Estágio em Lagos: Que ilações tirou Ruben Amorim?

José Nuno QueirósJulho 22, 20215min0

Estágio em Lagos: Que ilações tirou Ruben Amorim?

José Nuno QueirósJulho 22, 20215min0
Terminou o Estágio do Sporting no sul do país. Mas o que se viu do novo leão. Quem aproveitou as oportunidades? E quem perdeu fulgor?

O Sporting terminou o Estágio de pré-época no Algarve e há desde já notas e ideias que podem ser retiradas relativamente às ideias de jogo do treinador, solidez das mesmas e prestação positiva ou negativa dos vários atletas utilizados.

Em primeiro lugar, é notório que há no Sporting uma identidade de jogo bem definida e que está muito bem consolidada nos atletas que transitaram da época passada, algo que era expectável, mas que demonstra bem a forma quase mecânica como estes atletas percecionam o jogo tal e qual o seu treinador.

Na ausência de Coates, um dos grandes destaques foi Gonçalo Inácio. O central que apareceu de fininho na equipa principal do Sporting foi ganhando o seu espaço na direita da defesa, mas foi no centro que se destacou em Lagos. No lugar habitualmente ocupado pelo capitão uruguaio, Inácio mostrou que pode facilmente ser o futuro titular daquela posição, tendo defensivamente uma leitura perfeita dos espaços a ocupar, apesar das grandes diferenças que existem entre jogar no centro ou nas laterais neste modelo de Rúben Amorim.

Devido ao seu jogo aéreo, consegue ser o atleta que mais perto chega da imponência física de Coates e até na frente se revelou goleador ao apontar 2 golos, uma vez que passou a ocupar a posição chave nas bolas paradas leoninas.

estágio
Inácio mostra-se cada vez mais maduro, agora também como central pelo meio. (Fonte: O Jogo)

No que aos “miúdos”  diz respeito o estágio serviu para rever caras conhecidas como Joelson ou Dário Essugo, mas também para ver caras novas como Nazinho e Tiago Mamede a quem se juntou o lateral Gonçalo Esteves, logo após a sua contratação. Algumas delas já eram apontadas como possíveis soluções de futuro.

Joelson mostrou ser um jogador que tenta desequilibrar e partir no 1×1, nem sempre com o sucesso que pretendia, mas sempre desejoso de “partir para cima” e mostrar a sua qualidade técnica. No entanto, taticamente ainda parece algo longe do que pretende o técnico e por isso foi relegado para a equipa B, juntamente com Nazinho que mostrou disponibilidade, mas pecou no capítulo ofensivo e parece não ter aproveitado bem a ausência prolongada de Nuno Mendes, a lesão de Antunes e a tardia chegada do reforço Vinagre para deixar outra imagem. Acabou por ser natural o seu adeus ao estágio com a chegada de concorrência de peso para a sua posição.

Tiago Mamede chegou com alguma expectativa dos adeptos ao estágio, mas a realidade é que, pelo que se viu em campo parece ainda longe do nível que Rúben Amorim pretende, tendo que evoluir num patamar mais elevado do que aquele onde esteve nos últimos anos.

Dário Essugo continua a demonstrar a sua qualidade e prova que, se tudo seguir o rumo que tem seguido até aqui, será o dono da posição 6 do Sporting. No entanto continua a ser um jovem de 16 anos e até fisicamente, apesar de evoluído para a sua idade, continua algo longe dos seus colegas mais velhos.

A grande revelação acabou mesmo por ser Gonçalo Esteves. Com apenas 17 anos mostrou ser um lateral com uma vertente ofensiva elevada e que pode ainda este ano ter oportunidades na equipa principal. Longe ainda dos 2 concorrentes diretos, mas claramente na sombra destes e quem sabe agarrar até oportunidades que lhe sejam concedidas.

Chegou, Foi para estágio; E Impressionou os adeptos (Fonte: O Jogo)

Outro grande destaque acabou por ser a adaptação de Tabata à posição 8. Habituado a ser ala nos últimos anos, o brasileiro foi utilizado no lugar que anteriormente pertenceu a João Mário e quando as expectativas estavam elevadas para Daniel Bragança, eis que aparece Tabata numa forma incrível, com uma leitura muito boa do terreno de jogo e com uma qualidade de passe e visão de jogo de encher as medidas, a que se juntou um comprometimento defensivo que não estávamos habituados a ver. Se há alguém que ganhou pontos no estágio, esse alguém é Bruno Tabata, e Daniel Bragança acaba por regressar com menos expectativas do que as que levou para Lagos.

No lado negativo há a destacar a lesão de Pedro Porro que o retira da competição no início da época, bem como algumas fragilidades defensivas que levaram a que quase todos os jogos terminassem com golos sofridos, contrariando aquilo que foi a boa solidez demonstrada o ano passado. Ficou claro que a equipa precisa de pelo menos mais um médio (para lá da adaptação de Tabata), e que a contratação de mais um avançado não ficaria nada mal na composição do plantel, até porque Pedro Marques lesionado praticamente não se conseguiu mostrar e pode ter perdido a oportunidade de agarrar um lugar.

Agora falta apenas ver como se vai apresentar a equipa na apresentação frente ao Lyon e que resposta vai ser dada já a doer contra o SC Braga na Supertaça.

O 7 que impressionou a 8. Quem sabe se não será mesmo dono do lugar… (Fonte: Transfermarkt)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter