Rosier, o primeiro reforço do “novo” Leão

Fair PlayJunho 28, 20194min0

Rosier, o primeiro reforço do “novo” Leão

Fair PlayJunho 28, 20194min0
O Sporting precisava de um lateral direito e encontrou em Rosier a escolha ideal. Será o jovem francês uma garantia de qualidade numa ala tão necessitada dos leões?

Frederico Varandas anunciou que 3 reforços estavam a caminho do Sporting nas próximas horas, e cumprindo com o prometido, a comunicação do clube não perdeu muito tempo depois da entrevista do presidente para anunciar o primeiro reforço: Rosier.

Quem acompanhou com atenção a época do Sporting reparou com certeza na grande debilidade existente no lado direito da defesa. Piccini acabou por sair para o Valencia e para o seu lugar já tinha sido contratado Bruno Gaspar num ato a antecipar a saída do italiano.

Uma das limitações do Sporting da época passada (Foto: ABOLA)

Piccini, ao contrário, do que se tentou fazer passar, realizou uma época extremamente positiva ao serviço do sporting tendo evoluído muitíssimo do ponto de vista defensivo com Jorge Jesus, pelo que o nível estava ligeiramente elevado para quem assumisse a titularidade no lado direito.

Com Ristovski e Bruno Gaspar a conclusão é simples: O lado direito do Sporting não existiu e foi sem dúvida o setor que mais comprometeu a época, com Bruno Gaspar em destaque pela enorme falta de qualidade demonstrada (pior jogador que vi com a verde e branca vestida) e Ristovski pela quase nula capacidade mental que fez com que fosse expulso diversas vezes. Era, portanto, urgente contratar.

A melhor escolha para o maior problema?

E o alvo parece estar encontrado em Rosier, um jovem jogador de 22 anos que é internacional pela seleção francesa pelas camadas jovens dos campeões do mundo.

Rosier veio do Dijon e, desse ponto de vista, a sua análise tem que ser vista à luz de um clube que lutou até ao fim pela manutenção, cenário muito diferente do que vai encontrar em Alvalade.

Defensivamente o jogador é bastante agressivo, apesar de não ter uma grande envergadura física e disputa todos os lances com elevada intensidade. É um jogador que parece ser evoluído tecnicamente e que joga bem com os dois pés, atributo muito importante quando tiver que subir no terreno e que pode ser decisivo, uma vez que pode cruzar com qualquer pé, confundindo o defensor.

Marcel Keizer terá plantel para atacar o título neste ano? (Foto: Record)

Ofensivamente é mais difícil de avaliar Rosier, por uma simples razão: foram poucos os momentos em que o Dijon esteve em processo ofensivo. Ainda assim as notas que ficam é de um jogador que ainda falha na hora da decisão e terá que ser por aqui que Keizer terá que evoluir mais o jogador, apesar de tudo acabou com 4 assistências, mais do que Ristovski, jogando numa equipa com pouco caudal ofensivo e estando lesionado desde dezembro, pelo que nem tudo é negativo nesse ponto.

Lesões (não) serão um problema

As lesões são mesmo a maior dúvida em Rosier. O lateral esteve 18 meses lesionado devido a lesões em 3 anos, números demasiado elevados para um jogador de 22 anos. Estando ainda a recuperar da última lesão sofrida, Rosier pode partir atrasado na pré-época leonina, sendo necessário esperar pelos primeiros jogos para ver o nível do jogador.

Mas num clube tão preocupado com o nível físico dos jogadores, não tivesse a presidente o seu antigo diretor clínico, o Sporting já deixou bem patente que só entram jogadores a 100%, com os casos de Sturaro, Lucas Silva e Boateng a demonstrarem isto mesmo.

Rosier recuperará bem da lesão que sofreu? (Foto: Visão de Mercado)

Olhando para o papel na equipa de Keizer, Rosier tem um atributo que pode contribuir para o 5x3x2 (ou 3x4x3 em momento ofensivo) que Keizer deixou no ar como tática chave na próxima época. Rosier é extremamente rápido e isso é um fator chave nos laterais desta tática. Com laterais que funcionam muitas vezes como laterais e extremos, é fundamental ter um lateral capaz de correr o campo todo durante 90 minutos e que tenha a velocidade para recuperar defensivamente no mínimo de tempo possível.

No futebol tudo é uma incógnita, e Rosier parece ter sido um negócio avoltado para o clube de Alvalade (5M + Mama Baldé – carece de confirmação oficial) algo que depois dos quase 5M gastos em Bruno Gaspar colocam acima dos 10M os gastos em laterais direitos no espaço de 1 ano. Um falhanço aqui significaria uma queda enorme nas finanças, e a continuidade dos problemas na próxima época.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter