Jovens a seguir nesta Premier League

Gonçalo MeloAgosto 16, 20196min0

Jovens a seguir nesta Premier League

Gonçalo MeloAgosto 16, 20196min0
Na melhor liga do mundo não existem apenas craques feitos ou nomes incontornáveis. Os jovens formam uma fatia importante dos jogadores da Premier League, e neste artigo, trazemos

Arrancou no passado fim de semana mais uma edição da Premier League, aquela que é para muitos a mais competitiva e imprevisível liga no futebol europeu. Em jeito de antevisão, o Fair Play traz-lhe alguns jovens com idade sub 21 a ter em atenção nos próximos 9 meses de competição.

Callum Hudson-Odoi

O jovem extremo do Chelsea tem nesta temporada a oportunidade perfeita para se assumir como peça importante para os Blues. O impedimento que o clube tem de contratar, fez com que Frank Lampard, o novo técnico da equipa, tivesse de fazer regressar alguns emprestados e apostar em jogadores que não eram titulares na época passada, como são os exemplos de Giroud ou Christensen.

É aqui que Hudson-Odoi pode entrar. Hazard saiu, e apesar de ter chegado Christian Pulisic, as faixas do ataque ficaram mais pobres, e o jovem internacional de 19 anos pode merecer a confiança do técnico. Velocidade, técnica, explosão e nenhum receio de encarar os defesas são o cartão de visita deste menino que está a contas com uma grave lesão, pelo que não se sabe qual a data exata do seu regresso.

Resultado de imagem para hudson odoi
Hudson-Odoi está a contas como uma lesão no tendão de Aquiles

Mattéo Guendouzi

Este médio francês já teve muito tempo de jogo na época passada, pelo que é de esperar que ganhe ainda mais protagonismo este ano após a saída de Ramsey. O Arsenal tem médios muito fortes defensivamente (Torreira e El-Neny) e ofensivamente(Ceballos e Ozil) mas apenas e jovem de 20 anos ex-Lorient e Granit Xhaka apresentam o perfil de médios todo o terreno que os técnicos apreciam.

Posto isto, a intensidade e energia que Guendouzi possui, aliadas a uma grande capacidade no passe e na progressão com bola, deverão garantir um papel de destaque a este jovem que já é indiscutível na seleção sub 21 francesa, e que chegou desconhecido na época passada mas já conquistou a exigente massa associativa dos Gunners, que veêm nele o futuro grande médio da equipa.

Resultado de imagem para matteo guendouzi
A farta cabeleira de Guendouzi é a sua imagem de marca

Dwight McNeil

Um elemento provavelmente desconhecido para os mais distraídos, mas um jovem que teve um crescimento notável nos últimos meses da temporada passada. McNeil, que jogou até aos 16 anos no Manchester United, apareceu de rompante na limitada equipa de Sean Dyche, mas depressa se tornou numa espécie de Oásis de desequilíbrios nos Clarets. Em 21 jogos na Premier League, o jovem extremo esquerdo marcou por 3 vezes e assistiu por 5, contrastando muitas vezes com o futebol demasiado defensivo da equipa.

McNeil destaca-se sobretudo pela grande velocidade que traz ao jogo, sentindo-se como peixe na água na equipa de Dyche, que preza muito os contra-golpes. Com um pé esquerdo talentoso, não será estranho se nos próximos tempos virmos o jovem de 19 anos associado a equipas com outras ambiçoes em Inglaterra.

Resultado de imagem para dwight mcneil
McNeil é a nova coqueluche do Burnley

Mason Mount

Um elemento que Frank Lampard conhece bem, ou não tivesse o jovem de 20 anos sido um dos destaque do Derby County na época passada. Um médio altamente dotado tecnicamente, com capacidade de drible, mas que se destaca sobretudo pela sua enorme visão de jogo e capacidade no último passe e no remate. Foi utilizado nos dois jogos oficiais que os Blues fizeram esta época, o que atesta bem a confiança que o técnico deposita nele.

Mount é outro elemento que benefecia da medida imposta ao Chelsea, não sendo ainda assim fácil para o jovem formado no Chelsea suplantar a concorrência de nomes como Willian, Pedro, Pulisic, Hudson-Odoi ou até Barkley.

Resultado de imagem para mason mount
Mason Mount é um dos novos meninos bonitos da formação do Chelsea

Morgan Gibbs-White

Um jovem muito promissor para Nuno Espírito Santo lapidar. Gibbs-White não terá acesso fácil ao onze inicial, pois parece estar para durar o trio composto por Moutinho, Neves e Dendoncker. Ainda assim, a criatividade e maior vocação ofensiva do médio que esteve no europeu de sub 21 este ano podem ser úteis em muitos jogos. Além disso, a possível entrada do Wolverhampton na Liga Europa vai acarretar maior desgaste, o que obrigará a uma gestão mais efetiva do plantel por parte do técnico luso.

Técnica, qualidade no passe, mobilidade e velocidade são as principais armas deste jovem médio, uma das grandes esperanças dos ingleses para os próximos anos, ele que espera ultrapassar a marca dos 26 jogos que realizou o ano passado.

Resultado de imagem para gibbs white
Gibbs-White vai ser sombra de Rúben Neves e João Moutinho

Max Aarons

Muita atenção a este jovem lateral direito do Norwich. Nascido em 2000, Aarons já viu o seu nome associado ao Manchester United no ultimo verão, que acabou por garantir Wan-Bissaka. O jovem de 19 anos estreia-se este ano na principal divisão do futebol inglês, ele que chegou com 16 anos aos periquitos. Aarons foi um dos maiores destaques do ultimo Championship, tendo feito 6 assistências e apontado 2 golos.

Mas o futebol deste jovem lateral vai muito para além dos números. Muito rápido, sobe muito bem no seu corredor, combinando com facilidade com os colegas ou apostando em idas à linha para cruzar. A sua velocidade permite-lhe também ser muito eficaz no ponto de vista defensivo, tornando-se muito difícil de ultrapassar e fechando muito bem o seu corredor.

Resultado de imagem para max aarons
Aarons é mais um jovem lateral que promete chegar à seleção principal inglesa

Esta lista contém apenas elementos nascidos em ou após 1998, sendo óbvia a ausência de nomes mais marcantes como Alexander-Arnold, Pulisic, Declan Rice ou Phil Foden, que achamos já serem certezas nas suas equipas, seja pelos minutos jogados ou pela qualidade e regularidade que apresentaram.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter