Marcus Edwards é aquilo que o Sporting precisa em Janeiro?

José Nuno QueirósJaneiro 20, 20224min0

Marcus Edwards é aquilo que o Sporting precisa em Janeiro?

José Nuno QueirósJaneiro 20, 20224min0
Não se esperam grandes movimentações do Sporting em Janeiro, mas há pelo menos uma que parece quase certa e essa é Marcus Edwards.

Um sonho antigo, mas que parece agora mais possível do que nunca. Marcus Edwards será ao que tudo indica reforço do Sporting, conseguindo assim Frederico Varandas dar a Rúben Amorim o presente que este pediu já na época passada.

Depois de no mercado de Verão o Sporting ter conseguido a vinda de Pablo Sarabia, numa troca facilitada pela venda de Nuno Mendes aos parisienses, o Sporting começou imediatamente a apontar baterias ao mercado para contratar uma alternativa à inevitável saída do Espanhol no final da temporada.

E no meio dos nomes, houve um que se destacou dos demais. O do Inglês Marcus Edwards, jogador do agrado da equipa técnica e plano A para o mercado de inverno. Ele que já foi muito elogiado aqui no FairPlay.

Edwards não está a ter uma época ao nível das duas primeiras na cidade berço no que aos minutos diz respeito, ao ter perdido parte do estatuto com a chegada de Quaresma e a tremenda evolução de Rochinha ao longo dos últimos anos. No entanto, a sua importância na equipa está mais reforçada do que alguma vez teve, uma vez que já leva 8 golos (superou o registo da época passada) e conseguirá superar o registo da sua primeira época onde apontou 9 golos. Apenas nas assistências o ala baixou de nível tendo 2 efetuadas ao longo desta e da anterior temporada.

Marcus Edwards
Deu nas vistas logo na primeira época com o rei ao peito e desde aí que o Sporting nao o larga. (Fonte: Record)

Mas não é por estes números que Edwards é apetecível para os leões. Edwards é desejado fruto da sua capacidade para desequilibrar no 1×1. O Sporting tem muitos e bons jogadores na frente de ataque, mas a verdade é que apenas Jovane tem a velocidade necessária para encarar os adversários de frente, nem sendo esta a principal característica do cabo-verdiano. Sarabia, Pote e até Tabata são tecnicistas com a bola no pé mas falta-lhes velocidade para desequilibrar na ala.

No atual plantel apenas vemos Porro com essa capacidade e com uma razoável taxa de sucesso. Para os jogos em que o Sporting encontra os adversários mais remetidos à sua área faz falta o chamado “abre-latas”, como o Porto encontra em Luís Diaz (com as devidas diferenças entre os dois atletas) e Francisco Conceição ou o Benfica procura em Rafa. O Sporting tenta normalmente com Bragança no miolo mas é muito curto.

Viu-se com o Santa Clara que falta essa solução diferenciada na frente. Tabata entrou para ala e Bragança para o meio e… foi só isso. Tiago Tomás ficou no banco provando que é cada vez menos opção para o técnico leonino. O Sporting tentou muito por Nuno Santos na esquerda desbloquear os corredores, mas a “cegueira” do pé direito de Nuno Santos torna-o previsível na movimentação e fácil de controlar a sua ida para a linha de fundo.

Com Edwards o Sporting ganha um jogador com qualidade individual, bom drible, capacidade de cruzamento e no fim de tudo ainda com golo, algo que nunca é demais num plantel.

Falta agora que os responsáveis leoninos consigam convencer o Vitória Sport Club a libertar o atleta, recordando que o Tottenham ainda detém 50% do passe do seu ex-jogador, pelo que as negociações se podem dificultar. O clube minhoto pretende uma boa verba e ainda a inclusão de 2 jogadores, tendo sido falado Bruno Gaspar (não entra nas contas e regressaria a onde foi feliz), em Plata (Problemas pessoais dificultam a sua vida em Espanha e no Sporting) e ainda o nome de Tabata, este entretanto descartado por Frederico Varandas numa entrevista a um canal televisivo.

Sendo certo que o objetivo principal passa por manter os elementos que por lá figuram, não deixa de ser verdade que a chegada de um homem para a frente e outro para a defesa seriam muito bem vindos.

Marcus Edwards estará preparado para dar o salto? (Fonte: A Bola)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter