João Félix é o novo menino de Ouro ou já tem que se tornar adulto?

José Nuno QueirósJulho 5, 20194min0

João Félix é o novo menino de Ouro ou já tem que se tornar adulto?

José Nuno QueirósJulho 5, 20194min0
João Félix agitou este mercado, deixando no ar a grande dúvida. Será João Félix o novo menino de Ouro de Madrid, ou o valor pago obriga o jovem de 19 anos a tornar-se adulto e a carregar a equipa no campeonato espanhol?

A primeira semana de Julho terminou e chegou a altura de fazer o Balanço ao mercado de transferências, onde já assistimos a negócios sonantes e a transferências recorde.

Transferência da Semana ( João Félix; Benfica – Atlético Madrid; 120M€)

Não poderíamos escolher outro nome para ocupar o lugar mais alto do pódio das transferências mundiais. A ida de João Félix para Madrid já era especulada pela imprensa portuguesa e espanhola há largas semanas, mas só esta semana foi oficializado o negócio.

Para começar os 120M€ envolvidos fazem, imediatamente, de João Félix a quarta maior transferência do futebol mundial, pelo que podemos mesmo estar já a falar do principal negócio do defeso. Com Luís Filipe Vieira desde cedo a anunciar que só venderia a jovem promessa pelo valor da cláusula de rescisão, foram muitas as dúvidas se haveria mesmo algum clube que se chegaria à frente com o dinheiro.

E para surpresa de muitos esse clube foi o Atlético de Madrid, um clube conhecido nos últimos anos pelo seu futebol mais físico e por privilegiar a transição rápida ao futebol apoiado. À primeira vista é evidente que o futebol de João Félix, de bola no pé e de retoque fino e apurado, dificilmente encaixa nos gostos de Simeone, sendo precisamente aqui que entra o significado desta opção.

Sabendo João Félix das suas limitações, o internacional português escolheu o melhor técnico para o evoluir na intensidade de jogo, no comprometimento com as tarefas defensivas e no poderio físico que deve empregar no jogo. Caso consiga alinhar a sua qualidade técnico-tática com estes fatores podemos estar a falar de um jogador muito competente a todos os níveis.

A tudo isto se junta a liberdade que o ex-Benfica vai ter para gerir o processo ofensivo do Atlético, assumindo assim o papel de jogador livre que tinha Griezmann na equipa. João Félix vai ter, tal como o francês, o estatuto de estrela e de jogador que se espera que aparecesse nos grandes jogos e momentos decisivos. Isto significa também que a pressão vai estar no seu ponto máximo depois da verba gasta na sua contratação. Estará o jovem craque à altura do desafio?

Top Negócios da Semana

  • Ndombelé chegou ao Tottenham no decorre da semana e os ingleses tiveram que deixar nos cofres dos franceses do Lyon uma quantia próxima dos 70M€. Um negócio avultado e que coloca os Spurs a jogar ativamente no mercado

 

  • Se por um lado João Félix, sai da luz, por outro assistimos à entrada de Raul de Tomas. O avançado chegou do Real Madrid e o o Benfica teve que aplicar 20M€. Desta forma o espanhol é depois de Jimenez o mais caro reforço a chegar a Portugal.

 

  • Zé Luís é o segundo nome do novo FC Porto. Depois de muito tempo à espera o negócio fechou-se nos 8M€ e Sérgio Conceição tem assim um reforço que foi um pedido seu à direção.

 

  • Ao FC Porto chegou também o nipónico Shoya Nakajima. Depois de confirmada a saída de Brahimi o Porto precisava de um substituto à altura e o japonês que passou pelo Portimonense era já desejado desde Janeiro no dragão. Para contar com os seus serviços o Porto teve que pagar 12M€.

 

  • Não foi só João Félix a quebrar valores elevados da cláusula de transferências. Rodri, médio que atuava no Atlético de Madrid, chocou Espanha quando os seus representantes avançaram com os 70M€ para rescindir o seu contrato. No dia a seguir surgiu a confirmação de que o clube por trás dessa manobra era o Manchester City, que assim conseguiu uma contratação que lhes permite contornar o fairplay financeiro da UEFA.

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter