muitas temporadas não se via.

A equipa funciona como uma máquina bem oleada, mas esta paragem de campeonato poderá ter o efeito inverso àquele causado no Bayern e poderá resfriar a mentalidade ganhadora que o clube possuiu na primeira metade da época. Além disso, com as competições europeias, veremos como reagirá a equipa do Norte da Alemanha. Será de esperar uma intensa luta até Maio pelo ceptro de campeão.

2 – Hannover e Nuremberga não conseguirão sair dos lugares de despromoção

Dois históricos do futebol alemão, Hannover 96 e Nuremberga, onde alinha (ainda que pouco) Matheus Pereira, encontram-se abaixo da linha perigosa da tabela classificativa, e a verdade é que são mesmo os maiores candidatos a descer de divisão, sendo uma surpresa se estes dois clubes não permanecerem nesta posição. Simplesmente tanto uma como outra equipa não possuem os plantéis necessários para aspirar a mais, principalmente do lado de Nuremberga, que tem uma defesa muito frágil e um ataque praticamente inepto.

O Nuremberga tem tido inúmeras dificuldades a jogar futebol de alto nível frente aos maiores clubes da Alemanha, como é exemplo a derrota por 7-0 frente ao Borussia de Dortmund (Foto: Borussia Dortmund Brasil)

No caso do Hannover, existem alguns elementos em claro subrendimento face à temporada passada, como Niclas Füllkrug, e outros que não estão a trazer à equipa aquilo que se exigia, como Genki Haraguchi e Kevin Wimmer (este uma total desilusão).

A não ser que muito mude, principalmente a nível mental, e que haja uma hecatombe por outras bandas (Estugarda começa a respirar melhor, Augsburgo tem plantel para garantir a manutenção e Fortuna Dusseldorf acabou bem o ano), será muito difícil a ambos os conjuntos saírem dos lugares onde estão. Desta forma, Hannover, na segunda época de volta ao principal escalão, e Nuremberga, equipa que está sempre no “sobe e desce”, vêm a 2.Bundesliga no seu horizonte.

3 – Domenico Tedesco sairá ainda antes do término da temporada

O Fair Play bem avisou das fragilidades que o Schalke 04 poderia apresentar nesta temporada depois de um brilhante segundo lugar em 17/18, e a verdade é que as mesmas se vieram a comprovar. As saídas de elementos cruciais como Goretzka, Max Meyer e Thilo Kehrer não foram bem acauteladas, a equipa não joga bem e os resultados estão a aparecer muito a conta gotas. O que salva o alemão é que, ao conseguir o vice-campeonato na temporada passada (muito graças à fraca prestação dos adversários, nomeadamente o Borussia de Dortmund) e ao se qualificar para os oitavos de final da Liga dos Campeões de um grupo em que tinha a obrigação de passar, garante uma maior almofada de segurança no lugar.

A verdade é que o Schalke já não jogava particularmente bem na temporada passada, beneficiando de um jogo perspicaz e que se baseava no aproveitamento dos erros adversários por parte das suas melhores individualidades. Esta temporada, com menos individualidades e muito mais jogos nas pernas, com o subrendimento claro de elementos da linha de ataque, como Burgstaller, Uth e Harit, as coisas complicaram-se, e muito.

No décimo terceiro lugar, a equipa não pode aspirar a muito mais do que um campeonato a meio da tabela, mas a verdade é que o clima de insegurança poderá mesmo continuar, e se Tedesco não der, pelo menos, boa imagem frente ao Manchester City e se continuar na senda das derrotas, cremos que Tedesco não chegará a maio.

4 – Título de Melhor Marcador será disputado a três

Neste momento, temos cinco jogadores que já chegaram à dezena de golos, sendo eles Paco Alcácer, Luka Jović, Timo Werner, Marco Reus e Robert Lewandowski. Outros goleadores estão também por perto, como Alassane Pléa Sébastien Haller. No entanto, para o Fair Play, a luta será entre Paco Alcácer, Timo Werner e Robert Lewandowski, curiosamente três jogadores dos três previsíveis primeiros classificados da Bundesliga, sendo que neste momento o RB Leipzig está no quarto posto mas começa a pressionar o Borussia Mönchengladbach numa luta que se prevê também bastante interessante.

Lewandowski é o crónico candidato à Bota de Ouro e, tendo começado mal o campeonato, como o resto da sua equipa, está agora a começar a engrenar e a ter maior dose de acerto no aproveitamento das oportunidades. No entanto, à sua frente estão avançados como Paco Alcácer, que tem sido destaque pelo incrível rácio que possui em termos de minutos/golos (1 golo a 41 minutos, e já conta com 12), que tem sido servido com muita classe por jogadores como Reus, Gotze (de volta ao bom nível) e Jadon Sancho. Além disso, a parceria Timo Werner/Yussuf Poulsen tem sido mortífera, sendo que Werner marcou cinco golos dos seus onze só no mês de Dezembro e está a subir a sua forma.

Timo Werner é cada vez mais uma certeza para a próxima década, está consistentemente entre os principais goleadores (Foto: Kicker.de)

Os outros dois jogadores que também levam mais de uma dezena de golos terão dificuldades em acompanhar os restantes visto que Marco Reus não é propriamente um goleador mas sim um organizador de jogo, ainda que esteja a passar pela melhor forma dos últimos 5/6 anos e Luka Jović tem feito uma campanha espetacular, marcando até 5 dos seus 12 golos num só jogo, mas o Eintracht Frankfurt está a abrandar a sua forma, tendo vencido apenas um dos seus últimos cinco jogos, com o avançado a marcar também apenas em um dos últimos seis jogos que fez. A equipa de Adi Hütter estando agora no sexto posto do campeonato quando fez quase toda a primeira volta nos três primeiros lugares.

Estas são as quatro principais previsões do Fair Play para a segunda metade da Bundesliga 18/19. Acompanhem connosco e estaremos aqui para verificar se elas se concretizaram!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter