O ataque da Serie A à conquista da UEFA Champions League.

José Nuno QueirósSetembro 17, 20185min0

O ataque da Serie A à conquista da UEFA Champions League.

José Nuno QueirósSetembro 17, 20185min0
4 equipas italianas estão a disputar a UEFA Champions League nesta época, mas o que esperar desta primeira jornada? Quem conseguirá seguir em frente nos respectivos grupos e muito mais discutido neste artigo.

Juventus, Nápoles, Roma e Inter são os representantes italianos na UEFA Champions League 2018/2019, voltando a colocar o futebol italiano no topo do futebol mundial, ao ser dos países com mais representantes na principal prova de clubes.

INTER vs Tottenham

O Inter é a primeira equipa italiana a entrar em acção na UEFA Champions League, e logo contra aquela que é na teoria a segunda equipa mais forte do grupo B, onde se encontram ainda Barcelona e PSV, fazendo deste um dos grupos mais equilibrados da prova.

A jogar em casa o Inter vai querer ter uma entrada, claramente, mais forte que a entrada que teve na Serie A onde alcançou apenas 1 vitória e 1 empate nas primeiras 4 jornadas, ocupando o 15º lugar.

Do outro lado da equipa de Milão estará uma equipa do Tottenham que procura regressar ás vitórias, depois da derrota frente ao Liverpool no seu reduto, e que contará com craques como Harry Kane ou Lucas Moura para contrariar a equipa italiana e bater Handanovic.

O Inter que não quer vacilar frente a um rival direto na luta por um lugar nos oitavos de final, espera que a dupla Perisic e Icardi consiga fazer estragos em Vorm, mas acima de tudo, os adeptos pretendem uma melhor capacidade defensiva da equipa.

Com uma média de 1 golo sofrido por jogo os italianos esperam que De Vrij e Handanovic principalmente, consigam manter a baliza a zeros, facilitando assim a tarefa da equipa mais para a frente.

O Inter vai precisar do melhor Icardi nesta Champions League (Fonte: beIN SPORTS)

Estrela Vermelha vs NÁPOLES

O Nápoles, entre em acção na Sérvia, mas é em teoria a equipa do país da moda, que tem o adversário mais acessível pela frente.

O Estrela Vermelha até tem a curiosidade de ter mais Champions League conquistadas que dois dos restantes clubes do Grupo C, sendo um deles este mesmo Nápoles a que se junta o PSG. Apenas Liverpool tem mais títulos europeus que os sérvios.

No entanto, este Estrela Vermelha é claramente a equipa mais acessível do grupo, e com os rivais acima mencionados, perder pontos frente a esta formação pode ser um enorme contratempo para os transalpinos nas aspirações de repetirem a passagem da última época.

O Nápoles que se encontra no segundo lugar da liga a 3 pontos do inevitável líder, Juventus. No entanto, só a surpreendente derrota frente à Sampdoria impediu a equipa de Ancelotti de fazer o pleno.

Com Insigne sempre em destaque, juntamente com o polaco Milik, os adeptos só podem esperar uma entrada com personalidade e, acima de tudo, vitoriosa na estreia na UEFA Champions League.

Contra um Estrela Vermelha que se vai fechar atrás e tentar apostar tudo nos contra ataques rápidos, para aproveitar as subidas constantes na equipa italiana, nunca é demais alertar o Nápoles para as consequências de uma entrada em campo a esperar facilidades

Conseguirá Ancelotti fazer história no Nápoles? (Fonte: 90Min)

Real Madrid vs ROMA

Se o Nápoles é a equipa italiana com o adversário mais acessível, é justo dizer que a Roma apanhou o adversário mais temível das últimas edições da Champions League, o todo poderoso e tricampeão europeu Real Madrid.

Depois da campanha incrível na temporada passada, com a equipa a conseguir chegar às meias finais da competição depois de ter feito uma reviravolta histórica frente ao Barcelona, os Romanos querem numa primeira fase ultrapassar o grupo que conta ainda com o CSKA e Plzen.

Olhando para o poderio dos restantes adversários no Grupo G, a qualificação é quase uma obrigação para os italianos, mas que podem em caso de surpresa no Santiago Bernabéu, alvejar o primeiro lugar e ter uma posição, teoricamente, mais confortável no sorteio dos oitavos de final, algo que pode facilitar uma chegada a fases mais adiantadas da competição.

A Roma que não teve um arranque positivo na Serie A, tendo só uma vitória na prova e empatando dois encontros, o último dos quais depois de ter estado a ganhar por duas bolas a zero.

Com muitos golos marcados e sofridos, a Roma quer continuar a contar com os golos de Dzeko na prova milionária, mas procura ainda que Olsen, esteja ao nível que Alisson Becker esteve na última temporada.

O ano passado foi assim, como será este ano para a AS Roma (Fonte: Vebloft)

Valencia vs JUVENTUS

A Juventus inicia em Espanha aquela que é uma das campanhas onde os seus adeptos depositam todas as esperanças na conquista do troféu, uma vez que contam com Cristiano Ronaldo, o melhor marcador das últimas 6 edições da Champions League.

Com um arranque perfeito na Serie A, somando por vitórias os 4 jogos realizados no campeonato, e tendo visto o seu mais sonante reforço reencontrar-se com os golos na última partida e logo em dose dupla.

Instalada no Grupo H com o Manchester United e o Young Boys, para além deste Valencia, a Juventus sabe que uma vitória no terreno do Valencia abre ainda mais as probabilidades de sucesso neste grupo, onde é a grande favorita a acabar no primeiro lugar. Com um Young Boys a tentar surpreender, as deslocações a Inglaterra e a Espanha vão ser então os confrontos de maior dificuldade para a turma de Ronaldo.

Depois do bis, Ronaldo parece ter deixado para trás a ansiedade e entra com toda a força na prova que reinou nos últimos anos, mas ao serviço dos merengues.

Ronaldo já marcou, vem aí “ketchup”? (Fonte: Juventus)

Resta agora saber quais vão ser os resultados das equipas italianas nesta primeira jornada e quantas vão conseguir chegar ao final da fase de grupos em posição de passagem à próxima fase.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter