Liga BPI 21/22– As confirmações, surpresas e desilusões da 1ª Fase pt.1

Margarida BartolomeuNovembro 15, 20215min0

Liga BPI 21/22– As confirmações, surpresas e desilusões da 1ª Fase pt.1

Margarida BartolomeuNovembro 15, 20215min0
Margarida Bartolomeu faz a actualização da 1ª Fase da Liga BPI 2021/2022 e explica quem passa à fase seguinte e como correu até este ponto

Finda a 1ª Fase da Liga BPI 2021/2022, que teve como objetivo o apuramento das 4 melhores equipas das zonas Norte e Sul, para a Fase de Apuramento de Campeão, houve algumas equipas que surpreenderam pelo seu desempenho, enquanto que outras, acabaram por desiludir e não alcançar os objetivos traçados.

Zona Norte

Na Zona Norte, o Sporting Clube de Braga confirmou-se como o principal candidato a vencer a primeira fase, e como um forte candidato ao título de campeão. O clube investiu muito, e bem, e venceu todos os jogos da fase regular. O Famalicão, equipa sensação da época transata, começou o campeonato de forma algo instável, mas conseguiu garantir, com relativa facilidade, o apuramento para a segunda fase do campeonato.

O Länk FC Vilaverdense, equipa recém-promovida à Liga BPI, e que se encontra a desenvolver um projeto ambicioso no que ao Futebol Feminino diz respeito, acabou por ser a maior surpresa da Zona Norte. Por mais que fosse esperado que lutasse por um lugar na fase de apuramento de campeão, a verdade é que esta equipa praticou muito bom futebol e apenas foi batida pelas equipas do Braga e do Famalicão.

Por outro lado, a equipa que, pela forma interessante como se reforçou na pré-época, e pelo futebol que vinha a apresentar, acabou por representar a maior desilusão da Zona Norte foi o Valadares Gaia. Equipa usualmente forte, com um projeto baseado na formação muito bem estruturado, e que vem dando frutos desde há alguns anos, o Valadares acabou por adiar todas as decisões para a última jornada da 1ª Fase.

Em confronto direto com o Clube Albergaria por um lugar na Fase de Apuramento de Campeão, e muito embora tenha sido a equipa mais dominadora, a verdade é que o Valadares nunca se mostrou capaz de desmontar a excelente organização defensiva do Clube Albergaria, que com o empate alcançado, conseguiu, mais uma vez, garantir um lugar na Fase de Apuramento de Campeão.

Deixo aqui os meus parabéns à equipa de Paula Pinho que continua a demonstrar muita competência, um sentimento de união muito grande e, mais importante do que tudo, continua a demonstrar que, se um projeto for bem estruturado e conduzido, os resultados sempre aparecem.

Classificação Zona Norte (1ª Fase)
1º – Sporting Clube de Braga
2º – Famalicão FC
3º – Länk FC Vilaverdense
4º – Clube de Albergaria
———————————————-
5º – Valadares Gaia
6º – Clube Condeixa
7º – Varzim FC
8º – Gil Vicente

Zona Sul

Por seu lado, na Zona Sul, a luta pelos lugares de qualificação foi um pouco mais acesa, havendo, à última jornada, 3 equipas ainda a disputar um lugar de acesso à Fase de Apuramento de Campeão. Enquanto que o Sporting e o Benfica, embora com exibições algo intermitentes em termos de qualidade, cedo garantiram um lugar de acesso à Fase de Apuramento de Campeão, confirmando todo o seu favoritismo (era esperado um domínio superior das encarnadas, visto que as leoas vinham de uma profunda renovação a nível do plantel e equipa técnica, algo que não se verificou no confronto direto entre as duas equipas), as equipas do Torreense, Marítimo e Amora entraram para a última jornada da Fase Regular ainda à procura de garantir o seu lugar na fase seguinte.

O Torreense era a equipa com a tarefa mais facilitada, visto que iria enfrentar a equipa do Atlético Clube de Portugal, recém-promovida à Liga BPI, e que não dispõe dos mesmos argumentos. O Marítimo, com uma difícil deslocação a Ourém, e o Amora, com uma complicada deslocação a Alcochete, eram as equipas em disputa direta por um lugar na Fase de Apuramento de Campeão.

E a verdade é que, quando todos esperavam a escorregadela do Marítimo, a verdade é que o Amora demonstrou, mais uma vez, não se encontrar à altura do desafio, e vai, pelo segundo ano consecutivo, lutar pela continuidade na Liga BPI. Se a equipa do Marítimo, embora tenha valores individuais muito interessantes (Telma Encarnação, Bárbara Santos, Tânia Mateus, Karina Socarrás,…), faz da união, entreajuda, organização e garra as suas principais armas, a verdade é que a equipa do Amora, muito embora tenha no seu plantel jogadoras de grande qualidade, experiência e potencial (Ana Rita Viegas, Nadine Cordeiro, Mafalda Marujo, Matilde Figueiras,…), e uma equipa técnica bastante competente, continua a falhar e a demonstrar muitas fragilidades, sendo incapaz de jogar como uma verdadeira equipa, e colocar de lado as individualidades.

Volta, assim, a ser a equipa que mais desiludiu nesta 1ª Fase da Liga BPI, pois as expectativas em si depositadas eram grandes. Por outro lado, e embora não tenha sido capaz de garantir um lugar na Fase de Apuramento de Campeão, tenho que destacar o Clube Atlético Ouriense, que se reforçou muito bem, e subiu o seu nível exibicional na presente temporada. Foi, inclusive, capaz de travar o Sporting e impor um empate a zero, e criou diversas dificuldades ao Benfica, que venceu apenas por 3-2, e se encontrou em desvantagem por 2 vezes. Sim, é verdade que apenas venceram 1 jogo em 7 disputados, perdendo por 4 vezes. Mas deixaram indicações muito positivas para o que resta do campeonato, e parece-me uma equipa capaz de crescer e garantir a continuidade na Liga BPI sem grandes percalços.

Classificação Zona Zul (1ª Fase)
1º – Sport Lisboa e Benfica
2º – Sporting Clube de Portugal
3º – Torreense
4º – Marítimo
———————————————-
5º – Amora FC
6º – Clube Atlético Ouriense
7º – Estoril Praia
8º – Atlético Clube de Portugal

A Liga BPI volta dia 05 de dezembro, e a luta pelo tão desejado título, e pela manutenção no principal escalão do Futebol Português, estará ao rubro!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter