Nicolò Barella, o jovem italiano de quem muito se tem falado

Pedro CouñagoJaneiro 15, 20195min0

Nicolò Barella, o jovem italiano de quem muito se tem falado

Pedro CouñagoJaneiro 15, 20195min0
Neste artigo, o Fair Play explora um pouco as potencialidades de Nicolò Barella e o que o futuro lhe pode reservar, sendo que estamos em presença de um médio de grande qualidade com somente 21 anos.

Nesta nova geração de jogadores italianos que começa a emergir nos principais palcos do seu país e europeus, existe um jogador que tem começado a ser cada vez mais destacado, principalmente pelo interesse que começa a despertar em clubes de uma dimensão bem diferente da do Cagliari.

Com efeito, Maurizio Sarri, treinador do Chelsea, está deveras interessado em Nicolò Barella, podendo assim reforçar o seu setor intermédio com um diamante ainda em bruto. Seria muito interessante verificar como se comportaria o jovem ao lado de Jorginho, seria principalmente um reflexo do desginado #SarriBall.

No entanto, Barella ainda é atleta do Cagliari, e a verdade é que o médio até nem tem feito particularmente uma época tão inspirada quando aquela realizada em 2017/2018. Essencialmente, pode questionar-se se o atleta já não está tão comprometido com a equipa, agora que é alvo dos tubarões europeus, se o ego estará a afetar a sua qualidade demonstrada em campo.

Principais características do médio

Pondo o seu desempenho recente de parte, convém entender o que Barella representa em campo. Assim, o médio italiano de 21 anos representa a posse de bola e a visão de jogo, representa uma ideia de ter a bola e tratá-la bem. Nicolò é titular absoluto na sua equipa, tendo jogado praticamente todos os jogos da Série A (apenas falhou uma jornada), sendo o líder da equipa com bola e o principal organizador de jogo do Cagliari. Barella é também importante pela adaptabilidade que oferece. O jovem pode jogar nos diversos vértices do meio campo da equipa Rossoblù, podendo jogar como pivot, como médio de transição ou como médio mais ofensivo.

Uma das principais forças do jovem é mesmo o jogo com bola e a visão de jogo (Foto: IL Posticipo)

O médio é mais forte, no entanto, a jogar como médio box-to-box, estando em constante rotação e dando apoios aos seus colegas. Fazendo uso da sua velocidade, consegue cobrir vastas zonas do terreno e driblar perante os adversários quando lhe são colocados obstáculos.

Pode-se considerar que o seu ponto mais fraco será o porte físico, visto ter apenas 1,72m. Não sendo também particularmente robusto, usa a sua inteligência posicional, em detrimento da força, para recuperar muitas bolas aos adversários, pelo que não perde muito por ser um médio de baixa estatura.

Sendo forte nas diferentes posições e no jogo com bola, verificamos que o médio não tem conseguido os números que revelou na transata temporada em termos ofensivos, tendo marcado apenas um golo em meia temporada, enquanto na época transata marcou seis. Ainda que seja um jogador com influência no setor ofensivo, tem ainda de melhorar a sua definição quando se encontra mais perto da baliza adversária.

Recordemos que o atleta já tem quatro internacionalizações no principal escalão da seleção italiana, pelo que a sua cotação está em alta. Numa altura em que a Itália passa por um período de remodelação nos seus quadros, Barella poderá ser um dos principais destaques para o futuro da Squadra Azzurra, que precisa de elementos que lhe permitam assustar os adversários com bola e não apenas através de uma defesa sólida e intransponível, como é típico desta seleção.

Nicolò Barella foi parte integrante da seleção italiana na Liga das Nações (Foto: Getty Images)

O que podemos esperar para o futuro?

Com 21 anos, o mundo do futebol está aos pés de Nicolò Barella. Sem dúvida que a sua estadia pela Sardenha terminará em breve, porque o médio tem potencial para ser craque e para jogar em voos bem mais altos, resta perceber se tal acontecerá já neste mês de janeiro. Neste momento, talvez não seja a melhor altura, visto que o italiano, ainda que de qualidade notória, pode não conseguir pegar de estaca num grande clube a meio da temporada.

Pelos valores que se falam que o clube pretende, a rondar os 50 milhões de euros, seria uma super venda por parte do Cagliari, mas, para o jogador, poder-lhe-ia colocar um peso adicional ao qual o jogador teria de responder de forma imediata num campeonato totalmente diferente do italiano, e a verdade é que a probabilidade de jogar menos e de ser um flop é maior.

Para Barella, o melhor será mesmo concentrar-se em entrar agora na segunda volta da temporada com ambição redobrada e deixar tudo em campo, provando aquilo que já mostrou no passado e impondo o seu nível exibicional, provando aos tubarões porque precisam dele na sua equipa.

No verão, aí sim, Barella poderá considerar mudar de ares. Para qualquer jovem jogador que chega a um novo território, é importante realizar o percurso natural de adaptação ao clube, e a verdade é que a pré-temporada é um patamar bastante importante de adaptação ao espírito da equipa e ao modelo de jogo utilizado.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter