O passado recente de Paulo Dybala é preocupante?

Pedro CouñagoFevereiro 21, 20185min0

O passado recente de Paulo Dybala é preocupante?

Pedro CouñagoFevereiro 21, 20185min0
Este artigo do Fair Play reflete um pouco sobre o que o desempenho menos positivo de Dybala nesta temporada e quais as explicações para o mesmo. As críticas têm existido, o seu treinador não está contente com o jogador e a equipa precisa da sua estrela de volta.

Se a realidade é que a Juventus é uma equipa recheada de jogadores de qualidade superior e que a levam a ser, cronicamente, a principal candidata ao título em Itália e uma das mais temidas equipas para enfrentar no contexto europeu, não é menos verdade que a Vecchia Signora precisa de todos os seus jogadores 100% focados no clube e alguns acabam por fazer mais diferença do que outros, como é o caso de Paulo Dybala.

O argentino tem de ser considerada a principal estrela da Juve, representa quase como se fosse um mini-Messi, e poderá ser um dos jogadores a estar na discussão dos melhores do Mundo num futuro assim não tão distante. O seu talento é absolutamente assombroso e poucos conseguem ter um pé esquerdo tão efetivo como o seu, seja a marcar golos ou a dá-los a marcar. Não é por acaso que praticamente todos os principais tubarões europeus pretendem contar com os seus serviços.

Além do talento, a crítica

Ainda que tudo isto seja verdade, a época não está a correr tão bem quanto se desejaria ao jogador argentino. A verdade é que, nesta temporada, são já alguns os problemas extra-futebol que se vêm revelando decisivos. Se é verdade que o jogador se encontrou durante um mês lesionado, regressando no último jogo contra o rival Torino, não é menos verdade de que vários episódios menos profissionais do atleta têm sido relatados.

Têm sido muitas as dores de cabeça esta temporada, seja dentro como fora do campo (Foto: Goal.com)

Massimiliano Allegri, mesmo antes da lesão do atleta, já o tinha deixado no banco de suplentes em diversas ocasiões esta temporada. Pavel Nedved, vice-presidente do clube e uma das suas maiores glórias do passado, já deixou também críticas ao comportamento do atleta e à sua forma recente. Dybala tem sido acusado de não estar totalmente comprometido com a equipa, e desde que, no verão, muito se especulou em torno da sua saída, principalmente para o Barcelona, o volume do que é dito sobre si tem aumentado e tem outro impacto.

Se formos a verificar pelos números, a verdade é que pode começar a existir alguma causa para preocupação.

Grandes oscilações de rendimento

Veja-se que, nos primeiros seis jogos da temporada para o campeonato, Dybala fez a marca de 10 (!) golos, algo absolutamente estonteante e que permitia reconhecer-lhe uma temporada incrível em termos de números e de influência em títulos para o clube. No título que o clube conquistou no início da época, a Supertaça de Itália, o jogador teve uma influência decisiva, com 2 golos apontados. Desde aí, desde 23 de setembro, Dybala marcou apenas 4 golos para o campeonato e mais um para a Taça de Itália, o que se traduz num acentuado decréscimo de rendimento desde o início da temporada.

Na Liga dos Campeões, o jogador não fez ainda qualquer golo nem qualquer assistência, e veja-se que daria muito jeito que no próximo jogo para esta competição o atleta estivesse no seu melhor estádio mental, porque a Juve corre sérios riscos de ficar de fora da competição depois de um desapontante empate a 2 em território italiano contra o Tottenham.

Nos jogos de Champions, Dybala esteve com um rendimento abaixo do esperado (Foto: The Telegraph)

Vindo de lesão, Dybala não atuou no encontro mencionado, mas seria uma excelente adição ao elenco na segunda mão, poderia ser um fator diferenciador num jogo tão “mano a mano”. A pergunta que fica é: até que ponto vai Allegri confiar num jogador que não tem rendido como esperado nestes últimos meses e sobre o qual já fez diversos comentários?

Os comentários do treinador e os reparos a fazer

Allegri alega alguns aspetos, como o facto de o jogador não ser um para jogar sozinho na frente, o que é inteiramente legítimo visto que o atleta atua melhor como segundo avançado, que o mesmo nunca será uma atleta para marcar 30 golos por temporada ou que o atleta não está a lidar bem com as responsabilidades, com as comparações que lhe são feitas com o já referido Lionel Messi.

Dybala precisa de, rapidamente, redescobrir a melhor forma, depois de uma lesão impeditiva de tal e de jogos menos bons antes da lesão. O futebol não pode ser apenas feito de números, mas a verdade é que Dybala precisa de melhorar o seu rendimento se quer recuperar o protagonismo que tão bem lhe foi entregue no passado. Com uma equipa tão poderosa ao seu lado, o argentino tem tudo para suceder, mas precisa de ser mais humilde e de estar com a cabeça 100% no jogo. Veremos também qual será o comportamento de Allegri face ao atleta e se lhe dá confiança para que os melhores desempenhos venham ao de cima.

Veremos se o atleta continua reservado a um papel mais secundário do que aquele que é o desejado (Foto: goal.com)

Para poder ser um dos melhores jogadores do mundo, não chega apenas o talento, é preciso conseguir lidar com o rótulo de “estrela” e saber comportar-se face ao mesmo. É assim que todos os grandes jogadores se conseguiram rejuvenescer e permanecer no topo por largos anos. Com 24 anos, o mundo ainda está aos pés de Dybala, e o mesmo precisa de assumir as suas responsabilidades, adaptando o seu jogo às necessidades da equipa.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter