Relatório de Contas do Sporting CP: Como estão as finanças dos leões?

José Nuno QueirósSetembro 18, 20215min0

Relatório de Contas do Sporting CP: Como estão as finanças dos leões?

José Nuno QueirósSetembro 18, 20215min0
O Sporting apresenta o seu relatório de contas aos sócios e os números assustam! Mas afinal como foi gasto o dinheiro no Sporting CP?

O Sporting apresentou o seu relatório de contas aos sócios e há um número que salta imediatamente à vista: Os 33 milhões de euros de prejuízo.

Mas há muito mais para analisar nos números dos leões na última temporada que apesar de histórica no plano desportivo, ficou muito aquém no plano económico.

Transações de atletas

Como é sabido, este tópico é o mais relevante no impacto das contas de um clube. Uma transferência tanto pode salvar como deitar por terra as contas de um clube.

E neste particular aspeto o Sporting sai muito prejudicado comparativamente à época transata (2019/2020), tendo realizado menos 63,128 M€, que são explicados da seguinte forma e em comparação com os valores de 2019/2020:

Vendas: – 71,181 M€
Compras: + 9,904 M€
Amortizações/Imparidade Plantel: – 1,846 M€

Isto deve-se em parte à fraca posição do clube no mercado, onde apenas Acuna, Wendel e Vietto foram vendidos por verbas assinaláveis. Notar que a venda de Maximiano e a taxa do empréstimo de Nuno Mendes não entram nas contas deste ano, bem como os valores de Esgaio e Ugarte.

Isto seguido de uma época que contou com a venda de Raphinha e Bruno Fernandes, mas onde também se investiu mais quase 10 M€ no reforço do plantel.

Relatório Contas
As transações de atletas na ultima temporada. (Fonte: Sporting CP)

Rendimentos e ganhos operacionais excluindo transações, amortizações e imparidades do plantel

Excluindo o peso das transferências nas contas o clube perdeu apenas 4,1 M€ comparativamente à época transata, algo explicado pela subida dos valores dos patrocínios e publicidade, Direitos da TV e da rubrica “Outros rendimentos”, que permitiram mascarar a queda enorme na bilheteria (quase 12 M€) e dos prémios da UEFA, onde a prestação da equipa tirou dos cofres leoninos quase 9 M€ quando comparado com a época transata.

Relatório Contas
(Fonte: Sporting CP)

Estas perdas ainda são mais acentuadas quando comparadas com outras temporadas que não a de 2019/2020 que também não contou com estádios cheios até ao final da temporada e numa época onde a prestação da equipa afastava os adeptos de Alvalade, algo que na época passada não iria acontecer, prevendo-se que com os bons resultados a equipa causasse enchentes a Alvalade.

A nível de Merchandising, como se vê no relatório de contas, o clube assinalou um crescimento de 6% que está aliado em parte ao enorme progresso feito na loja online que subiu 235%, que conseguiu compensar a queda na loja física e no retalho (42% e 29%, respetivamente)

Gastos com Pessoal

Olhando para os gastos com o pessoal verificamos uma subida de quase 1M de euros, mas que é em parte “falsa” e passámos a explicar.

No ano de 2019/2020 o Sporting iria gastar 63,9 M€ com o pessoal, tendo acabado por poupar 3,3 M€ por causa das medidas do layoff e dos 59,5 M€ que eram previstos gastar este ano, acabou por haver um aumento de 2,5 M€ frutos dos prémios atribuídos pela conquista do título de campeão nacional (algo que será do agrado dos adeptos com certeza).

Ainda assim a grande nota vai para os mais de 10 M€ que foram poupados desde 17/18 e que provam que é possível obter resultados positivos sem entrar em loucuras.

Relatório Contas
(Fonte: Sporting CP)

Passivo e Ativo

Mas é na análise ao Passivo e aos Ativos que os sócios devem olhar com mais atenção. O Sporting continua com capitais próprios negativos,  só que passou de menos de 10 M€ para mais de 40 M€!

Números preocupantes, quando vemos também que os ativos reduziram em 2 M€ (não corrente) e em 17 M€ (corrente) estando agora situado em 269,177 M€, ao passo que o passivo não corrente desceu em 45 M€, algo que seria positivo não tivesse o corrente subido em 57 M€, sendo este um valor que terá que ser liquidado rapidamente e que contraria o bom trabalho que estava a ser realizado e que coloca o passivo total em 310,589 M€.

(Fonte: Sporting CP)

Convém também referir que o clube sai prejudicado pela crescente aposta na formação, que a nível contabilístico é prejudicial para a rubrica dos ativos, uma vez que estes atletas valem 0€, quando sabemos que na realidade tal não se verifica. Com várias compras de jogadores medíocres seria mais fácil mascarar este facto, mas seria pior desportivamente e a longo prazo.

São assim números preocupantes os que vemos no relatório de contas, não tanto pelos 33 M€ de prejuízo que podem ser facilmente abatidos com o regresso do público e com melhores prémios da UEFA (como a entrada na Champions League este ano), ou até através de uma possível venda como a de Nuno Mendes, mas sim pela situação de falta de capitais próprios e da subida do passivo que estava em tendência decrescente nos últimos anos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter